sábado, setembro 30, 2006

Vilavinho volta e Sócrates corre com Vieira


Vilavinho está de volta ao Benfica- e ao país real- pela mão de Luis Filipe Vieira. Os favores pagam-se em política mas no futebol ainda mais.

Não nos esqueçamos que foi Vilavinho que abriu os relvados vermelhos ao rei dos pneus!

Agora que o grande Sadam da bola se prepara para dirigir os desígnios vermelhos até 2010, ano em que ele promete um clube com finanças saudáveis e vitórias, os pobres associados vão ter muito que esperar !!!..
O pândego Vilavinho já avisou aos microfones da comunicação bestial:" evitam de acenar com os lenços brancos. O clube tem de ser saneado financeiramente, isto é um negócio e portanto vamos ter calma pois ganhar agora também não interessa nada".
A citação é de cor mas o sentido é este e deixa Santinho na paz do céu com as derrotas em derrotas até à derrota total.

Mas para ganhar em beleza, a presidência da Luz, diria uma vitória à Benfica ( já que não ganha à bola que ganhe para presidente), Luis Filipe Vieira não esteve com rodeios: pôs- se a correr ao lado do primeiro ministro José Sócrates e apareceu no final da meia maratona a seu lado.

É caso para dizer que se juntou a fome à vontade de comer.
Sócrates ou anda distraído ou mal aconselhado:aparecer ao lado de alguém que na véspera tinha sido citado para figurar na saga do apito de ouro não parece um gesto político de bom senso. E como em política o que parece é...

A não ser que ao ter dito que o que lhe restava de bom era poder correr, Sócrates esteja a considerar que para fazer o que lhe resta tem de levar com o rei dos pneus a seu lado.

Pobre Primeiro já não lhe bastava ter de pôr creme protector ao irmão nas férias !

Para a próxima, se for convidado para uma prova de vinhos, Sócrates ainda vai ter de beber com Vilavinho. E fazer uma saúde ! Eheheeh! Os sacrificios que o Poder impõe...

sexta-feira, setembro 29, 2006

Fotos que mexem connosco

A foto vencedora deste ano do World Press Photo

Eu tinha quinze anos e estava naquela idade do armário, sem saber muito bem o que queria ser quando fosse grande.

Na época a droga ainda não era um risco mas as probabilidades de um jovem ser desviado para o seminário, um coro de igreja, a bufa ( vulgo Mocidade Portuguesa) eram iminentes.
Estive à beira do abismo mas salvei-me: podia ter dado em cançonetista ( o Festival da Canção apelava aos jovens inspirados), abraçado a carreira de actor ( tinha declamado numa sessão do liceu com o Carlos Avilez a assistir) ou seguido outro caminho mais atinado: fui para arquitectura então um curso difícil, onde entrei pondo-me a salvo de tendências maneiristas.

Estava ainda indeciso mas sabia que tinha de ter uma profissão que fosse criativa e virada para a intervenção social. Finalmente quando por acaso vi a exposição The Family of Man, a grande retrospectiva organizada por Edward Steichen, que estava então para o que hoje é o World Press Photo, não hesitei: que se dane, quero ser fotojornalista!

A multidão que enche o Centro Cultural de Belém, no momento em que escrevo este post, e que acorre aos milhares para ver o que de melhor se faz em fotojornalismo no Mundo, tem razões fortes para adorar fotografias.
Nas paredes do CCB vão figurar histórias de heróis e mártires, vedetas e gente da rua, rostos felizes e irremediavelmente chorosos.

Ao correr dos olhos vão passar cenas únicas da aventura humana, das que glorificam a raça e muitas que nos remetem para os primórdios da barbárie. Como poderíamos viver sem aquelas fotografias?

O que seria da sociedade moderna sem fotógrafos com a disponibilidade e o talento para pintarem de forma tão eficaz, dura e pura o que nos rodeia?
O que seria a História sem esta memória colectiva que vai permitir aos vindouros saberem tanto de nós, e aos do nosso tempo entenderem melhor o que somos, o que aqui fazemos?

A fotografia na sua vertente informativa, o fotojornalismo, ganhou uma dimensão notável no saber e mesmo no conhecimento.

Nós que somos jornalistas da câmera não nos apercebemos por vezes, do papel que desempenhamos, da importância de estarmos muitas vezes no lugar certo, no momento certo e de podermos dar um sentido à História, às histórias, com a nossa intuição, saber, sensibilidade e alguma técnica.

Mais que fotógrafos, artistas, ou voyeurs, somos repórteres, cronistas visuais, agentes da História. Este papel para o qual não estávamos a contar porque começámos por paixão à imagem e depois viemos a perceber como as nossas fotografias podiam( e de que maneira!) mudar o Mundo.

Foi na Guerra Civil de Espanha ( Robert Capa), no Vietname ( Eddie Adams, Larry Burrous e outros), no Biafra ( Don McCullin), quando o horror não se tinha vulgarizado e a desgraça alheia, que é também nossa, não passava impune aos olhares indiferentes de leitores gulosos de glamour ou de vidas virtuais à la carte.

Não sei se algum puto ao ver este World Press Photo abandonará a ideia de vir a ser actor de novela, futebolista ou de escolher outra profissão de sucesso.
Se algum deles fixar uma que seja daquelas imagens para toda a vida, o fotojornalismo está vivo. E recomenda-se.

quarta-feira, setembro 27, 2006

Gioconda era mulher de Giocondo


Mona Lisa era Lisa Gherardini, mulher de um mercador florentino chamado Francesco de Giocondo. Ou seja: Gioconda era mulher de Giocondo.

Um grupo de estudiosos do Conselho de Investigação do Canadá estudou o quadro em várias vertentes e chegou à conclusão que o sorriso misterioso da mulher se deve ao facto de ela ter dado à luz pouco tempo antes de ter posado para Da Vinci.
Ela posou com um fino véu transparente que as mulheres grávidas usavam então quando acabavam de dar á luz.

Quanto ao estado do quadro está bom mas precisa de algumas intervenções para manter a eternidade. Mais aqui.

Fernando Ruas, o restaurador OLEX


Um branco de carapinha não é normal nem um preto de cabeleira loura, mas um autarca restaurado com OLEX é normal: é Portugal.
Mais: é um artista português na nobre e esperta arte saloia de pedinchar mais ("eu quero mais !...") ao orçamento.

Se Sócrates não der...queixinhas ao Cavaco.

Sopraram ao ouvido do Instante Fatal, fonte sempre muito bem informada- mas anónima- que o homem de Viseu, o mesmo que mandou apedrejar os fiscais do ambiente, teve um passado que justifica o seu presente: andou a promover o restaurador OLEX.
Agora restaurado com a mistela milagrosa capaz de restítuir a juventude e a lata que a contém, promove-se a ele mesmo. É de artista.

Grande Ruas ! O restaurador é que sabe.
E viva o Cavaquistão! ( não fosse a minha santa terrinha e de outros ilustres que não vou aqui citar para não dar ar de engraxatório !!!)

Rotundas sempre e um auto-tanque a cada português !!! Viva o restaurador Ruas !!!...

terça-feira, setembro 26, 2006

Mães de Bragança apoiam Fatal

Andava distraído com o apoio das Mães de Bragança ( Braganza-mothers) ao Instante Fatal.
Passei por lá e adorei o blogue. Divertido ? Divertido sou eu. Aquilo é caústico e corajoso. Mortal, como diria o outro.

Linkem para as mãezinhas e que nunca vos dõa a barriga de tanto rir.

Daily show Fox Clinton



GENIAL !!!!!...

Olbermann`s comenta Clinton



Muito bom. Vale a pena ver.

Revolução digital

Bomba na Photokina: a Sygma lança a primeira câmera de bolso com 14 megapixels, com um sensor de grande dimensão. O problema das pequenas câmeras é que apesar de se anunciarem com milhões de pixels estes cabem num sensor do tamanho de uma unha, ao contrário dos outros que equipam as câmeras reflex. Logo os milhões de pixels acabam por não se reflectirem na qualidade final das imagens.
A Sygma meteu um desses sensores grandes (2652 x 1768) e isso vai melhorar a qualidade final da imagem.

Eu já estava entusiasmado com a GR mas ela tem o sensor como se fosse o motor de um Smart. É bom mas é pequeno. Imaginem a caranguejola com um 4 cilindros ! Assim será a Sygma.

Encontros de um director de jornal

Cruzei-me ao almoço com José António Saraiva.
Cumprimentei-o e dei-lhe os parabéns pelo sucesso que está a ter o seu Sol. Confessou-me que tinha lido os meus comentários aqui no Fatal.

Deixo aqui um link para o blogue de Paulo Querido sobre esta matéria.

Derrota à Benfica e vitória à Arsenal

Só para registar as duas derrotas desportivas da noite. O pobre Benfica perdeu em casa contra o Manchester, o Porto imitou-o e perdeu com o Arsenal.

Quem parece ter estado impávido e sereno foi Ronaldo. A Merche chora e ele só pensa em chegar a Inglaterra e pôr o Porsche a bombar. Como eu o percebo ( em relação ao Porsche, claro).

Beija mão de Maria em off-side

Maria Cavaco Silva levantou a mão dando-a a Juan Carlos para beijar mas o Rei imediatamente a apanhou, baixou-a, e cumprimentou de aperto de mão a nossa primeira dama.

O protocolo não prevê que o Rei beije a mão. Foi um lapso que num àpice Juan Carlos resolveu.

Mas antes, ou depois não posso garantir, o casal Cavaco eram os primeiros a saber da boa nova da corte espanhola. E o nosso PR apareceu na abertura dos jornais da noite por razões circunstânciais: era a pessoa certa na hora certa: quando o SMS real anunciou a boa nova.

O jantar decorreu depois muito animado, entre Rei e Presidente, mas no final aos jornalistas Cavaco disse que se falou de tudo menos das relações Portugal-Espanha.

Ora aí está uma visita profícua.

segunda-feira, setembro 25, 2006

Cavaco e o pata negra


Cavaco Silva está em Espanha, levou consigo empresários ligados às novas tecnologias e não hesitou em lhes apelar: "Devem vir para Espanha".

Há muito tempo que um chefe de estado português não podia ser mais pragmático, sincero...e naife.
Dizer em Espanha aos portugueses para irem para lá é das ideias políticas mais surpreendentes e sensatas que já vi.

Cavaco disse em voz alta o que todos nós ambicionamos: sermos espanhóis, governados por políticos competentes sejam eles da direita ou da esquerda.

Provávelmente Cavaco ainda antes de deixar Madrid vai apelar aos gays lusos:
" Venham casar a Espanha"
ou desafiar as grávidas portuguesas:" venham dar à luz em Badajoz!" ou aliciar os jovens que não conseguem entrar na faculdade:" venham estudar para Barcelona!" ou aos desiludidos do Sol:" Venham comprar a Huelva o El Sol", ou aos importadores de bens alimentares: " comprem carradas de produtos espanhóis com menos 15 por cento de IVA", ou convidar-nos:" Comam pata negra deixem o presunto Nobre" ou poderá mesmo autodesafiar-se:" adiram à monarquia espanhola pois assim não terão de me aturar num penoso segundo mandato!".


"Decidi que a minha primeira visita de Estado fosse a Espanha, em primeiro lugar para contribuir que os espanhóis conheçam melhor o Portugal do século XXI, a nova geração de empreendedores, de cientistas, homens da cultura que se a firmam pela excelência, que não têm medo da globalização, que pensam que podem vencer no mercado global", afirmou e a LUSA disse.

Cavaco Silva, lembrou ainda a oferta que fez ao Rei Juan Carlos, um PDA com software de localização geográfica semelhante ao GPS desenvolvido por uma empresa portuguesa. E relatou a sua primeira experiência com o equipamento:

"Comecei por procurar a minha casa e todos os restaurantes que existem nas redondezas e verificar que posso até conhecer a ementa e o preço das refeições. É de facto um software que foi construído por portugueses e tive a oportunidade de explicar como é que funciona".

Acho que este software a que se refere o PR é aquela QTEK que o Expresso está a promover com a BoacamaBoamesa e apesar de ser excelente baseia-se nas coordenadas do Google Earth.

Ainda vamos ver o Rei Juan Carlos a ir almoçar a Boliqueime à Tasca do Careca!...


Smart crash test


Um filme para proprietários e candidatos a trazerem o pequeno Smart pela trela. Vejam como a gaiola andante resiste ao betão cavaquista ::))

Nem o Sol nasce nem Lisboa ilumina

Lisboa está às escuras depois de ter estado sem carros. Queriam que estivesse sem carros, mas ficou atascada. Agora por vontade da arte está às escuras. Na zona do Principe Real mal se encherga um gay à frente do olho. Os habitantes queixavam-se no Correio da Manhã de hoje. Uns põem velas na esplanada, outros apalpam as paredes para não se perderem. Algumas sonharão com aventuras na escuridão.
Mas verdaeiramente o medo, a insegurança, reina.
O cidadão paga impostos para o pôrem às escuras.
Já tiveram que levar com música de elevador espalhada por altifalantes nas esquinas no tempo do inventivo Santana, agora precisam de bengalas para saír à rua.
Em nome da arte a EDP corta a luz e depois chama à palhaçada- mais uma- Luzboa.

É arte senhores !

Quanto mais vou a Lisboa mais vontade tenho de lá não ir. Estou rendido aos encantos da linha. Ir a Lisboa para pagar balúrdios em estacionamento, horas para entrar, obras por todos os lados, assaltos e decadência, prefiro a linha. Laveiras comparada com Lisboa é já cosmopolita ( não estivesse lá o EXRESSO!).

Carmona - o génio do poder local inventado pelos trouxas que votam em Lisboa- está a deixar a cidade ainda mais irreconhecida do que o afável e simpático Abecassis.

Estão às escuras ? Peçam para o Sol nascer mais cedo. Eheheh!!!!

domingo, setembro 24, 2006

Nardis Chet Baker

O melhor trompetista do Mundo, senhoras e senhores. CHET BAKER

Uma foto por dia

New York City por Walker Evans.

Alberto Korda, o fotógrafo de Cuba


Korda o fotógrafo cubano da revolução castrista, aqui numa galeria multimédia do Whashington Post.


Comunguem comigo esta oração visual.

KORDA/CUBA

Saber tratar do coração


SABER TRATAR DO CORAÇÃO

Citando sempre a eficácia do Elmundo

Casamento sem alianças


Quais são os dias mais importantes da nossa vida ? Quando nasce um filho ? Quando nos casamos ou quando vemos os filhos partirem de casa ?

Estas são algumas das etapas que marcam cada um de nós.

Hoje assisti a um casamento alegre e numeroso em convivas. O ambiente era rural e descontraído, com o cenário de uma quinta ancestral e de uma igreja branca e tipica.

O noivo nervoso, a noiva coquette com as amigas, assumindo o papel de raínha eleita no seu dia especial.

O pai da noiva muito nervoso percebendo que era último dia em que a "sua" filha lhe pertencia. Dificeis os últimos minutos, antes de a levar ao altar.

Igreja cheia, um padre apressado, holofotes dos fotógrafos e flashes.

Na hora do sim e do nó, avança uma criança com uma concha de prata mas lá dentro não estavam as alianças.

Pára a cerimónia. Há risos ao fundo da igreja, a noiva está mais nervosa, o noivo contem-se, o pai da noiva transpira e não encontra as alianças. Era ele o portador.
Olha para o chão, apalpa os bolsos, sai da igreja, há minutos de tensão.

O padre permanece calado, espera. Quando o pai entra de novo traz na mão a caixa de veludo com as alianças.

Respira-se fundo. Segue a cerimónia e o padre diz:" Não são importantes as alianças. Importante é acreditar na benção do casamento!"

Podia logo ter dito, poupava um ataque ao pai e a fúria aos noivos.

Cada um traz consigo as alianças perdidas que acabam sempre por aparecer, nem que seja para fazer de símbolos um sentido que a vida muitas vezes não traz.

sexta-feira, setembro 22, 2006

As fotos da semana de TIME


Grande galeria de fotos da semana do magazine TIME.

Um belo cartaz de cinema

Envelope 9 mensageiros acusados

Segundo a Lusa, 17 e 30horas de hoje, dois jornalistas do 24 Horas são acusados no caso Envelope 9


O Ministério Público acusou dois jornalistas do "24horas" do crime de acesso indevido a dados pessoais no âmbito do caso do envelope 9, relativo a registos de chamadas telefónicas de altas figuras do Estado anexos ao processo Casa Pia.

De acordo com uma nota enviada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) à Lusa, "não foram recolhidos indícios da prática de crime ou de qualquer responsabilidade disciplinar imputável a magistrado, oficial de justiça ou funcionário da Polícia Judiciária, em relação com a obtenção, depósito e manutenção no denominado processo Casa Pia de ficheiros contidos nas disquetes guardadas no envelope 9".

O caso do envelope 9 foi revelado a 13 de Janeiro deste ano pelo jornal "24horas", que noticiou a existência, entre os documentos do processo de abuso sexual de menores da Casa Pia, de uma listagem de telefonemas (facturação detalhada) de vários titulares de órgãos de soberania, incluindo o ex-Presidente da República Jorge Sampaio.

A PGR instaurou na altura um inquérito, que a 15 de Fevereiro levou à apreensão de computadores pessoais e de material dos jornalistas do "24horas" Joaquim Eduardo Oliveira e Jorge Van Krieken, responsáveis pela notícia que revelou a existência do envelope 9.

A nota da PGR refere que foi ordenado o arquivamento do inquérito no que respeita à conduta do funcionário identificado da PT-Telecomunicações, nomeadamente quanto ao dever de sigilo profissional, acrescentando que a infracção em causa estava já prescrita na data da primeira notícia sobre o caso publicado pelo "24horas" (13 de Janeiro).

A PGR esclarece ainda que a 26 de Junho de 2003 foram entregues no Departamento de Investigação e Acção Penal cinco disquetes que foram juntas no envelope 9, que "satisfaziam a solicitação dirigida à PT com o aval do juiz competente, que se limitou a pedir a facturação detalhada de um único posto telefónico atribuído a um então suspeito nos autos".

"Das disquetes em foco constava, imediatamente visível, a facturação detalhada que fora solicitada, mas também, tapada pelo selector, facturação detalhada respeitante a postos telefónicos confidenciais instalados em residências particulares dos seus titulares, que não eram suspeitos no processo e que ninguém havia pedido", acrescenta a nota da PGR.

De acordo com a PGR, desde o respectivo depósito no envelope 9, a 26 de Junho de 2003, aquelas disquetes "ficaram ali guardadas e ignoradas, sem que magistrados, oficiais de justiça ou funcionários da PJ tivessem tomado conhecimento dos ficheiros que continham e os tivessem trabalhado, analisado ou descodificado".

"Entretanto, a 5 e a 18 de Janeiro de 2005, foram confiadas a dois advogados de arguidos do processo, que delas fizeram cópias em suporte informático, sendo que um deles a cedeu ao seu constituinte", acrescenta.

Assim se explica - escreve a PGR - que "só no dia 13 de Janeiro de 2006, na sequência da publicação das notíciais, os magistrados do Ministério Público tenham visualizado as disquetes contidas no envelope 9 e não se tenham apercebido do material tapado pelo selector, tendo transmitido isso ao procurador-geral da República", Souto de Moura.

Segundo indica a PGR, esses ficheiros eram compostos por "facturação detalhada constituída por dados exclusivamente numéricos, não continham a identificação dos titulares dos telefones a que se reportavam, não faziam referência ao local onde estavam instalados os telefones, nem identificavam os titulares dos postos para onde foram realizadas as chamadas".

A Procuradoria esclarece que o "tratamento da informação levado a cabo por peritos da PJ incidiu sobre a facturação detalhada constante do CD recebido a 8 de Outubro de 2003, o qual não continha qualquer facturação detalhada que não tivesse sido pedida", bem como "das altas individualidades do Estado mencionadas nas notícias".

A PGR frisa igualmente que, face à "gravidade e ao impacto público" dos factos, a celeridade da investigação "foi desde logo reconhecida como necessária" e que foram realizadas no início de Março a quase totalidade das diligências de inquérito consideradas úteis - dezenas de inquirições, dois interrogatórios de arguidos e quatro buscas.

Apesar de deduzir "acusação contra os dois arguidos constituídos", a Procuradoria esclarece que, devido a recursos para impedir a abertura dos computadores apreendidos, estão ainda por realizar os exames periciais a ficheiros informáticos, que foram suspensos "sine die" por decisão do juiz de Instrução Criminal.

O crime de acesso indevido a dados pessoais, pelo qual foram acusados os dois jornalistas do "24horas", é punível até dois anos de prisão.

Segundo o artigo 44º nº 1, da lei nº 67/98, de 26 Outubro, "quem, sem a devida autorização, por qualquer modo aceder a dados pessoais, cujo acesso lhe está vedado é punido com prisão até um ano ou multa até 120 dias".

Porém, no nº 2, alínea b) do mesmo artigo, "a pena é agravada para o dobro dos seus limites quando o acesso tiver possibilitado ao agente ou a terceiros o conhecimento de dados pessoais".

Cicarelli escaldante


Daniela Cicarelli, a ex-Ronaldo, em filme escaldante com o namorado.

Dia sem carros, hoje há palhaços

Lisboa está a esta hora a ferro e fogo.
A balbúrdia é total.
Tudo porque Carmona, esse génio do poder local inventado pelos lisboetas ( é bom que se diga e se lembre) aderiu a essa palhaçada anual que é o dia sem carros ou da mobilidade ou lá o que é.

Esta treta começou a ter expressão no tempo em que Sócrates era ministro do ambiente e estas iniciativas sempre davam jeito para desviar as atenções da co-incineração, a alarvidade das construções na costa e outras barbaridades.

Condenar os cidadãos que pagam biliões por ano ao Estado em impostos directos e indirectos pelo uso do carro fica bem, é correcto, é de esquerda e alimenta essa doença nacional: a inveja. " Se os gajos andam de carro é porque são ricos", ou o complexo de pobreza salazarista:" os pobres andam a pé, os remediados de autocarro os ricos de carro!".

Nunca mais me esqueci de uma velhina com um modesto Fiat 850 a saír do parque do Terreiro do Paço, em 1975, rodeada de uns alarves da Lisnave que lhe gritavam:" o povo anda a pé, o povo anda a pé !!", enquanto a pobre tentava sair dali com o carro aos soluços de assustado.

Claro que estes idiotas não moram longe, não têm de levar e buscar os filhos à escola e sobretudo não trabalham.

Já o Eanes dizia que os portugueses tinham de deixar de passear de carro e trabalharem e Zenha, quando ministro das finanças, disse " os portugueses têm de deixar de gastar gasolina nos radiadores dos automóveis". Estão a ver o género...

É evidente que o trânsito tem de ter regras no interior das cidades. Mas também é verdade que as cidades devem ter uma rede eficaz de transportes, com interfaces e preços acessíveis. Não é a bagunçada dos trasnportes na grande Lisboa.

Os governos e as camaras deviam ter vergonha da sua incompetência.
E deviam deixar em paz os cidadãos pagantes. Agora vão aumentar ainda mais os parques da EMEL. Qualquer dia parar uma hora em Lisboa é mais caro que fumar um Partagas 4.

Mas nas próximas eleições a carneirada vai voltar a votar nestes cretinos.
O povo gosta e eles divertem-se.

Estou defacto irritado.


PS: entretanto o Presidente Cavaco foi visto esta manhã no seu BMW série 7 novo. Dia sem carro ? Safa! safa!

Floribela para matar


Se o meu post sobre a sessão fotográfica com a Maria Elisa originou tanto amor e ódio, não sei como os leitores reagirão a uma outra vedeta da TV.
Floribela para amigos, adoradores e fanáticos.
Não é pedantismo, mas confesso ( um blogue permite estas sinceridades) que nunca tinha visto a Floribela. Fui apanhado em casa de um amigo com uma míuda irritante a ser entrevistada pela Bárbara Guimarães na televisão e em directo.
Fazia lembrar a Catarina Furtado a fazer de pastorinha de Fátima com uns olhares arregalados para o céu, parecendo um daqueles momentos místicos em que Santana Lopes recordava Sá Carneiro.
A catraia toda desenrascada pregava pelo amor no Mundo, a paz na Terra ( daqui a alguns anos imagino-a a desejar cidades sem carros e ex-fumadores a correrem a maratona) num tom de voz estudado, teatral.
"Quem é esta idiota?"- perguntei ao meu filho, 5 anos. Ele disse tudo numa palavra: "É a Floribela". Foi talvez uma das grandes lições do filho ao pai.
Acabei por nessa noite meter um gôzo no Instante Fatal .
Irritam-me crianças a armar aos adultos e com ar de boazinhas.
Mas quando esta semana me apareceram umas fotografias de uma miúda fazendo lembrar uma personagem de Brian di Palma em "Vestida para matar" fiquei de boca aberta. AH!..Pensei que fosse tique de 52 anos, mas a verdade é que a produção que a Isabel Branco fez para a ÚNICA, transfigurando uma costureirinha da Sé numa mulher fatal é arrasadora. As fotografias que Jorge Simão fez mostram uma mulher desafiadora, fria e distante, o contrário da bimba que eu conheci num momento menos feliz.
A sessão foi longa mas a actriz soube disponibilizar o corpo para uma ideia audaciosa e resistiu ao cansaço do matraquear do fotógrafo. No final, humildemente- já no seu papel de boazinha, atreveu-se: "espero não os ter desiludido".
Profissional em pleno. Não rejeita desafios nem autógrafos. Mas quem esteve por perto dela durante a sessão não escondeu: "ela tem uma tristeza latente que nunca a abandona".
Cada um carrega consigo a personagem que escolheu. Mas a alma, santa ou pecadora, essa nunca muda.

quinta-feira, setembro 21, 2006

Garotas de programa no Guardian

O Guardian online acaba de publicar uma interessante reportagem sobre "garotas de programa", prostitutas em brasileiro, algumas a trabalharem em Portugal e a blogarem como Paula Lee no seu "Amante profissional". Vale a pena ler.

quarta-feira, setembro 20, 2006

George Bush o idiota americano


Um dos vídeos mais populares do You Tube

terça-feira, setembro 19, 2006

Fotojornalista da AP preso no Iraque pelos americanos

Fotojornalista preso no Iraque pelo exército americano.
A Associated Press já protestou por causa deste incidente com o seu fotógrafo.

O trajecto do Gordon

Citando o Elmundo:

El ciclón tropical 'Gordon' prosigue su imparable recorrido hacia las costas gallegas, donde provocará, a partir del miércoles y sobre todo el jueves, vientos huracanados de más de 120 kilómetros/hora, lluvias muy intensas y olas de hasta nueve metros de altura.

Según fuentes del Instituto nacional de Meteorología, la tormenta tropical 'Gordon' atravesará las islas Azores como huracán, y durante el hoy se desplazará hacia el este, a medida que interacciona con una depresión extratropical. Según informó Ángel Rivera, Jefe de Predicciones del INM, la tormenta "ha seguido una trayectoria algo inusual aunque no extraña, haciendo una curva para desplazarse desde el Caribe hacia el norte de Estados Unidos para, a causa de los vientos del oeste, desplazarse hacia la región de las Azores y posteriormente Europa".

Según los expertos, tras su paso por las Azores la tormenta perderá algo de intensidad, aunque luego se volverá a intensificar a medio camino entre las islas portuguesas y Galicia para azotar con fuerza la costa gallega.

La tormenta trocipal afectará a partir del hoy a las zonas marítimas situadas entre Azores y la Península, originando un temporal muy duro a huracanado, y mar arbolada o montañosa, con olas de hasta nueve metros.

Además, según Rivera, es probable que a última hora del miércoles y durante la mañana del jueves se den en Galicia vientos del suroeste muy fuertes, de hasta 120 kilómetros/hora, ocasionalmente con rachas huracanadas". También es probable que la tormenta de lugar a precipitaciones localmente intensas en Galicia.

El paso de un huracán de este tipo por las Azores es un fenómeno meteorológico "raro", ya que desde 1850 han llegado hasta las islas portugesas nueve huracanes similares, el último, 'Charlie"', en 1992.

José Pinto Monteiro, temos novo procurador

Quem é Pinto Monteiro

Fernando José Matos Pinto Monteiro, que vai ser nomeado procurador-geral da República, é juiz de carreira e preside, neste momento, à primeira secção do Supremo Tribunal de Justiça.

Pinto Monteiro foi secretário-geral da Associação Sindical dos Juízes Portugueses nos anos 80, alto-comissário-adjunto na Alta Autoridade Contra a Corrupção, juntamente com o coronel Costa Brás, membro da Comissão de Gestão e do Conselho Pedagógico do Centro de Estudos Judiciários, onde também leccionou e presidiu a exames.

Nomeado para o Supremo Tribunal de Justiça em 1998, Pinto Monteiro foi ainda juiz desembargador no Tribunal da Relação de Lisboa e é professor convidado na Universidade Autónoma de Lisboa.

Em 2004, Pinto Monteiro foi derrotado nas eleições para presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

Natural do concelho de Almeida, Pinto Monteiro formou-se em Coimbra e iniciou-se na magistratura como procurador do Ministério Público em Idanha-a-Nova.

Presidente do Irão em directo

Proponho-vos este excelente trabalho multimédia da TIME sobre o Presidente do Irão

On The Road

Apetecia-me estar por ali, entre uma estrada ao caír da noite, ter sono, cansaço e um motel cheio de néons. Podia ouvir-se Miles Davis, baixinho, para acalentar a alma.

Leica M Digital, finalmente !


Aí está o pior que temia: uma M digital para me obrigar a gastar pelo menos 4000 euros que vou ter de inventar.
Na Photokina a câmara mais desejada por fotógrafos leica-maníacos vai ser apresentada à sociedade. Alguém me pediu aqui no blogue para eu dar a minha opinião.
Difícil porque ainda não a vi. Do que li sobre o animal retive: Vai ser cara ( 4000 euros), vai ter um factor 1,3 ( pouco simpático porque vai transformar a ninha 35 numa 50) e terá uma tri-elmar 16-35 que vai custar caro.
Dizem que não vai ter o disparar das de filme- por causa do obturador metálico e vertical.
Mas parece-me à partida bastante aliciante. Os 10 milhões parecem-me mais que suficientes e as lentes Leitz ajudam, e de que maneira!

Se a Epson fizer a nova Rd1 ( Rd2) com full frame, não sei se a Leica M8 ficará muito bem vista.
Veremos. O que me irrita mesmo é o factor 1,3. E o preço claro.

Homenagem a Josie Marsan


Dedico a música- só a música - ao João Carlos Santos - o fotógrafo mais negro da Baía.

Video jazz



Para acalmar os ânimos

Instante fatal com 273 visitors

segunda-feira, setembro 18, 2006

A Maria Elisa da discórdia

Há figuras públicas que geram à sua volta um movimento incompreensível de amor e ódio.

Maria Elisa é uma dessas.
Só pelo simples facto de eu ter escrito no meu blogue "institucional", o "Flagrante deleite" no Expresso online caíram resmas de protestos.

Eu fui chamado de tudo e ela foi desancada até à quinta casa.
Mesmo um amigo meu, das pessoas mais bem formadas, católico e militante na luta contra a exclusão, me chamou "defensor de vigaristas". A seguir desenrolou cenas do passado que me deixaram atónito.

Tenho pela Maria Elisa uma amizade de há muito tempo. Sempre a achei uma mulher inteligente e cheia de charme, frágil e combativa, com um toque snob que lhe fica bem.
Gosta de londres e da BBC, tem um bom gosto cultivado e é uma profissional excelente de televisão.
É a melhor de todas.

Quando trabalhei no Tal e Qual nos anos oitenta, fui surprendido por uma manchete feita pelo " turco", alcunha do intratável Hernâni Santos, em que uma fotografia de uma cena de um filme português obscuro, a mostrava deitada e despida com o Jaka Jamba- mais tarde dirigente da UNITA- em que o título era "Olá D. Maria Elisa!".

Esta sacaníce tinha a ver com o facto de no tempo da administração Proença de Carvalho, que ela ter sido directora de programas, quando os jornalistas da 2 foram postos na prateleira por então a AD os achar uns perigosos agitadores. (O Santos fazia parte desse grupo e não esperou pela manchete da vingança). Acabou mal: hoje dedica-se à lavoura e dá umas aulecas de jornalismo.

A diferença paga-se caro em Portugal e tudo serve para lançar as pessoas na lama quando elas não se encaixam na ordem estabelecida.

É verdade que a jornalista tem tido um percurso sinuoso, mas só os burocratas e aqueles que não arriscam a vidinha o não têm.
Quantas outras figuras não andaram a saltar de partido, trabalho e convicção ?
E quantos são assim apedrejados ?

Instante Fatal acaba de atingir 200 visitors num dia

Há uma semana estava contente com 100 visitors hoje acabo de atingir 200 visitors.
Até à meia noite é sempre a contar. Vou ter de me aplicar mais nesta minha aventura internáutica.

Obrigado a todos

Fungá-gá da bicharada

Há muito tempo que não ia ao Jardim Zoológico de Lisboa.

Depois das insistências do meu David, 5 anos, lá fui com a ilusão de ali reencontrar algum ambiente daquelas distantes tardes dos anos sessenta quando o meu padrinho, um engenheiro do topo da excelência do ministério de Duarte Pacheco, me levava ali como missão de pelo menos uma vez por ano cumprir o seu papel de padrinho.

Fiquei deprimido. O Jardim Zoológico é hoje o espelho do país. Os animais mal se vêem, estão tristes e fechados em recintos decadentes, patrocinados por mecenas de subúrbio. O custo das entradas é uma afronta ( 35 euros 2 adultos e uma criança) e a qualidade do serviço prestado ao utente está ao nível da Feira Popular que Santana matou num dos seus golpes de incompetência.

Para uma criança ver os animais tem de andar quilómetros. A sinalética não funciona. Tudo aquilo tem um ambiente pobre e triste, um cenário povoado por gente da província e muitos imigrantes que sacrificaram um razoável pedaço do seu salário para verem uma galeria de animais aprisionados. Nada daquilo tem alegria, pedagogia, amizade pelos bichos.

Claro que sou um exagerado e faço de pormenores muitas vezes dramas. Mas foi o que senti.
Até o teleférico que passa sobre o jardim raramente deixa ver os bichos, excepto os leões e as girafas. A maior parte do percurso vêem-se àrvores e mesmo um depósito de entulho que há a norte do recinto.

Esta visita que o meu filho adorou, principalemente pelo comboio e pelos carrinhos de feira, deixou-me a pensar noutras realidades nacionais. e uma delas, porventura a mais dissimulada no quotidiano, tem a ver com esta nossa tacanhez de não admitirmos que devemos ser melhores, com padrões europeus. Falta-nos ambição nos nossos projectos. Ficamos contentes com o adquirido, com aquilo que nos protege: a mediania e a rotina.

Quer se trate de feiras de diversões, jornais, televisão, fotografia, investimento, por aí fora, ficamos contentinhos com o esperado e trememos com o inesperado.

Portugal está a viver um dos momentos mais cinzentos da sua História. Por isso não crescemos. Quando avançamos fazêmo-lo sem ambição, sem ousadia, sem alegria, sem rasgo.
Eu próprio sinto-me muitas vezes a gerir estas rotinas e estes medos de ousar, talvez porque quando ouso demasiado apanho depois o ricochete.

Não é por acaso que este Presidente que uma maioria tangencial elegeu é o arquétipo do que eu acabo de escrever. Temos um Presidente que quer o consenso a todo o preço, como se as alianças e a unicidade de pensamento e de acção fossem vitais para a democracia e não o contrário.
Os países precisam de debate, divergências, luta política, ideias em confronto, discussão.
Um país não precisa de " àmens", precisa de vigor e debate de ideias.
É isso a política, é isso a democracia.
Os portugueses podem estar a apreciar esta modorra mas vão mais uma vez pagar caro este cinzentismo, esta falta de rumo, esta rendição.

Neste contexto percebe-se como os projectos medíocres podem triunfar, tal como têm ganho os patos bravos que fizeram de Portugal um território de entulho betonado.

Amanhã é outro dia. É o que nos vale. E o melhor é não fazermos mesmo vida de ursos.

domingo, setembro 17, 2006

A última sessão de Marilyn Monroe

59 fotografias de Marilyn Monroe tiradas por Bert Stern. Foi a última sessão fotográfica do mito. Morreu no dia seguinte. Até 30 de Outubro no Museu Maillot em Paris.

Sol final

O meu comentário de manhã foi a quente.
Mantenho o que escrevi mas limei algumas frases.

Ficaram ainda mais àcidas.

Eu nunca iria para o Sol porque não acredito em projectos nascidos para matar.
E não acredito em jornalismo feito à anos setenta.

Os jornais mudaram muito na América e na Europa porque tiveram de acompanhar os novos públicos. Não é possível fazer jornais feios, com intrigalhada política, faits-divers para papalvos, sem estilo, sem qualidade.

Um jornal de referência tem de ter qualidade.
Começa no grafismo, passa para as fotografias, infografias, acaba nos textos ( também eles mais apelativos, sintéticos, informativos e curtos).

Ora, o Sol não tem nada disto. É um produto já visto em melhor. Como escrevi de manhã:
É como os carros de Leste nos anos 70: começavam a fabricar modelos que o ocidente tinha posto de lado.

O Sol até pode vingar, e oxalá isso aconteça, desejo-o do fundo do coração.
Não vivo feliz com o insucesso dos outros e acho que a concorrência sã é mais que desejável.

Agora acho que nasceu mal: não é um projecto novo, inovador. Não terá nunca o papel que o Público teve na imprensa portuguesa de noventa.

o Sol chega a parecer um caso psicótico( dá pena) com secções copiadas de outras existentes no Expresso, e que desapareceram, com soluções gráficas que foram usadas até à exaustão, com uma política editorial entre o sensacionalismo e o light medíocre, e que foram em certa medida responsáveis por o Expresso ter perdido 30 mil leitores em 3 anos.
Esta é a verdade.

Faz-me lembrar aqueles quarentões que foram enganados pela mulher e acabaram por arranjar uma semelhante mas mais feia e mais velha ( e mais pobre!).

Nem quero com isto dizer que o Expresso é agora um jornal virtuoso, sem defeitos. Nada disso.
Temos de ter todos a humildade de olharmos para o que fazemos e melhorarmos sempre mais. E teremos muito a melhorar.
Só que o Expresso não se renovou contra ninguém. Só se renovou para ser um jornal melhor, cada vez melhor.

E isso eu sei que vai conseguir. E não precisará de desejar o mal de ninguém.

E daqui redobro os meus votos sinceros de sucesso ao Sol.
Até porque o Sol quando nasce é para todos e já dizia o camarada que "um dia" brilhará para todos nós. O que vale é que eu não sou comunista logo não tenho de subscrever.

sábado, setembro 16, 2006

Sol a quente

Acabo de ver o Sol.

Primeiras impressões a quente, com o risco de ser parcial.
(Este comentário faço-o enquanto internauta e leitor.)

1- É um remake do Expresso antes do Berliner. Um remake é sempre mau, quando é baseado no passado pior. Faz lembrar os carros de Leste no tempo do comunismo: a Lada começava a fabricar uma réplica do Fiat quando o modelo acabava.

2- O grafismo é do passado. Ponham 10 jornais europeus ao lado e vejam a diferença. Se aquele grafismo fosse arquitectura era português suave.

3- A sensação de entulho é evidente.
É como querer ir almoçar e em vez de ir ao Porto de Sta. Maria ir ao David da Buraca.
Não há hierarquização dos temas. Tudo tem o mesmo valor: a Rebelo ou o Rebelo de Sousa com Isaltino.

4- A Tabu é de arrepiar. Feio sou eu. Aquilo faz doer os olhos a um cego.
A história de capa até é boa mas o embrulho é em papel manteiga. Parece a ilustração daqueles livros mexerucas da ex- Agência Portuguesa de Revistas.

A reportagem da casa do General Vieira uma anedota, tão má que não dá para comentar. O que safa aquilo é a cama. Impagável,

Voltaram as festas. A noite. O Algarve. A seguir deve vir uma capa sobre o Gigi ( bem simpático por sinal). Demodé.

5- A edição de fotografia não existe. Está tudo retalhado. Não vi uma fotografia para lembrar. Não há edição fotográfica. Admirava se houvesse.


Nem imagino o Vilhena a editar aquilo.
6-É tudo menos o que devia ser um jornal nascido no seculo xxi. Não traz uma ideia nova, um conceito inovador.
É velho, ressabiado, cheio de nostalgia da Duque de Palmela.
Só falta escrever numa Hermes (já que deixaram o hermes) .
Lamento. Não sou nada contra a concorrência. Pelo contrário. Mas é uma chatíce quando ela não dá luta, não motiva nem compete.

Digo-o com toda a amizade sincera pelas pessoas que lá estão, meus ex-colegas por quem nutro amizade e até tenho uma certa saudade de alguns.
Principalmente digo-o em relação ao arquitecto José António Saraiva que sempre me tratou bem e nos demos com mútua consideração.
Mas também não me vou inibir de escrever o que penso.


Nota final.

Acabo de constatar que o Sol online fecha para fim de semana. A página está muda e queda desde ontem. Hello!! hello! O Sol apagou-se ? Ou tem o horário do comércio a retalho ?

Militares Gays casam em Sevilha

Espanha está a mudar mesmo. Zapatero e as suas leis de longo alcance estão a dar frutos proibidos. Hoje dois militares da Força Aérea casaram em Sevilha, com pompa e circunstância e coragem, há que dizê-lo.
As voltas que o Franco deve ter dado na tumba !!!...

Uma foto por dia

Pôr do Sol. Maputo. 1991. Foto de Luiz Carvalho

As provocações da Brigada de Trânsito

Respondendo a comentários do meu post sobre a bisga do Ministro:

Sem desprezo para os citroens, já tive 5 na vida ( um 2cv, 2 dyanes, um Visa).

Acho que a lei é para cumprir. Mas é ridículo um ministro cheio de pressa ir a 120 na auto estrada para não furar a lei. É burocrático e um ministro que tem este comportamento é um assustado, um enrascado.

O ano passado apanhei na A23 ( penso que é esta a que vem de Leiria para as Caldas) um Lancia da policia, daqueles que andam a fazer segurança aos ministros) que veio sempre a 200 e eu atrás dele a alguma distância. Acho isto mais grave. Os polícias nem vinham a acompanhar nenhuma personalidade ( só se vinham a fugir de mim !!!).

Acho imoral os BMW da BT colarem-se a carros potentes para os fazerem andar depressa.

Vou contar esta:

Juro pelos meus filhos: numa manhã de sábado, um Impresa da BT colou-se atrás de mim a seguir às portagens de Carcavelos.
Eu vi-o, vinha a 100, tinha acabado de pagar a portagem, encostei à direita, passei para 60 à hora e o gajo não me largou, sempre colado a mim até à àrea de serviço de Oeiras.
Depois desistiu e acelerou a fundo e desapareceu.
Eu ia num Porsche.
O tipo queria conversa com multa.
Isto não é polícia, não é comportamento sério, isto é indigno de uma corporação militar.

sexta-feira, setembro 15, 2006

Sol online

Não posso deixar de comentar aqui as minhas primeiras impressões sobre o Sol online. Tenho de o fazer desasombradamente, apenas como internauta.

Primeira impressão: é feio como os trovões. O web designer que fez aquilo deve viver numa galáxia onde são os patos bravos que fazem os projectos.
Se aquilo fosse uma casa tinha nascido na Brandoa.

Segunda impressão: com um peso na homepage de 800kps ( quando devia ser 30) deve ser para net puxada a tractor.

Terceira impressão: as notícias são um bónus ao leitor, automáticas, quando deviam ser editadas e tratadas pela redacção. Parece ser uma moda que se está a instalar. Perigoso: qualquer dia os leitores vão achar que notícias é entulho desprezível e que pode ser dado por empreitada.

Quarta impressão: a ideia das secções é boa e pode atraír leitores. Pode ser alimentada com artigos do papel.

Quinta impressão: o destaque para os blogues no topo é bom, previligia a interacção e pode criar um fluxo de visitors apreciável.

Sexta impressão: chamar às galerias multimédia é de rir. Aquilo nem flash tem, nem vídeos. As fotos são desgraçadas, layout horrendo. Não há cultura internet.

Última decepção: Uma peneira a tapar o Sol

As maiores felicidades para os meus ex-colegas e para o Manuel Agostinho, o Sol-multimédia.

quinta-feira, setembro 14, 2006

Em defesa do ministro acelera

Esta história de andarem a crucificar o ministro por ter sido apanhado a 210 quilómetros por hora parece-me ridícula.

Até já o presidente dos automobilistas alcoolizados ou lá o que é quer levar o pobre ministro a ser interrogado na AR. Tenham juízo !

O que é grave que esse ministro só acelera na auto-estrada mas não carrega no pedal da economia.

O que estes novos moralistas não entendem é que um BMW foi feito para andar a 250 quilómetros por hora e é seguro a essa velocidade se: o trânsito o permitir, a estrada tiver visibilidade e bom piso, se as condições meteorológicas forem favoráveis, se o condutor for seguro e outras variáveis.

Os aviões andam a 900 quilómetros por hora e não são multados por excesso de velocidade. E quando caem espatifam-se todos. Também vão proibir os aviões de subirem a mais de 5 metros ?

Um BMW a 4o quilómetros por hora numa rua do Bairro Alto com crianças e velhos a passarem é muito mais perigoso.

Deixem-se de demagogia barata.

Uma foto por dia

Santa Apolónia. 1980. Fotografia de Luiz Carvalho

O caldo entornado

As quintas-feiras são agora um dia de grande recolhimento. Estou há 14 horas no jornal, tirando as duas em que fui a casa almoçar, inspirando-me num amigo meu que nunca falha a sesta à hora do almoço.
Portanto, depois de ter mudado não sei quantas fotos e páginas, aqui estou a blogar para não adormecer estúpido.

Estive agora a ler alguns comentários à minha foto de ontem e vou responder:

Eu quando enquadro mexo o corpo, a máquina, os olhos, pareço um tontinho. O que procuro é o equilíbrio do quadro. Não entorno por moda, apesar de na foto da Guiné correr o risco de esvaziar o rio(!).

Para ser franco nunca tinha notado a inclinação. Mas eu sou muito mau em pormenores, o que é grave num fotógrafo.
Por exemplo há 8 anos escolhi uma foto da Assembleia onde estava o Cavaco ao fundo a falar quando ele já se tinha reformado ( pensávamos nós!!). Na altura isso custou-me uma carreira brilhante :))))

Meus caros: o que é preciso é disparar e sentir que a coisa está no ponto.
Penso eu de que.

Muito obrigado pela vossa atenção no meu trabalho.

O 13 da sorte

O 13 acaba de passar. E já tenho 52.

Uma foto por dia

Praia nos arredores de Bissau. 2001. Foto de Luiz Carvalho

Paris Hilton para fanáticos

Dossier multimédia sobre Paris-Hilton. Mais divertido do que a Floribela e inofensivo para as crianças.

quarta-feira, setembro 13, 2006

Menino mendigo de Cusco

Bela fotografia de Martin Chambi ( 1891-1973) que está exposto em Espanha na Fundación Telefónica até Novembro.

Segurança social estala centrão

Quando a esmola é muita o pobre desconfia.
O breve consenso em torno da reforma da justiça, entre Sócrates e Mendes, era um prenúncio bom de mais para ter futuro noutras àreas.

Hoje Mendes já diz que Sócrates está a ser indelicado e a grande divergência de fundo neste tema já a flutua: os socialistas querem sistema misto, mas pouco, os socias-democratas querem preponderância da vertente privada.
Era de esperar a desinteligência.

Até porque sejamos claros: se os dois partidos do centrão já são tão iguais, com convergência na segurança social o que ficava a divergir ? Quase nada.

Se Mendes se torna num "yes man" de Sócrates, num amiguinho das reformas em nome do regime, então é que o PSD vai pelo cano abaixo. Igual ao PS ainda vai desiludir mais o eleitorado flutuante.

Mesmo que o canalizador Silva tente desentupir o cano.

Jobs for the boys


Com a devida vénia ao Elmundo, vai a novidade mesmo em espanhol:
( Só gostava de saber o que é feito do génio Gates !!!!!!!!!!!!!!!!)

SAN FRANCISCO.- El fabricante informático Apple ha anunciado que lanzará un servicio de descarga de películas a través de su tienda de música por Internet iTunes. En concreto, según explicó en una rueda de prensa el presidente ejecutivo Steve Jobs, comercializarán filmes de Disney, Pixar y Touchstone.

Actualmente, el catálogo incluye alrededor de 75 películas, según dijo Jobs, quien añadió que el tiempo medio para descargarlas es de 30 minutos con una conexión de banda ancha a Internet.

Las películas tendrán un formato 640x480 y calidad cercana al DVD. Los filmes de estrenos recientes costarán inicialmente 12,99 dólares, si se compran con anticipación o durante la primera semana en que estén disponibles.

Además, en el evento de presentación de las novedades de la empresa, que tuvo lugar en San Francisco (EEUU), Apple ha dado a conocer nuevas versiones del reproductor digital iPod, entre ellos, uno con la mayor capacidad de memoria de su historia, 80 gigabites, que costará 349 dólares. Estas nuevas versiones soportaran videojuegos como el Pac-Man y el Tetris.

Los nuevos dispositivos cuentan con una pantalla 60% más brillante, autonomía de 6,5 horas en modo video y la capacidad de reproducción sin pause, es decir, sin parar entre canción y canción.

terça-feira, setembro 12, 2006

Caros amigos

Estive a ler mesmo agora 6 comentários ao meu post de ontem sobre a Maria Elisa.

Vejo que o Paulo Querido, o Rodrigo Cabrita, a Susana Paiva, o Paulo e um ilustre anónimo, apreciaram a minha atitude de não ter fotografado as divas que o destino me ofereceu.

Vou fazer de seguida a crónica para a próxima Fotodigital e falarei disso mais em pormenor. Mas não fiquem muito impressionados com a minha " coragem". Aquilo custou-me, mas o que tem de ser, tem de ser.

Abraços e beijinhos para a Susana.

Sessão com Maria Elisa

Maria Elisa no estúdio de Pedro Ferreira numa sessão para a Única. Foto Luiz Carvalho

Conheço-a há já muitos anos, cheguei mesmo a colaborar com ela durante o período em que esteve na Gulbenkian, e o reencontro de hoje à tarde para uma sessão de fotografia foi muito estimulante.
Ela deu uma grande entrevista para a ÚNICA e que vai saír no próximo sábado e eu achei que devia ser fotografada por alguém que fosse um mestre do retrato.
Claro que não sou eu.
Falei com o Pedro Ferreira- o mesmo que fez aqueles retratos do Mourinho na última Máxima- depois a Maria Elisa aceitou e lá fomos para Benfica para o estúdio do Pedro.

Confesso que sofri ao ver Maria Elisa a ser fotografada e eu ali a assitir na minha qualidade de editor. Se não fosse ter puxado da minha fiel Ricoh GR e ter feito umas fotos do making-off teria ficado desesperado.

Mas acho que fiz o que devia.
Neste momento a minha missão no jornal é editar e não fotografar. poderei fazê-lo ocasionalmente mas neste momento a minha obsessão é fazer da fotografia do EXPRESSO algo de novo na imprensa portuguesa.

Por isso acabei por não fazer ontem a sessão com a Binoche, foi o Brázio a fazê-lo e muito bem, apesar de confessar uma certa mágoa.

Soares em forma-Pacheco embaraçado

Soares está a dar uma verdadeira tareia a Pacheco Pererira no debate da RTP sobre terrorismo global.
O regresso de Soares à televisão, ao debate público, ao confronto de ideias não podia ter sido melhor. Apesar de se reconhecer algum cansaço, a verdade é que a lucidez está lá toda, exposta com clarividência, acessível a todos, explicada.
O velho leão da política assume-se como um democrata, defensor da legalidade internacional tutelada pelas Nações Unidas, apela ao diálogo(que não é o mesmo que capitulação), demonstra o fracasso total de Bush no Afeganistão, no Iraque, na força que deu ao Irão e ainda o chama de fanático e demonstra-o contando uma divertida história de Bush onde ele confessou falar directamente com Deus.
Pacheco ficou KO e usou uma linguagem redonda, complexa...uma seca total.

À mesma hora gostaria de imaginar Cavaco a ver, e os seus comentários domésticos com a Dona Maria.

segunda-feira, setembro 11, 2006

domingo, setembro 10, 2006

11 de Setembro, o dia da nossa fé

Há 5 anos estava a almoçar no Café IN, à beira do Tejo, com o meu amigo António Pedro Ferreira (Tópê).
Um plano demasiado longo na tv do restaurante chamou-nos a atenção.
Ainda vimos o 2º avião a embater nas torres.
Por baixo havia uma legenda a dizer "live" e então percebi que algo de grave se passava.
O Tópê disse:" até já se vêem desastres em directo na televisão !"

A minha mulher estava em casa grávida do David e telefonou-me: " atiraram aviões contra as Torres Gémeas". Lembro-me de ter dito: " Vamos pagar muito caro tudo isto nas nossas vidas, tal como temos estado a pagar a primeira Guerra do Iraque".

As nossas vidas mudaram muito desde esse dia. Tudo o que aqui disser será de uma banalidade chocante, comparado com a complexidade que tudo isto envolve.

Não sou muito crente mas se há dia em que se deve rezar é precisamente hoje. Por tudo. E por todos os mártires do terrorismo, qualquer que seja. Qualquer.

Uma foto por dia

Nova Iorque vista da Estátua da Liberdade. 1991. Foto Luiz Carvalho

EXPRESSO, o dia D do berliner




As horas que antecederam o nascimento do EXPRESSO em formato berliner.
Dia 8 de Setembro, redacção do Expresso e gráfica Mirandela.

sábado, setembro 09, 2006

Provocadora Moss

Uma foto por dia

Fotógrafo no Terreiro do Paço. 1984. Fotografia de Luiz Carvalho

Rendez-vous avec Juliette Binoche

Durante anos tive na minha casa de celibatário, um duplex num prédio antigo em Lisboa entre o Intendente e a Graça, um poster gigante de Binoche nua abraçando um amante num filme de Téchiné ( não me recordo o título). Esse poster está ainda hoje na sala do meu filho André.
Amanhã tenho um encontro no Hotel Bairro Alto com a actriz para lhe fazer um retrato para a secção "íntimo" da Ùnica.
Confesso que não estou muito à vontade: não vou ter decerteza muito tempo para a fotogafar e sinto uma enorme reponsabilidade.
É-me sempre difícil fotografar pessoas de quem muito gosto. Não sei se é timidez...vou acreditar que sim.

Amanha conto aqui como decorreu a sessão.

EXPRESSO DE BORLA ONLINE

A partir da madrugada de hoje a edição online do EXPRESSO ( edição igual à do papel e reservada assinantes) vai abrir a toda a gente durante 15 dias.

John Travolta com a boca na botija

Travolta de 52 anos foi apanhado por um paparazzi a beijar o amigo antes de embarcar para o seu jacto.

Desde há muito que se especulava sobre as preferências sexuais do actor mas agora a foto feita à sucapa ainda vai deitar mais gasolina no boato.

O actor que é exímio em escapar aos fotógrafos caiu desta vez. O pior para ele é que vai protagonizar num filme o papel de mauzão e Hollyood não gosta nada de cenas destas na vida real em heróis da tela.

160 000 , edição esgotada












Às primeira horas da manhã o EXPRESSO esgotou a sua edição de 160 mil exemplares. Se mais houvesse mais se teria vendido. O meu pai que tem uma tabacaria em Alvalade, onde vende 30 por semana teria vendido o dobro, e não se conformava por não lhe terem mandado mais.

Para a semana a edição será reforçada de forma a poder chegar a muito mais gente, com o aparecimento do jornal do arquitecto Saraiva.

sexta-feira, setembro 08, 2006

O 11 de Setembro no Elmundo


Natascha em directo


O vídeo de Natascha na ORF

Uma foto por dia

Amanhecer do Sol no último dia da Expo 98. Fotografia de Luiz Carvalho

Ou quando o Sol chega atrasado aos grandes acontecimentos.

Novo EXPRESSO já está


ENTER ! Foi Francisco Pnto Balsemão que deu o "enter" no computador de Marco Grieco, o director de arte do EXPRESSO, para avançar para a gráfica o primeiro número em formato berliner.
Não é só o "miúdo" que encolheu, foi uma restruturação grande e profunda da redacção, com novos conceitos de trabalho. Mais organização, mais criatividade, mais atenção para com os leitores.
E como não é o tamanho que conta mas o conteúdo, os leitores vão ter amanhã uma agradável surpresa. Este EXPRESSO á mais EXPRESSO.
Pela parte que me conta estou muito satisfeito com os resultados fotográficos. A ÚNICA desta semana é para mim um grande motivo de orgulho.

Desempregadas da Varig posam para Playboy


Desempregadas mas bem pagas.

Sabrina Knop, Juliana Neves y Patricia Kreusburg, dispensadas pela Varig, decidiram aceitar posar para a Palyboy brasileira de Setembro.
O número promete e é caso para dizer que há males que vêm por bem.

quinta-feira, setembro 07, 2006

Natascha, a imaginada e a real





















A verdadeira imagem de Natascha foi finalmente revelada, consentida por ela, quebrando o tabu tão apetecido de deslindar por parte do público e muito mais pela comunicação social.
Os jornais e as televisões quando não sabem, imaginam, inventam mesmo, tal como as mentes curiosas que há mais ou menos dentro de cada ser humano.

O rosto imaginário da menina raptada passados 10 anos de cativeiro, trabalhado em photoshop, acabou por se revelar longe da real Natascha, como o provam as fotografias entretanto divulgadas.

É muito curiosos este exercício de comparação entre as duas fotografias e que vem reforçar a ideia de que nem tudo o que imaginamos é. Mais: uma fotografia sem ser manipulada ganha autenticidade à prova de bala.

Ao dar-se a ver e ao falar da sua história, Natascha desmistificou uma lenda que começava a crescer à sua volta.

Daqui a meses ninguém mais se vai lembrar dela e regressará devagar ao Mundo real.
Oxalá para sua felicidade, que bem precisa.

Mais miss Kate


Irresistível ( a campanha claro). Acabo de encontrar esta nova imagem. O que é bom é para partilhar. MAIS VIDEO AQUI

quarta-feira, setembro 06, 2006

Kate Moss a agente provocadora


Kate voltou está perdoada. A maldita cocaína deixou de fazer mossa na vida da modelo.
Esta foto faz prova: a campanha da marca de lingerie Agente Provocador acaba de fazer com ela esta campanha de arrasar

Vestir a camisola


A azáfama que se vive hoje na redacção do EXPRESSO não deixa de ser um grande estímulo profissional. Desde 1989, ano em que entrei no jornal, acho que nunca vi tamanho empenho, emoção e amor à camisola. É uma noite inesquecível para se fazer um novo grande jornal.
( desculpem o meu entusiasmo)

Uma foto por dia

Nazaré, 2003, no mesmo sítio onde Henri Cartier-Bresson fez uma foto em 1956. Fotografia de Luiz Carvalho

O sistema solar


Por uma questão de princípio não gosto de falar em projectos concorrentes, pode parecer ressabiamento ou fragilidades afins.

No entanto não resisto a linkar para o Paulo Querido sobre o ovo estrelado.

terça-feira, setembro 05, 2006

Mentiras, fotografia e jornalismo

Fotografias que mentem, manipuladas.

O tema existe desde que a fotografia nasceu. Agora a manipulação torna-se mais fácil. A honra da imagem fotográfica está em causa ? Talvez...

Penso que a credibilidade do jornalismo também passa pela honra das fotografias.
Quem mente uma vez mente sempre e, tal como a virgindade, a confiança também só se perde uma vez.

Sou absolutamente pela defesa das fotografias não manipuladas. Jamais Salomé !!!...

Cliquem aqui para verem um slideshow sobre as mentiras fotográficas

Uma foto por dia

Terreiro do Paço, Lisboa, 2000. Fotografia de Luiz Carvalho

É uma das minhas primeiras fotografias digitais, feita com uma Canon D30. Não tem nenhum truque; é apenas o reflexo de um beijo numa paragem de autocarro.