segunda-feira, agosto 03, 2009

80 metros quadrados de justiça para Isaltino

Pelo visto hoje fez-se justiça em Portugal. Melhor: a partir de hoje podemos dormir descansados porque essa gangrena do regime, esse falhanço do governo socialista, a competência do Ministro Costa, estão a salvo.

Há Justiça: Isaltino de Morais foi condenado. O Procurador-Geral da República não perdeu tempo em comentar logo a decisão do Tribunal de Sintra: "deixou de haver impunidade em Portugal", comentou a alta figura da Nação, como se estivéssemos perante mais o comentário de um dos inúmeros marretas que povoam as secretárias das televisões por cabo, à hora em que o povo se empanturra ao lado, com novelas e idiotas a atirarem-se para a água.

Estou de férias, e como sou um cidadão como qualquer outro, sem o frenesim das "últimas", vi a partir das 20 horas várias reportagens sobre o caso, vi repetidas até à exaustão nos diferentes canais as mesmas palavras e imagens, que conseguiam essa fusão extraordinária de jornalismo de reportagem, opinião e piadolas.

Foi preciso chegar às 22 horas (portanto, duas horas depois de ter ligado a televisão) para saber - e pela boca do protagonista da noticia!- qual tinha sido o acórdão do tribunal.

Afinal: os 7 anos a que foi condenado Isaltino, dizem respeito a um crime monstruoso: o homem aprovou há 14 anos 80 metros quadrados a mais, numa área de 3 mil e tal. Parece que vendeu uns quadrecos e recebeu um cheque de 4 mil contos, sendo que tal transacção não foi considerada corrupção mas sim fuga ao fisco! E, como o tribunal achou que os quadros eram uma merda artística que só valiam 500, houve fuga ao fisco de 3500!!!

Para terminar, a acusação refere que Isaltino recebeu um terreno por troca em Cabo Verde, na Ilha da Miséria, mas que nem sequer está em nome dele, nem nunca o terá pisado.

Enquanto estes factos eram relatados pelo próprio, em rodapé continuava a passar numa das televisões que estava em directo uma frase a relembrar que o autarca tinha sido condenado a 7 anos de prisão e uma frase da sua campanha em que ele (de uma forma quase irónica!) refere que vota na família!

Claro que mesmo depois de se saber a gravidade dos actos do autarca os comentadores habituais, e desabituados, continuavam a rir para o lado, a gracejar, e a minimizarem os factos. O que conta é o que queremos que as coisas sejam e não o que são.

Fiquei bastante desiludido. Se a justiça portuguesa demora 5 anos para apurar que um político corrupto, uma figura a abater, apenas cometeu o crime de licenciar 80 metros quadrados a mais, não num t3, mas em 3 mil metros quadrados (aliás logo legalizados pela sucessora) ou estamos a ficar paranóicos, o que é normal, ou quem investiga não investiga nada. E se assim for, então poderemos extrapolar como alguns se safaram (e outros se safarão) no caso Casa Pia, no Freeport, no BPN e BPP...e por aí fora.

O pior que podia acontecer na Justiça era ela também se determinar por razões políticas, de marketing e de imagem. É verdade que muitos protagonistas da justiça, dão entrevistas, posam com os filhos em casa, falam dos seus gostos pessoais, transformam-se em vedetas e sonharão fazer a revolução que não terão conseguido fazer jovens, no calor da luta. Deixou de haver recato no exercício de cargos que exigem total low-profile.

Mas o que todos temos de exigir como cidadãos é rigor, rigor, rigor. Nos actos públicos, jornalísticos, na justiça. Não sei se hoje conseguimos esta Santíssima Trindade... Mas quem sou eu para achar tal coisa, se o sr. PGR acha o contrário, o senhor Marques Mendes já apareceu a apresentar a sua factura política e Sócrates deve estar a preparar-se para uma noite repousada?

Para acabar: ninguém teve o rigor exigido para referir que a condenação ainda não transitou em julgado, portanto: ainda não há formalmente condenado, mas aquilo que muitos queriam, a sua condenação, já está feita e no pior sítio: na cabeça das pessoas. Isso é irremediável.

6 comentários:

  1. E o seu amigo Judas, nada tem a dizer sobre ele?

    ResponderEliminar
  2. Ainda para uma maior dúvida na justiça, há que também referir que, na própria acusação, a Sra Exmª Juíza admitiu utilizar este caso como referência para o futuro, "num crime que cada vez tem mais incidência". Ora, isto num país onde condenados por homicídio (especialmente de mulheres) saem ao fim de três ou quatro anos, sete anos dos "meus" impostos não só me parecem desajustados, como a Exmª se engalfinhou toda! Então ela própria confessa uma injustiça da Justiça, pelo bem dum "bode expiatório", como tão bem o acusado se proclama??

    é que agora, se for preciso, depois do recurso, é que ele nos escapa às acusações! agora que penso nisso, de facto não há nada mais político que fazer imenso alarido que não dá em resultado nenhum!

    ResponderEliminar
  3. Esta estória dos 80 metros quadrados e dos 4000 contos faz-me lembrar outra. A daquele senhor que numa viagem de avião se virou para a atraente desconhecida que ía ao seu lado e disse:

    - Oiça lá, por 1 milhão de euros ía para a cama comigo?
    - Sim, por essa quantia ía.

    Depois de mais umas quantas perguntas, sem relação com o mesmo assunto diz:

    - E por 5 euros ía?
    - Acha que eu sou alguma prostituta?

    A resposta do senhor:

    - Creio que sobre esse assunto já tínhamos ficado esclarecidos na pergunta inicial.

    É claro que ainda não foi transitado em julgado e agora é tempo de todos os recursos possíveis e imaginários. Mas lá está, foram coisas de pouca monta, 80 metros quadrados, 4000 contos (em moeda antiga), não se fala é nos 436 mil euros a pagar à administração fiscal nem o porquê desta quantia.

    ResponderEliminar
  4. Ladislau Dias4:50 da tarde

    Pessoalmente até nem simpatizo com o Isaltino!No entanto,acho que é um homem empreendedor!Conheço pessoalmente o seu passado, a sua terra de origem, a sua "riqueza fidalga", enfim, tudo o que o acompanha, para o bem e para o mal!Reconheço que fêz mal em "palitar"a mulher que assim deu com a língua nos dentes quanto aos extractos na Suiça!Isto, porém, não faz dele um criminoso!O outro(o tal do FREEPORT é mais esperto:não está na Suiça, mas ele há-de aparecer, juntamente com o tio,o sobrinho e a mãe ou até a Cancio e o Pedro Infante!!!).Mas, voltando ao Isaltino:o que muito me chocou, foi ver a SIC-N, num programa a debater o resultado do julgamento, ter tido a desfaçatez de passar todo o programa a mostrar as imagens do Isaltino, ignorando, por exemplo, a F.Felgueiras, o próprio Valentim, o Nuno Cardoso, o F.Gomes, o engenheiro do Freeport e dos diplomas ao domingo, etc.,etc.Eu tentei falar para esse Opinião Pública, mas, como de costume, estava atravancado pelos boys do PS que, nestas circunstâncias, se apressam a telefonar para zurzir na Manuela e no PSD, julgando que o POVO não sabe o motivo porque esta cambada, paga pela rataria, ali se conserva sempre à espreita para vituperar sobre todos os adversários!Esperemos que em 27/9 toda esta rataria se esvaia pelos esgotos de onde nunca mais possam sair!

    ResponderEliminar
  5. Isaltino Morais: 7 anos de prisão. Finalmente fez-se justiça! Vejam algumas comparações no blogue O Flamingo.

    ResponderEliminar
  6. danieltecelao4:10 da tarde

    O senhor "roubo mas faço" pode estar descansado,ainda tem quem o defenda e com o peculio com que se amanhou terá advogados especialistas em recursos evasivos.
    No fim irá prescrever,e Isaltino pode pedir uma indemnização ao estado.

    ResponderEliminar