domingo, setembro 19, 2010

Deixou de haver edição de notícias em Portugal ?

Deixou de haver edição de notícias em Portugal. Quem gere a agenda dos jornais, e sobretudo das televisões e das rádios, sãos os líderes políticos.

Na passa sexta-feira viajei toda a manhã a ouvir a rádio. Entre as 7 e as 12 horas tive o rádio ligado entre a Antena 1 e a TSF. Pois bem: a notícia que abria todos os noticiários era a não-notícia de que Passos Coelho não iria aprovar o orçamento se o governo não fizesse isto ou desistisse daquilo. Tudo porque o líder da oposição tinha dado uma entrevista na RTP e aquilo servia de eco em todo o lado.

Depois repetiam até à exaustão o cancelamento da primeira empreitada da obra do TGV entre Poceirão e Lisboa. Outra não-notícia mas que os partidos da oposição aproveitaram para fazer campanha.

O que está a acontecer é que são os políticos a ditarem as agendas.

Basta um líder do governo ou da oposição dar um suspiro para que isso seja ouvido e replicado até ao cansaço. Claro que na sexta à noite nos telejornais eu estava a ouvir o que tinha ouvido toda a santa manhã na rádio, só que com umas imagens para entreter e se poder dizer que estava com a televisão ligada.

Esta subserviência e esta rotina é fatal para os chamados meios de comunicação que se portam na sua maioria como porta microfones dos partidos e do governo.

Não há edição crítica.Sobretudo não há um jornalismo que saiba enquadrar os acontecimentos nos vários factos relacionados. Há alguma imprensa de referência que o faz, sei do que falo, mas a maioria das rádios e das televisões alinham pelo diapasão do ruído.

Sem comentários:

Enviar um comentário