terça-feira, julho 13, 2010

A reforma acachimbada de Ernâni Lopes

Há muitos anos atrás, quando o governo era soarista e centrão, eu e a Rosário Hespanha, minha colega redactora no Tal&Qual, o então ministro das finanças Ernâni Lopes de roupão, à porta da sua modesta casa de S.Martinho do Porto. Ele acabara de decretar uma série de leis irritantes e mesquinhas. Tínhamos de por um selo fiscal no passaporte para sairmos do país, tudo era fortemente penalizado em impostos. Claro que a malta dava a volta às medidas draconianas do ministro do cachimbo. Moeda para viajar era trocada na candonga à porta de um banco, o JB era comprado por mil escudos no mercado paralelo e outros expedientes foram postos em prática!

Soares vinha à RTP a preto e branco anunciar novas medidas de austeridade e definir o chamado cabaz de compras, uma lista de produtos essenciais para a sobrevivência do português desgraçado.

Ernâni Lopes ficou com o gosto do aperta o cinto e mesmo passados muitos, muitos anos, ele adora falar ao Expresso, ao Mário Crespo, ou em mesas quadradas do PSD para voltar com a sua política masoquista económica. Faltam os acessórios da tiazinha para termos uma política sado-masoque.

Este fim-de-semana, Ernâni voltou a apelar para que os ordenados dos políticos desçam 20 por cento e que a féria dos funcionários públicos baixe outros vinte. Tudo em nome da poupança. E até deu o exemplo da miserável Irlanda que está numa situação de recessão brutal por causa do aperta o cinto.
O que Ernâni Lopes  se esquece de dizer é que há outras medidas que podiam ser tomadas e não o são. Como por exemplo a taxação extra a empresas que ganham centenas de milhões, não criam postos de trabalho e até aproveitam os lucros brutais para "investirem" no despedimento de trabalhadores. O que Ernâni Lopes não diz é que o governo acaba de reformar a frota automóvel e que os ministros exibem os novos BMW da série 5, com matrícula de há 1 mês.

O homem do cachimbo pode continuar a atacar os mesmos de sempre mas não será o fumo da cachimbada que tapará os gastos de patos-bravos-novos-ricos que são esta classe política medíocre e gastadora.

P.S: tinha-me esquecido que este salvador da Pátria gastadora, recebe do Banco de Portugal desde os 47 anos, uma reforma das chamadas chorudas. Ora, se o homem é assim tão recto e austero, porque não entrega a reforma aos pobres?

3 comentários:

  1. Rosário Hespanha2:14 da tarde

    Apanhámos o Ernâni Lopes e não foi fácil. Não gostou, mas tentou lidar o melhor possível com a situação, a mulher dele é que descambou completamente...

    ResponderEliminar
  2. Acho sempre uma piada louca a esses arautos da desgraça, que do alto do pedestal e das reformas chorudas, atiram umas larachas, nem que seja para terem tempo de antena, entre os canais ávidos por sangue.
    São os carros novos, são as deslocações a Cabo Verde que não servem para nada, são as deslocações a eventos da treta.
    Eu se tiver que me deslocar de alfa em serviço, quase que sou obrigado a ir em 1ª classe! AHAH! Ai que riso, ai que riso!
    Se há um tipo da classe pública dirigente que por acaso tem bom senso e viaja em 2ªclasse no nosso pendular, é alvo de chacota pelos seus pares, como já assisti!
    O único tipo que ouço atentamente é o Medina Carreira.

    ResponderEliminar
  3. O Ernâni saca desde os 47 anos uma bruta reforma do Banco de Portugal, mas sobre isso nada diz...

    ResponderEliminar