quinta-feira, julho 01, 2010

Aumentos gerais deixam a TV louca.

Nos últimos dias desisti de ver televisão. O meu filho de 8 anos ajuda porque reivindica ver um canal idiota com putos-gordos-estúpidos americanos dobrados em tugês.

Aquela reivindicação do petiz em ter uma Golden Share sobre o plasma dá-me imenso jeito. Evito a pivot mais sexy da televisão portuguesa em plano de corpo inteiro (!), não tenho de aturar os esgares do orelhas  e esqueço-me de vez do apresentador de notícias abrilhantado. Um descanso.

Se desligarmos a televisão temos o alívio de não termos de ouvir frases como, "crise à parte", "é a crise", "os portugueses apertam o cinto", o aleijadinho do 5º esquerdo virou assistente nas matines da outra, "a crise, os impostos, a justiça, o Dr. Marinho Pinto, Sócrates e seus companheiros, Cavaco e as lições de economês, a crise, o Senhor dos Passos, os processos...OFF! Um descanso.

Hoje as televisões devem ter rejubilado. E ainda ouvi de raspão entre a mudança do canal Panda para o inenarrável Nicklodeon (?) uma frase histérica de que tudo ia aumentar porque o IVA passou para 21%, um valor do qual nunca devia ter baixado, quando o melhor ministro das finanças, segundo uns espertos da TV, decidiu decretar o fim da crise e a remake do Milagre das Rosas em versão telenovela.

Hoje 1 de Julho, a TV empanturrou-se daquele tipo de noticias deprimentes que aumentam audiências e fazem os divãs dos psiquiatras portugueses mais frequentados que muitas marqueses relaxantes na hora de ponta.

A Televisão adora fazer sofrer, avisar o utente que está a ser saqueado e depois deste se sentir domado atira-lhe para cima com meia hora de publicidade para ele se inspirar no consumismo mais estúpido e demolidor para as parcas carteiras.

Alguém me dizia esta semana que não via notícias portuguesas para não se deprimir. E essa pode ser uma solução para sairmos deste síndroma da desgraça que caiu sobre Portugal, desde aquela triste noite em que um autocarro caiu ao rio com 60 a bordo. Nunca mais erguemos a cabeça. Não acham?

3 comentários:

  1. Cá em casa e felizmente, o herdeiro ainda não liga à televisão, porque tem outros objectos de interesse.
    Quanto a mim, sou demasiado preguiçoso para desligar o monstro, ou para cancelar a minha assinatura dos 100 canais idiotas.
    Mas sim, telejornais Portugueses, são raras as vezes que os vejo. 1h30 de notícias! Que parolos que somos!

    ResponderEliminar
  2. Os administradores do expresso devem andar a dormir .Para além de fotografar o Luiz devia de escrever e de assinar estas "crónicas" no seu jornal. Este blogue já é dos mais conhecidos do país e não conheço ninguém que não goste de ler as suas cronicas e/ou escritos como lhe queiram chamar, concordando ou não co o que escreve ,o Luiz tem uma forma de escrever muito lucida que falta á maioria dos nossos jornalistas /"cronistas" .
    Grande abraço
    Rogerio Gonçalves

    ResponderEliminar