sábado, setembro 26, 2009

Fui à campanha do PS e voltei


Estou cansado. Uma semana em campanha, 4 mil quilómetros a guiar e 20 gigas de fotos, mesmo disparando com parcimónia, cansa. Nem sei como sobrevivo aos encontrões dos seguranças, aos empatas dos colegas (!) e ao emplastro de Sócrates, um brasileiro que fotografa para o álbum do PS e que passa todo o tempo ou a fazer de securita ou a tapar a vista aos jornalistas.

Mas sobrevive-se, porque amo o que faço e acabo sempre por tirar partido mesmo das adversidades. Isto é o lado desafiador da vida de fotojornalista.

Foi a primeira vez em trinta de profissão que segui um candidato durante uma semana a fio. E tão embrenhado que estava na caravana, que acabei por sentir empatia por todos os que fizeram parte desta aventura na estrada. Vão ficar na minha memória, inesquecíveis os dias de Coimbra, Bragança, Porto e a descida triunfal Chiado abaixo com Soares a saltar para cima de um palanque improvisado na Rua Augusta.

Não fosse a organização demasiado profissional, a atitude de Sócrates sempre igual, sem surpresas nem improvisos, esta campanha com um Soares, ou mesmo um Guterres, teria sido um happening de um humanismo fantástico. As pessoas aderiram em festa, arregimentadas pelos caciques locais, mas também aconteceu espontaneidade e espírito militante.

Percebe-se que a política é para a maioria mais emoção que razão, e o voto é um gesto impulsivo, afectivo. Foi nisso que o PS jogou e parece que ganhou.

6 comentários:

  1. prontos, já percebi em quem vai votar :)
    JJ

    ResponderEliminar
  2. estrebucha-se estrebucha-se mas por fim ....

    ResponderEliminar
  3. Se estes gajos ganham mais 2 vezes estou tentado a suicidar-me...

    ResponderEliminar
  4. Tomei a liberdade de publicar esta belíssima foto no meu blogue, identificando-o claramente como autor. Se não achar bem, queira dizer-me. Cumprimentos. Mário Martins

    ResponderEliminar
  5. O Sr. Luís (com Z que é mais nobre) censurou um comentário a acusá-lo de racismo em relação ao fotógrafo do Sócrates.
    É racista e censor.

    ResponderEliminar