domingo, julho 12, 2009

Recepção do Hospital de Santiago do Cacém com tratamento abaixo de cão

Sou acordado às 5 da manhã com um telefonema. Um familiar meu sentiu-se mal e foi parar ao hospital de Santiago do Cacém. Arranjo-me rápido e chego por volta das 8,30 à recepção do hospital. Pergunto pelo familiar internado, resposta rápida, a olhar para o lado do funcionário:" só às 10,30 é que pode saber".

Eu insisto, que estou preocupado, que tenho o direito a saber, resposta do funcionário:" Você está muito nervoso!..."- eu repondo-lhe: nervoso vai ficar você quando eu participar de si se não for aí ao computador e não me disser onde está e como está o meu familiar. Resposta dele, depois de finalmente ir ao computador:" Ah, não está internado, está na urgência, mas tem de esperar meia hora, o enfermeiro-chefe está a mudar de turno!".

Vou para a porta do "banco", vejo um médico a sair, interpelo-o e diz-me de imediato: Esse seu familiar está bem disposto, está ali no corredor a tomar o pequeno-almoço, venha comigo. Entro com ele e ali estava tudo a correr bem e com alta dada dali a vinte minutos. Uma postura irrepreensível e profissional do médico.

Este é o retrato dos serviços públicos. Não há normas de atendimento e os funcionários dão-se ao luxo de se comportarem como senhores e donos dos serviços e de tratarem quem querem como querem.

Claro que posso participar do incompetente, pago com os meus impostos e que usurpa o seu lugar de trabalho como se fosse uma quinta sua. E, pela idade que mostrava, deve ter este comportamento há muitos anos na maior das impunidades. Isto não tem só a ver com governos, ministros e aparentados. Isto tem a ver com a nossa cultura arrogante, burocrática e incompetente, que os governos promovem mas com que todos nós pactuamos.

Pensando bem vou mesmo participar do idiota.

4 comentários:

  1. A postura do médico foi profissional porquê? Por ter "desenrascado" a informação? Por ter facilitado ao acesso a uma zona vedada ao público?

    ResponderEliminar
  2. Segundo o postulante anterior quem merece a participação é o médico. O funcionário é só um coitadinho, que so faz o que lhe mandam.

    ResponderEliminar
  3. Atender com simpatia e eficiencia um familiar dum doente prestando-lhe a informação de que ele necessitava é, EVIDENTEMENTE, sinal de bom profissionalismo para além de uma postura humana irrepreenssivel.

    ResponderEliminar
  4. Nesse mesmo dito hospital conseguem ter doentes diabéticos no corredor das urgencias 20h sem comerem.Como é possivel? Por quê o atendimento neste hospital continua menos bom!

    ResponderEliminar