segunda-feira, julho 13, 2009

Finalmente um vizinho barulhento condenado


A condenação pelo tribunal de um vizinho que infernizou com barulho uma família durante anos é de aplaudir. Vai fazer jurisprudência e abrir uma nova mentalidade nas relações de vizinhança.

A falta de educação e de respeito pelos outros atinge o inaceitável quando se fala de vizinhos.

Eu tenho sido protagonista de vários casos lamentáveis de vizinhos: uma velhota que tinha um galo que não me deixava dormir, uma garagem que tinha táxis a noite toda a meterem gasóleo com os carroceiros a rirem e falarem que nem alarves, um bar que despejava bêbados até às 5 da manhã, um vizinho educado e empresário mas que tinha dois cães que cagavam o quintal todo e ladravam em contínuo durante horas, um vizinho que passou a usar uma janela que dava directamente para o meu pátio, uns brasileiros que punham a charanga aos berros, o último foi o proprietario de um pitbull que andava sempre solto na rua e que acabou a morder o meu cão.

Claro que tudo isto foi em lugares diferentes e ao longo dos anos. E acabei por resolver estes problemas...à porrada.

Há uma cultura em Portugal que qualquer animal pode fazer barulho e incomodar os outros desde que não seja meia-noite. Num país onde cada um só pensa em si, e onde as autoridades além de moles não podem usar leis cívicas que não existem, a impunidade é total. O único remédio acaba por ser a justiça pelas próprias mãos. A Polícia nunca vê, nunca fiscaliza, uma simples queixa não basta: é preciso provar o que se torna difícil.

Há situações que estragam a vida às pessoas. Um familiar meu comprou um apartamento para descansar em Vila Nova de Mil Fontes. Passado um ano abriu uma discoteca por baixo que não dava descanso a ninguém. Foi há 15 anos. Ainda se mantém, agora mais calada porque está falida. Todas as queixas caíram em saco roto.

São as autarquias a permitirem a devassa no sossego dos cidadãos. Vão ao Bairro Alto e vejam como a Câmara de Lisboa pactua com o barulho e a falta de civismo. Recordemos o que a Câmara fez na Praça das Flores, um stand de carros que só fechava à uma da manhã.

Esta sentença é exemplar e apesar de ter demorado 7 longos anos a ser ditada vem reconhecer que todos nós temos o direito a respeitar os outros e não só depois da meia-noite!

3 comentários:

  1. Gostava mesmo que esta sentença fosse o prelúdio de muitas outras que com certeza se seguirão, pois creio que não haja nunguém que não tenha razão de queixa dos barulhos infernais que lhes são provocados por energúmenos,a começar pelos ruidos em casa como, e sobretudo, pelos cabrões dos cães que, quais monstros, determinados bois mantêm em casas de meia dúzia de metros quadrados, sejam eles lobos d'Alsácia, sejam pitbulls, sejam a puta que os pariu!Realmente estamos todos entregues a uma casta de filhos da puta, em que a polícia pura e simplesmente e está cagando para tudo o que é respeito pelos outros e em que, mais dia menos dia, só se conseguirão resolver estes problemas à porrada, como muito bem disse o Luiz.

    ResponderEliminar
  2. Oxalá esta sentença,seja repetida por muitas
    milhares de outras pois isto tem de dar uma volta
    é uma escandaleira esta falta de respeito pelo
    bem estar e sossego dos outros.Curioso é que quando emigram portam~se tão bem...será porque
    lá fora quando a policia aparece vai mesmo haver merda a bordo???Pois é...L.R.

    ResponderEliminar
  3. Tambem tenho problemas no meu predio de 4 andares porque a 2 meses foram para la morar um casal de reformados com um cao e um gato. A merda do cao ladra dentro de casa dia e noite a correr atras do gato. Ja todos os vizinhos falaram com eles e eles dizem que "nao vao tapar a boca ao cao, pois ele tem que FALAR".
    A paciencia esgota-se, a G.N.R. ao ser chamada ou nao aparece ou nada faz! Fez-se queixa na Junta de Freguesia e na Camera Municipal e nada! Tudo continua, vamos ver ate quando!! Ja nos oferecemos para comprar uma trela anti-latido e lhe oferecermos, mas dizem que nao a vao usar pois isso pode "incomodar o animal"!!
    No predio existem pessoas gravidas, outras que trabalham por turnos e outras com horarios normais. Ainda nao deu chatice a serio devido a idade dos donos do cao (50s/60s anos).
    Que merda de Lei, de politicos!!
    Acredito que fique resolvido quando algo de muito aborrecido acontecer e ai..a G.N.R. ja la vai.
    Sera que o cao tem que morrer?
    Nova Lei do Ruido para quando?? Ja se torna tarde!
    P.S.
    Atencao, eu tenho um cao em casa e no dia em que ele incomodar os meus vizinhos eu proprio tenho que resolver a situacao de o dar, vender, etc.

    ResponderEliminar