quinta-feira, julho 16, 2009

Jardim, os foguetes e os idiotas

Alberto João Jardim atirou mais uma bojarda e a inteligência opinativa da televisão por cabo não se cala com o facto de o comunismo dever ser abolido da Constituição, segundo o pândego da Madeira.

Quer dizer: é evidente para todos que a nossa Constituição é uma peça de museu que a maioria dos portugueses gosta por conter o chamado espírito de Abril. E nessa onda cabe uma enorme tolerância que até abrange o comunismo. É uma declaração de princípios que ninguém leva a sério, nem os comunistas. Para estes a possibilidade de haver comunismo em Portugal, e até no Mundo, é tão improvável como um rico poder passar pelo buraco de uma agulha. E para os anti-comunistas o facto de essa ideia poder estar prevista na Constituição não passa de uma piada. É como os católicos esclarecidos aceitarem que quando morrerem vão para o Céu ou outro destino turístico.

O que é incrível é como toda esta gente da política se leva a sério e como todos fazem de uma provocação um "leitmotiv"para iniciarem mais uma guerrilha de insultos uns aos outros.

Quem deve gozar que nem um transmissor de gripe porcina é Alberto João Jardim. Deita os foguetes e os idiotas correm que nem doidos a apanhar as canas.

PS: Diga-se que Jardim referiu que nunca estava em causa proibir partidos mas sim a existência de um regime comunista em Portugal. Um pormenor que já ninguém ouviu, claro.

Sem comentários:

Enviar um comentário