segunda-feira, julho 07, 2008

António Costa já cheira a queimado

Passados vinte anos sobre o incêndio do Chiado, Lisboa mantém a chaga do abandono no centro da cidade. Pode dizer-se que nada foi feito para atrair novos moradores e nada foi feito para manter os que ainda viviam na parte histórica.
O que os autarcas sucessivos de Lisboa têm feito é contribuir para que apeteça cada vez menos viver em Lisboa e que só um doido queira deixar os arredores para ir viver para uma cidade fantasma.O incêndio de ontem na Avenida da Liberdade só vem confirmar o que todos sabemos: Lisboa fechou há vinte anos e tirando algumas acções positivas de Santana, nada mais se fez a não ser politica.
Vivi 15 anos na Graça. Toda aquela zona só piorou desde que deixei de lá morar. Não por eu ter saído mas porque aumentaram os assaltos, os drogados, a prostituição, o esterco nas ruas, A Câmara fez ZERO neste tempo todo que passou.

Que fizeram os autarcas para atraírem moradores? Inventaram a EMEL para criar todo o tipo de dificuldades e custos para quem tem automóvel. As ruas estão esburacadas, sujas, escuras, perigosas. O estacionamento tem um preço proibitivo. O IMI é taxado pelo valor máximo. Há escolas e liceus que fecharam. À noite não se vê vivalma, excepto no Bairro Alto que se transformou numa festa permanente de bêbados, drogados, ladrões e paneleiros. Os assaltos são frequentes. Andar na baixa à noite é pior que andar no Bronx. Os transportes públicos são caros, lentos, atrasados, porcos. O serviço de táxis está ao nível do quinto mundo. Não há sossego em Lisboa, alei do ruído não é aplicada. Há quarteirões ao abandono entregues aos ratos. Os hospitais são velhos e obsoletos. Tirando os bairros de Campo de Ourique e Alvalade todos os outros não resistiram à erosão do tempo e são hoje dormitórios de reformados e velhos. Os radares de Carmona prevaleceram com Costa, uma espécie de mosquitos para chatear quem conduz em vez de prevenirem para os excessos onde na verdade há acidentes. O rosário podia desfiar-se.
O actual presidente Costa está preocupado com as grandes obras ribeirinhas mas despreza o estado dos jardins (alguns já são stands de automóveis), a limpeza, a segurança. Montou uns polícias numas motas eléctricas para o show-off mas o verdadeiro policiamento não existe a não ser para a multazinha mesquinha. Costa está-se nas tintas para a qualidade de vida na cidade, para os alarves que não deixam ninguém dormir, Costa quer satisfazer o ego do seu vereador do urbanismo que projectou uma das maiores enormidades à beira do rio, o hotel a ser acabado frente ao CCB e que até agora não houve uma alma a dizer mal daquilo, porque é de esquerda e a esquerda tem o beneplácito da asneira na imprensa portuguesa.

Portanto: deixem arder Lisboa. E já agora ponham portagens à entrada para nós deixarmos de vez de ir a uma cidade decrepita, destruída pelos caprichos da esquerda.

6 comentários:

  1. Não resido em Lisboa mas de quando em vez, passo por lá.

    O que o Luis escreveu coincide em tudo o que vejo em apenas dois ou três dias de visita pela cidade.

    Por isso cada vez que me coloco na ponte apontada para Sul, é sempre uma alegria.

    Aqui vou eu toda contente da vida!

    Cumprimentos.

    Camila

    ResponderEliminar
  2. Luiz,até sabe,você,partilhou,
    tantos momentos,com esta MERDA!!!!
    Sabe,o seu problema, é que voçê não
    se consegue VÊR NA FOTOGRAFIA!!!O
    Luiz está habituado a "estar", do outro lado...deixe-me dizer que o
    "COSTA"NÃO É DE ESQUERDA!!E QUE SER DE "ESQUERDA",OU DIREITA, É UMA
    MERDA!!!!EU não dou nada por "todos "os meus "amigos"de RUTE!!!SABE, É TUDO UMA QUESTAO DE "INTELIGÊNCIA"!!!!!!PORRA!!L.R.

    ResponderEliminar
  3. Não conheço a verdadeira realidade de Lisboa, uma vez que não moro (nem nunca morei) lá e para se conhecer mesmo uma cidade não basta passar por lá umas quantas vezes por semana. Cada vez lá vou menos, o que até não me chateia nada, pelo contrário.
    Conheço Setúbal e a maioria da margem sul e é com tristeza que reconheço uma grande parte da descrição que faz.
    O problema de Lisboa não é o problema de Lisboa, mas sim de Portugal.
    Por alguma razão pessoas competentes não perecem interessadas em gerir este pais ou então não os deixam chegar lá.

    ResponderEliminar
  4. Setúbal é outra cidade ao abandono

    ResponderEliminar
  5. Aquele incêndio, pelo que vi nas imagens da televisão e sobretudo pelos comentários feitos na TV em cima do acontecimento e pela entrevista do Vereador Manuel Salgado, com um discurso já previamente montado, "pareceu-me" uma cena já prevista para atingir objectivos politicos!!! É só um palpite!!!
    Aquele fogo todo e nem uma pequena aflição!!! Ninguêm se ralou por ai além !!!
    O que é que vocês acham?

    ResponderEliminar
  6. «... e tirando algumas acções positivas de Santana...»

    Permita que o corrija para:
    «... e tirando algumas acções de fachada de Santana...»

    Porque o que Santana fez foi emparedar as "fachadas". Nada mais!

    JJ

    ResponderEliminar