terça-feira, outubro 02, 2007

O devedor de promessas e o salvador de Gaia

O nosso desemprego ultrapassou depois de 20 anos a Espanha. Mas o preço dos combustíveis também. Os irmãos ibéricos vivem muito melhor, num país desenvolvido, moderno, de mentalidades abertas. Espanha tem problemas fracturantes e alguns barris de pólvora. As independências, a contestação à monarquia, a bolha imobiliária. Mas a verdade é que a vida em Espanha está noutra dimensão comparada com a triste, vil e pobre tristeza portuguesa.
Em Espanha houve poucas mudanças de governos depois da democracia, houve estabilidade, rumos definidos, objectivos e dispensaram a tropa fandanga e a porcaria da revolução como nós o fizemos com o 25 de Abril. Eles construíram um Estado democrático, nós andámos a reinar aos revolucionários. Hoje eles são mais para a frente em muitas leis e sobretudo fizeram uma revolução de costumes.
Sócrates que prometeu aos portugueses baixar o desemprego e criar 15o mil novos postos de trabalho...aí tem o seu objectivo gorado.

Mas com a nova oposição vinda de Gaia o devedor de promessas vai poder continuar a pregar e a ser eleito. Desgraçadamente.

2 comentários:

  1. Hoje você está do melhor!

    A festa era para ser só um mês ou dois... vão lá 33... anos!
    Estou convencido pelo que temos e pelos governos que se desenham, que vai chegar aos 40.

    Entre rodopio de governos, fandango de tropas, fado do povo, tachos, panelas que não se acabam, e uma geração que comprometeu pelo menos as duas vindouras, temos o nosso Portugal.
    Eu vou continuar a trabalhar para pagar as reformas chorudas de uns que se reformaram com 50 anos. Trabalharam 25 ou 30 anos, eu se tiver saúde como espero, trabalharei 50, talvez. Não porque queira, vai ter mesmo que ser.

    Com sorte reformar-me-ei aos 70, 75. Vou gozar 5 anos de reforma... numa cadeira a ver televisão! Estes gozaram uma mão cheia de anos em empregos sem fazer nenhum e têm 30 anos de reformas chorudas pela frente.

    Pago os rendimentos mínimos dos ciganos, alguns recebem dois, veja-se lá. A festa não acaba.
    Pago a Medis, depois de contribuir para a segurança social em trinta e tal por cento.

    Para o desemprego tenho uma teoria diferente. As empresas necessitam produtividade e esta consegue-se, também, pelo empenho individual de cada funcionário. Fosse possível às empresas despedirem os calões e o desemprego poderia tornar-se num motor de produtividade.

    Venha a flexisegurança, seja lá o que for. Pior será custoso.

    Viva a Galp a EDP e PT. Com os preços que praticam, para lá de serem uma cozinha megalómana de tachos, são uma forma dessimulada de roubar, por que o é, mais uns impostos ao Zé-povinho. Vá lá que nestas, não é só a classe média a pagar

    ResponderEliminar
  2. Essa de colar o nosso atraso em relação à espanha a Gaia ,é muito gira!
    Eu diria que Lisboa tem muito mais a haver, mas é apenas a minha opinião!
    Lisboa secou (chupou) o país!
    O LC não sabe que o Socrates já criou muito mais do que 150 mil empregos?
    Se não sabe, vá dar uma volta às obras( e colheitas agriculas) em Espanha desde ayemonte até bilbao e verá que encontra mais de 150 mil postos de trabalho criados, portugueses nos ultimos 2 anos.
    Se não se quer dar a tanto trabalho, vá ver quantos pedidos de legalização laboral de estrangeiros entraram no ultimo ano desde a nova lei da imigração, também são mais de 150 mil, mas neste caso não são portugueses!!!

    há muita matéria para o LC estudar!!! E o anterior comentario do PC já dá umas pistas boas!!!

    Hoje comi um cozido à portuguesa feito por uma ucraniana e estava muito bom!!! e acho que ela não frequentou nenhuma escola hoteleira!

    ResponderEliminar