terça-feira, agosto 28, 2007

Resposta ao Paulo Querido

Há uns dias Paulo Querido comentou assim o meu post sobre a alteração da biografia de Sócrates na Wikipédia:

Luis,
chamo trivialidades às tretas em torno da licenciatura de José Sócrates, a maioria delas serviu mais para chamar a atenção para quem as disse / escreveu do que para o assunto.
A isto chamo simplesmente bloguismo tablóide :)
E é tablóide por dois aspectos.
Primeiro, omite que foram feitas outras alterações a fichas da Wikipedia a partir daquele IP. Como só interessa malhar no Sócrates, nada mais existe.
Segundo, passa completamente ao lado da filosofia da Wikipédia.

Responde-me com a maior franqueza que puderes: achas que se pode falar em censura quando se está a falar de uma página que 1) QUALQUER PESSOA pode editar, apagando o que considere lixo, 2) TODAS AS ALTERAÇÕES ficam registadas para consulta?

Abraço

Paulo Querido

Respondo agora, porque de férias não me apeteceu falar disto, aí vai:

Acho que o Sócrates não faz censura organizada porque nem competência para isso tem. Os acólitos do Poder, muito mais crentes quando o padreca é líder maioritário, fazem esse trabalho num tique subliminar crónico de mentes inferiores. Não acho que a directora da DREN tenha recebido ordem para despachar o Charrua ou a Dona Charrete para de onde nunca deviam ter saído. O meu cão, infelizmente, é muito menos obediente que esta seita burocrática. Seita que paira sobre a sociedade portuguesa e não é exclusivo do PS (Queriam !!).

Agora é um facto que este governo está preocupado com a força da net. O Costa do Castelo ( melhor: do Terreiro do Paço!) tinha um blogue quando era ministro e sabe bem, eu testemunhei, a diferença entre uma entrevista para o impresso ou para a net. A propaganda digital está online com estes tipos. Simplex ! portanto, a troca de frases e conteúdos está a ser feita na net.
Não acho nada que seja obra de blogues tablóides, acho que o preciosismo do governo é ridículo e mata. Podes crer que o teu blogue é visto pelo PS ( ainda te contratam, eheeh!) e que o meu também, pese eu ter a honra de ser visitado por uma alta figura da Nação que o faz por curiosidade, com a qual me sinto muito honrado, mas que me inibe por vezes.
Portanto, estamos todos na rede, e Sócrates, que não acredito que perceba muito de computadores e internet, está atento à coisa.
A credibilidade da Vikipédia vale o que vale, tal como a dos blogues, e dos jornais tradicionais.
Não é a facilidade com que se altera que credibiliza ou não, é o que lá fica e que acaba por se afirmar sério ou lixo.

Abraço.

Luiz Carvalho

PS: E vê lá se escreves o meu Luiz com Z. Esta é para o meu ego ::))))

3 comentários:

  1. Boa resposta !
    No entanto, gostaria que a visita ao seu blogue de tão elevada figura do estado, não o inibisse assim tanto.
    Todo o grande Homem sente um limite quando se inibe perante outro Homem que o impede de ser livre e o subjuga a uma ordem mental que ele considera superior.~
    Eu gostaria que as honras fossem para si LC por ser um livre pensador e deixe lá as honrarias das altas figuras. Se calhar eles invejam-no e você não sabe!
    Força!

    ResponderEliminar
  2. Inibe...é uma maneira de dizer. obrigado e abraço

    LC

    ResponderEliminar
  3. Cada vez mais toda a gente está atenta à internet. As figuras públicas, como o próprio nome indica, devem (ou deviam) ser os primeiro e principais interessados em saberem navegar bem.
    Concordo que a credibilidade não depende da veracidade e sim o que fica, mas fica onde? Na internet tudo fica. A questão é onde vai parar a maioria dos visitantes.
    Peço desculpa de ter escrito o seu Luiz com s num comentário ao blog do Paulo Querido.

    ResponderEliminar