quarta-feira, julho 04, 2007

Vicente Jorge Silva lança revista


Parece inevitável mais um título na imprensa portuguesa. Vicente Jorge Silva que fundou a Revista do Expresso, depois de ter ajudado a fazer o Comércio do Funchal ( o jornal em papel rosa) e que provocou em 1989 a rotura na redacção do Expresso, o que levou ao nascimento do Público, parece estar agora lançado numa nova aventura editorial.
A passagem pela política não lhe foi uma experiência motivadora, Cbou num deputado contrariado e a outra experiência da sua, o de realizador de cinema, não se pode dizer que lhe tenha tambéém corrido bem. Nem correu: o filme conseguia ser mais lento do que um Manoel de Oliveira em câmara lenta.

Homem detalento, é no jornalismo escrito que tem dado mostras desses dotes criativos a dirigir equipas e a fazer jornais.

Vamos ver.

7 comentários:

  1. Que me desculpem o preciosismo, mas...
    "Imprensa escrita"?
    Que alguns políticos e afins o digam, ainda escapa! Afinal, cultura não é com eles.
    Que os comentadores socio-político-económico usem o termo, também não me tira do sério. Afinal, foram eles que criaram e usam o termo "Deslocalizar" a propósito de tudo e de nada.
    Agora que um jornalista o use, desculpem mas é "Dar um tiro no pé"!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Discordo da sua opinião sobre o filme, definitivamente. Claro que posso ter ficado inebriado pelas praias, mas gostei muito.
    fica anónimo para não parecer que é graxa

    ResponderEliminar
  5. Um idealista neste Mundo não vai longe. "As máquinas" acabarão por devorá-lo

    ResponderEliminar
  6. O VJS é um inquieto. Mais 1000 iguais a ele e isto não estava assim.
    Goste-se ou não do "bixo" e antipatize-se ou não, com a sua arrogância, na sua modesta condição de jornalista mexe-se

    ResponderEliminar
  7. imprensa só a escrita e mais nenhuma, o resto é teatro de vaudeville com som ou com som e imagem...para gostos vulgares e analfabetos funcionais

    ResponderEliminar