sexta-feira, julho 13, 2007

Uma estúpida nova lei de imprensa

Temo que vai acontecer com a lei de imprensa o que aconteceu com a Caixa dos Jornalistas: quando menos se esperava o mal estava feito e nunca mais se pôde voltar atrás.

O crime que foi a extinção da caixa dos jornalistas por Sócrates, num arremesso de vingança misturada com a mistela explosiva do populismo, vai ser repetida com a promulgação da nova lei de imprensa: um embuste para os jornalistas e uma forma perfeita do governo poder controlar a imprensa.

Por um lado vai agradar aos sindicatos com aquela disparatada ideia de que uma obra de autor-jornalista não pode ser reduzida nem editada. Era o que faltava ! Quer dizer o jornalista é um autor intocável onde ninguém pode editar um trabalho correndo o risco de vir a ser considerado censor e apanhar por isso uma suspensão, ditada pela comissão de censura ( esta sim de censura!).

Corto uma fotografia para meter em página, um fotografo faz queixinhas – e sabemos como há sempre uns mal dispostos a chatear- e... fico suspenso.
No tempo das plataformas multimédia onde um jornalista vai ter de trabalhar para vários suportes, um editor nem pode adaptar aos meios um trabalho. Se isto não fosse grave dava vontade de rir às cambalhotas.
Isto é feito por gente que não vive nos dias de hoje, que despreza a net, a televisão digital, as novas plataformas que se estão a marimbar nestas palhaçadas e que não precisam tecnologicamente de depender desta camarilha.

É uma lei feita para o passado, para o tempo do chumbo.

Os socialistas que gostam de armar-se em carapaus de corrida com as novas tecnologias não percebem nada. Aliás, Alberto Arons de Carvalho é o bom exemplo da velharia esquerdalha armada em moderna com as tentações controleiras de quem está no Poder e sonha instalar os tiques revolucionários de quando eram jovens do reviralho. São os novos velhos instalados.

Depois a questão de se ter de revelar as fontes em casos de interesse público é pôr os jornalistas a bufarem e a ajudarem a resolver investigações em que a policia demonstra ineficácia. ( Não sei se já notaram que a Judiciária está a ser extinta).

Oxalá não seja demasiado tarde quando acordarmos a sério para esta questão.

Sem comentários:

Enviar um comentário