quarta-feira, março 10, 2010

O regresso do P(R)EC

Claro o país está de tanga. Estes socialistas e aqueles neo-liberais foram escavacando tudo à volta. Destruíram as empresas, delapidaram a classe média, passaram diplomas a analfabetos, licenciaram espertos ao domingo, promoveram a ascensão de uns amigalhaços, enfraqueceram a comunicação social, marimbaram-se no futuro. Governaram o país como se fossem uma agência de comunicação.

O primeiro-ministro vestiu agora o fato do cobrador do fraque e vem meter a mão nos bolsos de quem trabalha por conta de outrem.

Paga quem tem e quem não tem. Vai pagar quem vive no limiar da pobreza e vai irritar quem tem um rendimento de trabalho elevado, de certeza devido ao mérito e à excelência.

Não deve haver um ladrão que declare 150 mil euros por ano ao fisco. Só um tipo sério é que vai declarar tal quantia ao fisco. Quem tem empresas pode pagar IRC mas nunca irá receber tal quantia em sede de IRS. Além de parvo era ignorante. E um tipo desses não podia ser um bom gestor. Portanto: mais uma vez paga quem ainda pode, mas agora a novidade é que qualquer teso vai ser penalizado na carga fiscal. É chique.

Imagine-se a conversa no autocarro da manhã com os operários a discutirem a forma de fugirem ao fisco ou de receberem o salário de fome através de uma off-shore!!!

Claro que as medidas são mínimas para resolver a crise instalada nos últimos anos de delírio socialista. Andámos a pagar milhões por uma merda de Magalhães mas agora não podemos deduzir no IRS grande parte do nosso salário gasto com a escola dos nossos filhos.

Por exemplo:os 400 milhões que vamos gastar para calar os professores corresponde a quanto desta verba não dedutível no IRS? E podíamos ir por aí fora.

6 comentários:

  1. acho que se esqueceu de dizer que os "bandidos" dos funcionários públicos são os culpados disto tudo.

    sugiro que faça uma adenda ao post.

    JJ

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo !

    Claro que não sou professor, funcionário público ou tenho a minima hipotese de não declarar o que quer que seja ao IRS ...

    A questão é que nunca me iludi com créditos ou viver acima das possibilidades ... e até fiz algumas parecas poupanças em sede de PPR fazendo figas quee o banco não leve o caminho do Lehman Bros. mas claro que agora levo pela mesma tabela ...

    ResponderEliminar
  3. Mas a culpa disto tudo é dos funcionarios publicos!!!e claro dos professores, gandas malandros!!!!!!!!!!!!!!!!!!ganham tao bem que conseguiram arruinar o PAÍS.Vamos a eles, bora.

    ResponderEliminar
  4. ..."vai irritar quem tem um rendimento de trabalho elevado, de certeza devido ao mérito e à excelência"Esta é uma pérola!

    ResponderEliminar
  5. Já chega de desvalorizar (ou sobre-valorizar economicamente) os professores! Os F.Públicos são sempre os "suspeitos do costume". Gostava de saber quanto ganha o Luiz de Carvalho como fotografo do Expresso?!... E se tem que aturar o despotismo da recente figura criada por este governo - o Sr. director! Cuja nomeação é realizada por maioria de elementos exteriores e que pouco conhecem dos docentes das escolas, como sejam p.ex. elemento da junta de freguesia e/ou Câmaras Municipais!!! Se tem que andar a aturar as crianças cada vez mais indisciplinadas! Ter que fazer de psicólogo, substituto paternal, manga de alpaca/burocrata, marcar o ponto (com 2 tempos por mês como máx. de faltas) de 45 em 45 minutos... por favor, tenho em casa o seu livro: "Portugueses". Aprecio o seu trabalho, tal como o de outros fotógrafos do "Expresso"e Eduardo Gageiro. Apesar de apreciar também os excelentes fotógrafos portugueses "exteriores" ao foto-jornalismo, alguns deles que até tiveram um papel importante como professores, relembro aqui como exemplo: Calvet de Magalhães. Atenciosamente.

    ResponderEliminar
  6. O Luiz de Carvalho é um bom fotógrafo, mas um péssimo comentador político. As suas crónicas só destilam ódio, provavelmente por influência do “guru” Saraiva !
    Faça o que sabe fazer ( e bem) e deixe o resto para quem tem isenção ( que é coisa que o meu caro não sabe onde mora )

    ResponderEliminar