quinta-feira, março 04, 2010

A mama da Função Pública


A greve de amanhã da Função Pública é de um oportunismo e de uma falta de senso totais.

Vejamos: ser-se funcionário público não é a mesma coisa do que ser-se trabalhador por conta de outrem. Eu fui funcionário público 15 anos e sei do que falo. A função pública não é um sector primário produtivo. Não gera riqueza, gera a logística do país. A função pública, ao contrário do que diz o Dr. Carvalho da Silva, não dá lucro. Dá despesa. Os funcionários são pagos com os impostos de quem trabalha e não com os lucros de um qualquer patrão.

Os funcionários públicos têm o emprego assegurado, uma carreira progressiva e benesses como a ADSE que os outros trabalhadores não têm. O exército de funcionários leva a grande parte do orçamento do Estado. A função pública trabalha mal, trabalha pouco, e permite a existência de uma grande trupe de pequenos ditadorzecos de pacotilha, chefes de divisão e outros mangas de alpaca, que alimentam o medo, a pressão, e a influência de quem depende deles.

Há uma mediocridade sustentada ao longo de décadas em serviços obsoletos, inúteis, caros e que empatam a agilidade do país.

Saí há 20 anos do Estado. Trabalhava na Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais como arquitecto. Em 10 anos nunca fiz um projecto com principio meio e fim. Ao meu lado havia um grupo de profissionais excelentes mas que nada faziam. O serviço nem queria que se trabalhasse. Deixei de ter problemas quando passei a dizer que sim a um chefe imbecil e a marimbar-me em propor soluções viáveis. Ele o que queria era que os projectos fossem feitos fora e não pela equipa. Hoje esse serviço continua a existir...e muitos desses colegas ainda por lá pairam.

Portanto, vir agora querer mais aumentos, quando tiveram 4% num ano sem inflação é de uma brutalidade sem explicação. Uma revolta para mim que pago impostos (e bem!) e que este ano abdiquei de uma percentagem significativa do meu ordenado para ajudar a minha empresa.

Claro que muitos destes funcionários entraram no tempo de Cavaco, e Guterres enfiou-os no quadro. E a célebre lei cavaquista da progressão automática na carreira, já nos custou milhões para promover burocratas, imbecis e empatas, independentemente de haver gente de grande dedicação e qualidade.

Mas a grande maioria dos funcionários é um peso pesado na nossa economia, também pela inércia deste governo PS que nunca quis fazer um verdadeiro saneamento dos serviços.

O Doutor Carvalho da Silva acaba de dar mostras de uma total demagogia e de uma irresponsabilidade total.

Depois dos 400 milhões para calar os professores, vamos continuar a pagar para esta gente não gritar? Trabalhem mais e berrem menos.

16 comentários:

  1. Vamos, e ainda bem...é que quando eles pararem de gritar, ACABOU-SE! Percebe? Contratação Colectiva, diz-lhe algo? E já agora, ADSE? Está a brincar? Ela, está destruída por este governo ,não sabia? Qual é a empresa que hoje contratualiza com a ADSE? Não tenha um segurozito, e vai ver no futuro! Aliás, é para aí que caminhamos: CANTANDO E RINDO! E com novos "paradigmas" (que linda “palavrinha", e a outra muito em voga:"colaborador"), ui que bom...certamente palavras importadas da China! Será que não enxerga? O que está em causa são politicas globais…mas quais Reformas Sociais qual cara…eu, como muitos, nascemos numa merda de país onde nunca ouve verdadeira aposentação para ninguém, (só para alguns, o Silva Lopes mais uns Belezas, etc)! Os restantes, desde operários, a homens do campo (PARA ESTES ERA A CASA DO POVO E O PADRECA LÁ DA ALDEIA), nunca tiveram nada. Hoje, para lá caminhamos mas sabe, Sr. Luiz, é tudo “uma questão de hábito”, como me diz a mãezinha.Durou 35 anitos mas tudo têm o seu fim, né?L.R.

    ResponderEliminar
  2. «é de um oportunismo e de uma falta de senso totais»

    Ai é!? Vá pentear macacos, Luís. Sabe porquê. Não? Então, leia:

    É claro que todos sabemos que quem vai pagar a crise somos nós.
    O Luís, que tem que fazer mais uns works shops para ajeitar o orçamento, aos sábados em vez de ir passear com a sua família como bem merece ou ir dar tombos de bicicleta para os lados da Curva do Mónaco.
    E eu, que, apesar de "pro-reformado", continuo a trabalhar que nem um cão.

    Porque há quem cães que trabalham. Sabia?
    E há outros que, empossados em administradores-comissários-políticos, ou seja, de bufos de quem os nomeia, nas empresas do sector empresarial do Estado andam a estoirar com ordenados de mais de 40.000 contos por mês o que você desconta nas avenças e nos recibos verdes, e no vencimento do "Tio Balsemão" que é dos poucos primeiros-ministros decentes que Portugal teve.

    Se o mandasse pró-caralho, olhe que eram bem mandado, com esta postada da treta.
    Mas como sou bem-educado apenas lhe desejo que tenha juízo na carola.

    JJ

    ResponderEliminar
  3. pézinhos n' ... areia4:29 da tarde

    ó senhor inspector não estou a percebê-lo .... francamente ...

    atão num país com 2 milhões de pobres e com quase 700 000 desempregados ... (fora os que ainda não foram contabilizados).... os senhores fp's dão-se ao luxo de fazer greve ?

    nos tempos que correm, esta e qq greve da FP será uma ignomínia para quem não tem um cabrão de emprego que lhe mate a fome....


    Haja vergonha, por favor....
    Vão aos centros de emprego e à segurança social ver a quantidade de pessoas que por lá andam ....TODOS OS DIAS !!!


    Só uma ligeira correcção ao Luiz....


    os fp's tb fazem pagam impostos !
    Logo ....

    ResponderEliminar
  4. É verdade que há gente (do Estado) que trabalha.
    Aliás, há alguns que devem trabalhar muito, para fazer o trabalho dos outros que nada fazem...
    Por isso, os que trabalham não enfiem a carapuça... não devem, pois, ofender-se.

    Agora, que este texto corresponde na integra ao que se passa neste Portugal, não há dúvida nenhuma.

    Trabalho numa empresa privada, estamos desde 2003 sem aumento salarial. Acredite que neste momento a luta pelo salário mensal é imensa (a luta para conseguir encomendas a preços que não sejam da "china").

    Até tenho vontade de vomitar quando perguntam a alguém qual é a sua profissão e a resposta é -"funcionário público".
    Pois... é que isso de funcionário público parece mesmo que é uma profissão.

    Hoje há funcionários cá de "casa" que estão a "perder" o dia de trabalho porque tiveram que ir à escola buscar os filhos e ficar em casa com eles.
    A mim, resta-me o consolo de, apesar de não ser funcionária pública, ter o meu pai que ficou com o meu filho, se não, lá se ia um corte no já magro salário.

    Luiz, obrigada.

    Paula

    ResponderEliminar
  5. «não estou a percebê-lo»
    Não! Eu explico.

    Este país, que a classe política afundou em pouco mais de vinte anos, não precisa apenas de greves. Precisa sobretudo de "porrada".

    Esta treta de malhar nos funcionários públicos, que são culpados de tudo já mete nojo.
    É uma conversa redundante, redutora e miserável.

    O que é pena, isso sim, é que os trabalhadores que não sejam funcionários públicos, como o anónimo acima, não o possam fazer também, para que muitos empresários tenham vergonha de pagar mais por um leasing de um carro (os que os pagam...) do que pagam a empregados que trabalham no duro e com cada vez menos direitos.

    Os culpados da crise não são os trabalhadores, sejam funcionários públicos ou privados, mas uma estrutura dirgente excessivamente pesada para dar emprego político no Estado e um empresariado que só se lembra que as coisas correm mal quando faltam as encomendas, porque, enquanto corre bem, passam a vida a passar férias e os empregados que se fodam.

    Ou será que os funcionários públicos são os culpados de o nosso país ser um dos que a diferença entre os escalões remuneratórios é mais alargada, em que a diferença entre os rendimentos é mais desproporcional.
    O que têm os funcionários públicos com isto, afinal...!?

    Percebeu... ou quer que faça um boneco...!?

    JJ

    ResponderEliminar
  6. João Sequeira6:54 da tarde

    Esta "análise" de Luis Carvalho é de um simplismo que até assusta! E diz-se jornalista, francamente...
    Note bem que eu NÃO sou funcionário público, e conheço muito que nada fazem para lá de manterem o emprego. Mas também conheço muitos no sector privado que fazem o mesmo. isto para já não falar dos RuiPedroSoares e outros chulos do género que por aí andam. É por causa dessa cambada de inúteis que chegámos onde chegámos, não foi por causa da função pública.

    ResponderEliminar
  7. «nada fazem para lá de manterem o emprego»

    E alguns querem fazer e não os deixam, meu caro João Sequeira...
    E olhe que nisso eu sou "catedrático". Sei bem do que falo (mas isso são outras histórias...).

    JJ

    ResponderEliminar
  8. Com este tipo de mentalidade é óbvio que não se vai a lado nenhum!!!Precisamos de crescer como pessoas e como país.Isto de andarmos aqui e ali a arranjar bodes expiatórios é simplesmente sinónimo de pequenez.Eu tenho pena que nao se chamem os bois pelos nomes,pois eles estao sobejamente identificados!Assim não vamos lá.

    ResponderEliminar
  9. pézinhos n... areia10:27 da tarde

    senhor inspector a bélgica um país identico a portugal em numero populacional tem cerca de 150 000 fp's.


    e sabe porquê ?

    porque além de uma organização pública modernizada não tem como Portugal tem, partidos que são agências de emprego.

    Desde o 25A que os partidos são trampolins para entrar na FP.

    Apoias o partido, entras para o Estado.

    Dantes era através da Legião Portuguesa...

    Só mudaram as moscas.

    A merda é a mesma.


    Mas agora há mais mamões


    Percebeu agora ?

    se eu contasse aqui todo o tipo de oportunismo e corrupção que já observei no estado .... ui, ui ....


    É evidente que isto tudo não vai durar muito tempo...

    A grécia é já ali

    ResponderEliminar
  10. Pois,,,, está tudo dito.
    O luiz é Jornalista mas de tirar umas fotozitas e a maior parte delas bastante más...enfim......

    ResponderEliminar
  11. Gostava da saber quanto ganhas, com esses extras de fim de semana que nem toda a gente consegue.
    Sabes por acaso que os profs ensinam e formam o carácter dos teus filhos e netos? Sabes o poder que tem saber ler, escrever e contar e já agora saber línguas estrangeiras ou latim e grego? E achas que os FP (ou os professores) são parasitas? E tu não és? Pensas que só tu pagas impostos? Pois eu pago até talvez mais, porque o que me tiram nem o vejo.
    Não tenhas inveja dos FP...
    Mas de 400 milhões estás a falar relativamente aos profs?
    Eu pensei que fosses um bom profissional, se calhar até nem és...além das fotos também gostas de escrever e insultar os que trabalham com honestidade...
    Candidata-te a seres só professor para veres como é...

    (sou uma pessoa que conheceste)

    ResponderEliminar
  12. (…) basta fazer as contas: um técnico superior da Função Pública no topo da carreira levaria mais de 20 anos a ganhar o mesmo que Rui Pedro Soares num ano. (…)
    Henrique Monteiro, jornal Expresso de 20 de Fevereiro.
    É, segundo o mesmo jornal, 8 vezes o salário do Presidente da República.
    O mesmo que 126 pessoas com o salário mínimo nacional, num ano.

    A deputada Inês de Medeiros quer passar os seus fins-de-semana com a família, em Paris e vai daí, são 1200 € semanais que ela pretende que sejamos nós a pagar. São quase 5000 €, por mês só para viagens.
    Circula na net um texto que refere que esta deputada para além disso, recebe de vencimento, despesas de representação, etc., etc., etc., cerca de 530 €, POR DIA.
    Por dia, ganha mais que um trabalhador com o ordenado mínimo nacional em 30 dias.

    Pelo Distrito de Santarém, também há coisas assim.
    Em Alpiarça, por exemplo a Fundação José Relvas tem um projecto de LUTA CONTRA A POBREZA para desenvolver em 3 anos.
    Dos 525 mil euros, 363 mil são para o pagamento de… 4 técnicos (80% do bolo).
    É muito dinheiro para acabar com a pobreza de 4 pessoas.

    E nós, os tansos funcionários públicos é que vamos pagar, outra vez, todo este jogo de interesses de milhões e milhões a rolar entre amigos e amigos de amigos, tios, irmãos, e outros que tal.
    Vejam este vídeo sobre a Suécia e vejam a diferença.

    Fica-me ainda uma dúvida: quantos Rui Pedro Soares andam por aí?

    http://objectivasubjectiva.blogspot.com/

    Amigo Luiz, sou funcionário público daqueles que trabalha que nem um tonto para ganhar abaixo da média nacional.

    Sabe quanto ganha um trabalhador que anda na rua, à noite, à chuva, a recolher o lixo?
    Sabe quanto ganha um carpinteiro de 1ª? e um electricista? e um canalizador? e um Coordenador Técnico?

    E por fim, quem é que desconte origatóriamente para o IRS? os funcionários públicos, estes de quem falo. Estes nunca podem fugir a isso. Já vem descontado. E para onde vai esse dinheiro? para o BPP? para o BPN? ou para pagar aos Godinhos e aos Varas deste país?

    ResponderEliminar
  13. «O bastonário da Ordem dos Advogados (OA) afirmou hoje que «há pessoas nos mais elevados cargos públicos a acumular fortunas de uma forma escandalosa» e defendeu que «a principal arma de combate à corrupção é o debate político».

    Estão a ver! Mais uma vez a culpa da crise é dos funcionários públicos!

    O Luís de Carvalho, que me desculpe, e ele sabe que não falo assim com a intenção de o ofender, mas, ás vezes, não passa de uma barata-tonta.

    Tem dias que escreve mas não diz nada.
    Ainda, há dias, eu não quis pegar no que ele escreveu sobre a Madeira. Mas pego agora.
    Há para aí um ano ou dois fez aqui a apologia do Alberto João sobre a grande obra na Madeira.
    Há poucos dias desancou aqui sobre a política de urbanização e de ocupação do território do Alberto João.
    É o que pode chamar um cáta-vento a pensar ou a não se lembrar do que escreveu ontem e em que se contraria no que diz hoje.

    Mas vá lá, que até não parece ser mau tipo, este Luís de Carvalho, mas, de quando em vez, sai com cada treta mais redutora que até mete dó.

    Enfim!

    Mas, já agora, fiquem sabendo que o que o Luís de Carvalho abdicou de ganhar na contenção salarial a que aludiu no seu post na empresa onde trabalha que é seguramente mais, ou talvez ande lá perto, que o ordenado da minha mulher, que é funcionária pública há mais de vinte e seis anos e ganha limpos menos de 1.000,00€ por mês, apesar de estar praticamente no topo da sua carreira como administrativa na função pública.

    E o Luís deve ganhar bem mais do que eu, a passear por conta do jornal onde trabalha e a tirar umas fotos, sendo eu um quadro dirigente superior da administração pública e em que o meu vencimento ronda pouco mais que os 2.500,00€ por mês, limpos, também. E sem que eu possa, pelo meu estatuto disciplinar, ganhar mais uns cobres com work shops ao fim-de-semana.

    Há alturas em que mais vale estar calado. É o que eu vou fazer.
    Até porque, a estas horas, devia estar na cama mas levantei-me há pouco por não conseguir dormir.

    E, neste momento, vou começar a trabalhar. De facto, a trabalhar numas coisas em que me ocupo por aqui no computador, nos meus works shops, para ajudar a minha filha no seu trabalho, enquanto mestrada (Pós-Bolonha) em Auditoria e a ganhar uma merda de um ordenado que não chega aos 800,00€ numa empresa privada.
    Enquanto isso, o Luís de Carvalho está a dormir e no fim do mês pode contar com mais de 5.000,00€ limpos do "Tio Balsemão".

    JJ

    ResponderEliminar
  14. "A Grécia é já ali"...ui, eu digo que a China é que é já aqui.senão vejamos: desde que me lembro, sempre houve gritos histriônicos quando que se trata de falar sobre:"QUEM TRABALHA MAIS NESTE PAÍS!".Parece a História da Carochinha: sou eu, sou eu...Tudo puxa por os seus galões.Só que se parece esquecer, que ela é muito "bonitinha", mas, NÃO GANHA MAIS POR ISSO! Aliás, inté, existe gentinha que se diverte a dividir para reinar.A não ser o "AUTOR DA DITA".Percebido? A mim não me agarram por aí, nem pensar! Alguém se recorda da famosa Irlanda, da Irlanda, mesmo da Grécia, há um anos atrás? Eram, ou não, apresentados como o "paradigma" (das, lá vem a merda da palavra), do EXEMPLO A SEGUIR? Viu-se…curioso, neste momento a Comissão Europeia, vai criar ela própria AGÊNCIAS DE RAIGTING.Pois esperem e daqui por uns anos, está tudo a chutar para canto, tipo: as Agências Americanas são uma merda, as nossas (Europeias), é que têm dados certos, mais uma vez enganaram-se e tal… etc.
    Vale uma bejeca? Não?
    PS: Esta pequena nota, embora simples é em memória do tio João (comunista), que toda a vida trabalhou no ARSENAL DO ALFEITE, E ALI MORREU! Quanto a ser-se LEGIONÁRIO …bem, nem merece resposta, tal verborreia.Há pessoas, que deviam estudar um pouco mais sobre o que foi a resistência ao fascismo em Portugal.Tão somente…L.R.

    ResponderEliminar
  15. Tal como em tudo, há excepções à regra mas regra geral os funcionários públicos não fazem nada comparativamente ao privado onde não há cá greves nem afins. Verdade seja dita, muitos ministérios - a começar pela educação, base de uma sociedade - mereciam uma valente limpeza. Venha quem “os” tem no sítio.

    ResponderEliminar
  16. Realmente os funcionários públicos (A CORJA), ainda conseguem fazer "greves e afins"...mas, descansem que já falta pouco para que eles fiquem a saber o que é trabalho! Eu acho que bons, bom era trabalharem, como as empregadas das grandes superfícies (é assim que se diz né?), essas trabalham sem poderem MIJAR...assim sim! Claro, que eu pelo NATAL, tenho sempre peninha das ditas, até porque se enquadra no ESPIRITO, topam? Ó pá, eu tenho coração, ou o que é que julgam? Cabeça, pouca…é mais para por o boné, onde cabe(muito), como sabem, o ciume, a inveja alarve, etc…mas tenho muita fé, ó lá se tenho: aí, quando vier o: “HOMEM QUE OS TEM NO SITIO”…ui que bom! Bem, deixa cá começar já a esticar o “bracinho e a ter a mão bem direita:” Sieg Heil….L.R.

    ResponderEliminar