domingo, outubro 18, 2009

Talibãs eurocráticos e as feras nos circos

Uma das maleitas do nosso tempo é a pressão dos novos moralistas da esquerda, uma espécie de talibãs eurocráticos, sobre tudo o que possa ser politicamente incorrecto. Grupelhos sem representação política nem influência social, acabaram por marcar agendas de partidos políticos, modificarem atitudes de candidatos conservadores, acabaram por impregnar a opinião pública de uma nova moralidade.

Esta gente que vem dos partidecos ecológicos, verdes e de anarquistas com amizades a separatistas e a alguns terroristas, tem tido uma aceitação brutal. O Bloco de Esquerda e o seu sucesso é um dos rostos deste reviralho do século XXI que nos chateia cada vez mais. Querem-nos ir ao bolso em impostos e querem o regresso da licença de isqueiro, através do telemóvel de serviço.

Estes padrecas querem que se deixe de fumar, de haver touradas, de andar de carro, de comer fritos, de comer carne vermelha, de bebermos aguardente caseira, proíbem a ginginha e o vinho tinto...e agora conseguiram que começassem a ser proibidos os animais selvagens nos circos.

É verdade que há circos onde o tratamento dos animais é desumano. Os bichos têm um ar infeliz, devem passar fome e duvido que não sejam castigados para desempenharem a medo o seu número. Mas também há empresas que tratam mal os trabalhadores, os despedem e os deixam a passar fome e não será por isso que se vão acabar com os trabalhadores ou com os patrões.

Esta lei, sobre os animais do circo não poderem voltar a procriar, e a proibição da compra de novos, é uma violência para aqueles que fazem do circo um espectáculo digno, profissional, e que respeitam a integridade dos animais. Um homem como Vitor Hugo Cardinalli, que sempre teve espectáculos de grande qualidade, por exemplo, não pode ver condenado o seu circo só porque há outras empresas que não respeitam as regras humanas do tratamento animal.

Acabar com os animais no circo é uma estupidez total. Só uma Europa burocrática, que fabrica leis feitas por uns deputados desligados das realidades nacionais, pode aprovar destes crimes contra a cultura popular.

É evidente que o Mundo não é perfeito. Se a vida fosse casta e pura como querem estes ayatollahs ocidentais não haveria nem touradas nem putas, nem ricos nem pobres, nem não -fumadores a levarem com o fumo dos outros, nem mariquinhas a inalarem CO2, nem cães a ladrarem, nem a polícia a facturar nas rotundas, nem um agente técnico a armar-se em arquitecto, nem um primeiro-ministro medíocre a ser reeleito pelo povinho, nem nada.

O Mundo não é perfeito. Felizmente que o não é. O tédio seria insuportável e estes estudantes de bons costumes eurocráticos uns ditadores como nunca vimos.

7 comentários:

  1. Acho este post um tremendo erro!
    Os animais não são objectos nem biblôs de escritório para se fazer deles o que bem entedemos.O facto de serem selvagens, desde logo deduz, que não são domesticáveis, como os senhores dos circos querem fazer passar. O que mais prejudica é o facto de os seres humanos acharem-se donos e senhores superiores aos animais e que, por isso, podem fazer o que bem entendem deles.
    Acho ridículo o uso de animais para fins culturais, sejam eles populistas ou não.
    O facto de relacionar patrões e trabalhadores como forma de argumento, não tem ponta de credibilidade. Até lhe dizia que existem pessoas piores do que animais.

    Mas enfim, são pontos de vista diferentes.
    cumprimentos.

    ResponderEliminar
  2. É um ponto de vista o da Filipa. Mas se não fosse o Homem os animais, mesmo os selvagens, não sobreviveriam. Há atrocidades inaceitáveis, monstruosas,mas a preservação das espécies tb. passa pela acção do Homem "civilizado".

    O Mundo não é perfeito. Mas não serão os demagogos e torná-lo melhor.

    LC

    ResponderEliminar
  3. Obrigadinho Luiz,eu vou já comprar umas garras e uma juba e amanhã, sempre quero ver a fronha do meu patrão...e,ops..em vez de picar o ponto,
    arranho a peidóla ao HUMANO/CIVILIZADO, do Sr Esteves!!A sério,eu quando me levanto cedinho sempre me senti uma BESTA...não sabia era que
    era SELVAGEM!!!AI,AI,será que existe algum subsidio para o gatinho?Eu prometo ser muito "civilizado". L.R.

    ResponderEliminar
  4. No fim do dia o trabalhador "explorado" vai para casa... o Tigre vai sentir a jaula... Custa-me perceber chicotes e "integridade" do animal... será que eles curtem todos uma cena de sado-maso...

    ResponderEliminar
  5. O que eu gosto mais no seu post é «nem a polícia a facturar nas rotundas».
    Embora não veja o que é isto tem com a ver com a lei que protege os animais.
    Mas isto sou e que, ás vezes, tenho inteligência de camelo.

    Mas como tal é escrito por um fotojornalista que, porventura, nem «como arquitecto conseguiria ter o talento de alguns agentes técnicos», então, já compreendo.

    Tome juízo, Luís... Se quer ver animais no circo, dou-lhe uma sugestão, vá para lá fazer de "macaco".

    Espero que não se ofenda, mas esta é a forma mais civilizada que encontro para comentar aquele do seu despropósito num post cujo conteúdo até faz algum sentido, porque eu não gosto que tratem mal os animais mas também não gosto de leis fundamentalistas, como me parece ser o caso.

    JJ

    ResponderEliminar
  6. Só me dei conta de muita coisa quando saí do país. E uma dessas revelacoes foi que, incrivelmente, os melhores espectáculos de circo a que assisti nao tinham animais selvagens. Ora para quem sempre viveu a ir ao circo Cardinalli (era o melhor que havia no meu tempo, agora sei que o sr.Cardinalli é uma besta de pessoa) foi uma extraordinaria descoberta. Foi tambem fora de Portugal que verifiquei a informacao sobre o tratamento destes animais de circo, informacao que parecia do conhecimento de todos, menos do meu, pois em Portugal o mau trato a animais é ainda visto como um mal necessario ao nosso divertimento. Preferimos, como em muita coisa, nem saber. Hoje em dia nao ponho os pés em circos com animais selvagens. Nao preciso, o mundo está cheio de espectáculos de circo extraordinarios que nunca mais vou esquecer e excuso de me chatear com pesos de consciência (mas isso só os tem quem tem consciência).

    ResponderEliminar
  7. daniel tecelao8:54 da tarde

    Se o mundo fosse perfeito,não leriamos este post,é um naco de demagogia temperado com devaneio psicótico,enfeitado com raminho de preconceito reaccionário.
    Era o que faltava que a humanidade não evoluisse e não fosse criando novas moralidades.

    ResponderEliminar