segunda-feira, julho 20, 2009

A chegada à Lua vista da minha janela


Há 40 anos resisti a não adormecer para poder ver em directo a chegada do Homem à Lua. Tinha 14 anos, morava no Bairro de Alvalade, Lisboa, andava no Liceu Padre António Vieira e a vida era austera, controlada, rigorosa. Ia de gravata obrigatória para o liceu, onde predominava uma disciplina rígida, em casa o ambiente era muito idêntico ao que a série "Conta-me como foi" retrata tão bem.

O Mundo era já um vulcão e nós por cá sabíamos da guerra em África, de uns tipos que andavam a bofar e de uns vizinhos, e colegas, que de vez em quando desapareciam e voltavam de cabelo rapado.

A chegada à Lua era mais importante do do que o anual Festival da Eurovisão. A RTP era uma televisão parca e solene e tinha em figuras como José Mensurado um dos pivots mais competentes e populares. Fazia reportagem em África, entrevistava a Amália no Face- a -Face (acho que era assim o nome) um programa de entrevistas muito moderno, com uma realização jogando com planos fortes, contra-campos, plongés, só com desenho de luz contrastada.

Há 40 anos foi o mesmo José Mensurado a fazer o off da chegada à Lua. Jamais me esquecerei dessa noite. Penso que terá contribuído muito para o meu gosto pelo jornalismo, pelo directo (sempre quis fazer televisão) pela emoção. Era um tempo simples mas que nos dava acontecimentos que acabaram por marcar as nossas vidas.

Hoje o José Mensurado vive em frente à loja dos meus pais em Alvalade (ainda hoje avistei o seu belo Mazda Mx5) e podia estar, se vivesse noutro país, a apresentar como sénior um grande programa de informação, como o faz tão bem o 6o minutos.

Fica-nos a memória dessa bela noite de Verão.

Sem comentários:

Enviar um comentário