sexta-feira, agosto 08, 2008

O direito à preguiça


A meio da manhã o meu Iphone avisou-me que tinha um SMS da SIC a contar do assalto a um banco com reféns. Voltei a guardá-lo na pequena mochila onde mal o ouço. De férias só o mantenho ligado por causa da família e porque fico inquieto por pôr a hipótese que algo muito importante do trabalho me pode fazer chamar. E acaba sempre por acontecer. Hoje decidi nem notícias ver, até porque o maior concorrente da SIC N é o Canal Panda e a Playstation2. Tenho um filho com 6 anos ! Por isso ainda dei uma volta num Chevrolet com um motor de fora com 12 cilindros pela baixa de Los Angeles, fui perseguido pela polícia, fugi e escapei saltando de um viaduto para uma das inter-estaduais e regressei à sombra da laranjeira retomando um tranquilo livro sobre o budismo e depois retomei a biografia do HCB. Fiquei um dia muito out, com alguma música barroca.
O meu Óscar faz-me companhia a meus pés (o Óscar é o meu cão!) e ainda mergulho com o meu filho e a minha mulher na água quente do tanque (um termo mais democrático para usar em vez de piscina, pois nem se trata bem de um artefacto desses, e não me posso esquecer que este concelho é dos mais tradicionalmente comunistas. Apesar de não se notar).

Enfim um dia sem sinais do exterior. Uns amigos vieram de Lisboa e em vez de novidades trouxeram uma excelente carne de picanha e o meu filho André apareceu num documentário na RTP N sobre surf onde ele trabalhou como fotógrafo. Fico sempre estranho ao ver as aventuras do meu filho surfista porque eu nem nadar sei. Portanto: impossível eu ir algum dia surfar com o Nuno Lobito como um pândego sugeriu. Os dias na aldeia são bons quando a aldeia trabalha e os putos da música techno não aparecem nos seus AX's ou a cãozoada da caça, guardada em galinheiros desumanos, é solta ao fim do dia para desentorpecerem as canelas.
Mas quem julga que a vida no campo é sempre um sossego, desengane-se: por vezes há mais stress do que na cidade e quando o vento sopra a fritadeira alentejana transforma-se no deserto do Sara.
O pior mesmo é a internet lenta.

1 comentário:

  1. Elá! Esse iphone tem ainda por cima é vidente, recebe as notícias horas antes delas acontecerem. Então se o alerta do assalto foi dado às 15h e o iphone já sabia que ele ia acontecer a meio da manhã...

    ResponderEliminar