domingo, janeiro 06, 2008

O libertino passeia-se no Céu

Luiz Pacheco fotografado por Luiz Carvalho, na Feira do Livro em 1979.

MORREU LUIZ PACHECO

A morte do Luiz Pacheco, e do Mário Cesariny, é o fim de uma geração de intelectuais boémios, anarcas, desalinhados, que viveram no limbo da marginalidade e usaram as fragilidades da vida para alimentar o talento. Com eles a palavra libertinagem ganha toda a plenitude e a inquietação e a irreverência tornaram-se acção.

Conheci o Luiz Pacheco nos anos setenta na Livraria Opinião, no Bairro Alto. O Hipólito era então o gerente da livraria-galeria-bar e com a sua militância intelectual e de vida apresentou-me a figuras que acabaram por marcar o meu percurso. Foi lá, por exemplo, que conheci o Augusto Cabrita, o Batista-Bastos, muitos outros.
O Pacheco pairava pela Opinião, na Cervejaria Trindade, no Restaurante A trave, atormentando todos e todas com uma disposição irreverente, constante.Era um provocador permanente, nato, um desatino. Foram muitas as vezes que fugi dele para não ter que o aturar, principalmente quando vinha com os copos, o que era constante. Lembro-me de uma cena que me horrorizou dele a meter nos bolsos do casaco o resto do almoço!!! Demasiado para a minha camioneta ! Gostava dele mas não tinha pachorra para aqueles exageros, mas eu sou muito conservador.
A sua presença abanava a tranquilidade e muitas vezes nas piores alturas. Mas todos gostávamos dele. Como dzia algué, " era um cabrão de quem se gostava!".
Era uma surpresa constante, com o que dizia e sobretudo como dizia. Por vezes as palavras eram tão entremeladas que já nada se entendia.
Na altura confesso que nos meus vinte e poucos anos nem me apercebi da dimensão da sua obra se não mais fotografias teria feito dele, mesmo assim, guardo algumas inéditas da época. Uma delas é esta aqui publicada feita na Feira do Livro.
O fim dos anarquistas num tempo em que os medíocres abundam.
O Luiz Pacheco vai de certeza contaminar o Céu !

Corpo do escritor será cremado terça-feira

VER MAIS LUIZ PACHECO A VIDA Á SOLTA

12 comentários:

  1. A "libertinagem" é tantas vezes uma atitude de lucidez, as loucuras nas quais suportamos os nossos equilíbrios. Todos nós.
    Tenho muita admiração por estes libertinos e o que escreveu é um retrato perfeito de certas emoções.

    É por estes posts que lhe saem de vez em quando que não resisto a vir aqui guardar "... nos bolsos do casaco o resto do almoço...".

    Parabéns pelo "retrato".
    E este meu comentário, escrito por um bófia, até parece mentira. Mas não é.

    ResponderEliminar
  2. Estamos todos mais pobres, mais um que se foi,este Portugal está a
    ficar triste, cheio de PUREZA e com
    falta de pessoas deiam um soco num
    sistema do politicamente correto.
    Olha julgo que neste momento deve de estar a fazer uma BELA MIJADA E
    A TENTAR ACERTAR AQUI NO RETANGULO!

    ResponderEliminar
  3. morenocabeleirero6:00 da tarde

    Fui apanhado de surpresa por este post.:(
    Lembro-me do sacana do Luis no café Convés ao Saldanha, depois do trajecto pelo Monte Carlo, a vender livros a 20 escudos.
    Lembro-me dos ódios que tinha ao Fernando Namora e ao Virgílio Ferreira.
    Lembro-me do sobretudo à Mourinho, sujo de sujo de tanto sujo.
    Lembro-me do Luis em Setúbal.
    Lembro-me do Luis.
    Menos mal que se foi. Já merecia, antes de ser "interditado" pela ASAE.
    Xau Libertino, passeia-te no Inferno!

    ResponderEliminar
  4. na o Licas foi pró céu ter com o Cesariny e estão a cuspir cá pra baixo

    ResponderEliminar
  5. iconoclasta9:11 da tarde

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. e eu que pensava que o JS dobrava o pijaminha !!!!

    :-))))

    É pena que estes ícones da Loucura nos vão deixando.
    Começa a faltar "loucura"....
    E a sobrar muito pensamento formatado e politicamente correcto.

    ResponderEliminar
  7. O maior escritor (Português) do século 20.

    ResponderEliminar
  8. Viva Luis !

    Na livraria 'OPINIÃO', lembro-me de ver uma exposição sua, não sei se seria a sua 1ª, prefaciada pelo poeta Carlos Mota de Oliveira.
    Abraço

    Ana

    ResponderEliminar
  9. Era prefaciada pelo Carlos Mota de Oliveira ? Não me lembrava mas era essa expoisção, a minha primeira depois de uma feita noPadre Ant Vieira.
    LC

    ResponderEliminar
  10. Eu quero manifestar a minha ignorância pelo trabalho deste Escritor e pelo próprio!
    Eu nunca tinha ouvido falar do homem!
    Fui fazer umas buscas aqui na net e o que resultou foram coisas esquesitas relacionadaS COM PEDOFILIA E hOMOSEXUALIDADE!

    O homem terá sido mesmo algum génio?

    ResponderEliminar
  11. na o licas não se metia nisso, os livros é que o sodomizavam e o pedofilizavam...veja lá ó ignorante que teve 8 filhos, seja lá como for contribuíu para a continuação da espécie de androides à qual pertenceu.
    E olhe ainda bem que vce nunca ouviu falar do Pacheco, ele trabalhava só para quem gostava de Ler.
    Você é mais de remoer....ahahahah

    ResponderEliminar