quinta-feira, dezembro 06, 2007

Portugal sempre a pagar e a ver África

Todos os dias sentimos o garrote da proibição de qualquer coisa ou de mais um pagamento extra por conta.

Nas últimas horas soubemos que vamos pagar ainda mais pela taxa Euribor, embora o Banco Central Europeu tenha decidido manter o juro em 4 por cento ( alguém explica porque vamos então pagar mais pelo empréstimo à habitação ?).
Vamos pagar pelos sacos dos supermercados, vamos pagar mais pelo contador da electricidade, vamos pagar mais porque afinal a taxa de inflação vai ser para 2008 de 2,6 segundo a OCDE e não de 2,2 como diz o governo.
Os funcionários públicos vão passar a descontar para a ADSE nos 13º e 14º mês.
Isto só em meia dúzia de horas, e há outros aumentos de que não me recordo para citar de cor.

Vamos deixar de fumar em todo o lado menos na rua e de certeza que o tabaco aumentará ainda mais em nome da saúde.
O governo vai instalar cem radares fixos nas estradas, logo passaremos a conduzir no meio da planície alentejana com o pé leve na tábua e com o cartão multibanco na algibeira para pagarmos na hora a multa a um UMM da GNR escondido debaixo de um chaparro.

E no entanto, o povo move-se.
Move-se por Àfrica, manifesta-se pelo continente abandonado pelos países do Norte e autoflagelado, por uma casta de dirigentes que nos anos sessenta correram com os colonialistas em nome da liberdade e da democracia, e instalaram regimes sanguinolentos sem o mínimo respeito pelos povos.

A verdade é que em nome dos sacrossantos princípios democráticos se têm cometido as maiores barbaridades. A democracia está a transformar-se num monstro cínico que usa uma ideia universal para corromper e fazer pagar caro aos povos bem crentes.

Veja-se Timor e a desgraça que foi. Por isso quando hoje ouvi a deputada Ana Gomes falar em democracia para África lembrei-me do seu fervor em Timor- que eu acompanhei a seu lado- e já não senti empolgamento. Apenas desapontamento.

4 comentários:

  1. Sandra Rocha (http://lenteoculta.fotosblogue.com)10:18 da manhã

    Aumentos, aumentos... são as únicas promessas que cumprem.

    Mas oh Sr Luiz porque razão os funcionários públicos não descontam ou não descontavam no 13 e 14 mês? Nós no privado sempre pagamos 11%x14 meses e vocês 10% (acho que é assim)x12 meses, vocês são trabalhadores de 1ª e nós de 2ª?
    Por causa dos funcionários públicos é que o país está assim, porque só se sente penas dos pobres funcionários públicos.

    Colonização: porque razão tivemos necessidade de tirar e ocupar aquilo que não era nosso? Tudo bem que esses países são mal governados mas há tantos. Também gostava que alguém chegasse a sua casa e se instalasse e fizesse da sua familia escravos? Acho que não.

    ResponderEliminar
  2. "Somos todos parte do problema, tb somos culpados disto tudo, com o nosso belo estilo de vida,"Ocidente tudo na boinha", mas ninguém quer andar de cavalo pra burro por isso caminharemos para o fim.Ao menos que seja alegremente a gastar cheta o mais possível.Pensava que Portugal era um país pobre...mas ontem fui ali aquele CComercial e nunca vi consumismo como aquele carros bué e de luxo malta a comprar tudo quase nem se podia respirar etc. Pena é que a fotografia portuguesa contemporânea seja pobrezinha old fashion "

    Martin Parr, em Lisboa texto adaptado da entrevista ao Público

    ps; tive de adaptar a coisa porque os jornas do Público escrevem mal sem graça sem verve a começar pelo chato do VPV que pegou a doença ao MST ahahahahahah

    ResponderEliminar
  3. Aumentos? Bah, isso a nós não nos faz mossa! Venham de lá esses aumentos. E em vez de 5 cêntimos por saco deviam ser 5 euros. Com apartamentos no Estoril Sol Residence a custarem mais de 8 milhões de euros e ainda antes do hotel estar demolido já estarem mais de 60% vendidos, só podemos estar num país de gente rica!
    Radares fixos? Isso para que o pessoal que compra Ferraris possa testar a velocidade dos carros.

    É natal, é natal, toca a rebentar com os cartões de crédito e a contrair empréstimos para pagar as dívidas dos mesmos!E depois vai tudo para o Brasil e para a Madeira para a passagem de ano.
    Aumento de impostos? Venham eles que o português gosta!

    ResponderEliminar
  4. Tanto se fala nos direitos humanos e de democracia. É romântico!

    Num país , onde os miudos eram e são violados todos os dias nos colégios publicos!

    Onde, nos hospitais os doentes ficam à espera 5 anos por uma consulta. Nos Hospitais e centros de saude , onde as multinacionais operam às claras para impingirem seus farmacos com premios de viagens e outras despesas corruptas.
    Onde , a Justiça funciona sem qualquer interesse de fazer justiça.

    Onde a policia esconde-se para multar as pessoas à má fé.
    As estradas são feitas sem respeitarem as normas minimas de segurança, e matam silenciosamente!

    Os dirigentes nacionais não querem resolver estes problemas ,como é que querem resolver os problemas em Africa?

    O que eles querem de Africa , sei eu!
    Querem garantir o petroleo o gás, a madeira, os diamantes , a madeira, o manganés o aluminioe sobretudo o plutonio e o uranio! e sobretudo muito barato!

    E como a china mexeu-se e tem feito grandes negocios em todo o continente , os europeus ficaram para trás e agora vêm com essa tanga dos direitos humanos!

    Deixem de trocar armas por petroleo!

    ResponderEliminar