segunda-feira, dezembro 03, 2007

O padrinho Eanes defende Pinto da Costa

Ramalho Eanes considera «pouco razoável» a detenção de Pinto da Costa no âmbito do processo «Apito Dourado», atendendo a que o presidente do Futebol Clube do Porto «se apresentou voluntariamente no tribunal».

No depoimento por escrito que enviou ao Tribunal de Gondomar, onde na terça-feira começa a ser julgada a acção de Pinto da Costa contra Estado português por alegada detenção ilegal, o antigo Presidente da República refere:

«Não conheço a situação que precedeu a apresentação de Pinto da Costa no Tribunal de Gondomar. Abstraindo disso, parece-me pouco razoável que se proceda à detenção, que se guarde à vista com dois inspectores, quando ele, Pinto da Costa, se apresentara voluntariamente no Tribunal»/ Portugal Diário

PS: Ramalho Eanes é padrinho de casamento de Pinto da Costa

6 comentários:

  1. O Eanes era aquele que sobre a Casa Pia , não sabia de nada, não era?

    ResponderEliminar
  2. Não, foi aquele que perdoou o major e o re-integrou no exército depois de este ter sido expulso por "desviar" pequenas coisas do exército durante a guerra colonial.

    ResponderEliminar
  3. "pequenas coisas"...!
    Há quem diga que foram carradas de batatas.

    (Agora vou anónimo e escrevendo o comentário junto ao televisor para baralhar o IP...
    "dasse" que o major é perigoso...
    "quantos são, quantos são"...

    ResponderEliminar
  4. Bolas, afinal, não fui anónimo.
    Isto é que está aqui um bom artolas este js...

    ResponderEliminar
  5. E aqueles negocios que nunca se clarificaram !

    ResponderEliminar
  6. E foi MESMO ao casamento ou foi padrinho por escrito?

    ResponderEliminar