terça-feira, dezembro 04, 2007

Birra de PSD em Lisboa por 100 milhões

PS e PSD chegaram a acordo em relação ao empréstimo para saldar as dívidas a fornecedores da Câmara de Lisboa. A solução de encontrada levou a uma cedência das duas partes, que resulta na aprovação de um empréstimo de 400 milhões de euros, menos cem milhões do que os inicialmente propostos por António Costa.

3 comentários:

  1. Mas qual «cedência das duas partes» qual c...
    Obviamente que se tratou de mero jogo político.
    Um oferecendo mais para dar espaço (político) para o outro contra-propor menos, mas dentro do que já estava combinado por debaixo da mesa.
    E assim ficam ambos bem no retrato... do bloco central, garantindo a repartição dos interesses e dos tachos.

    Dááááá´...!

    ResponderEliminar
  2. Eu pergunto:
    1-Se os 400 000 000€ , são só para pagar facturas vencidas, eu pergunto quem autorizou as obras sabendo que as não podia pagar?
    2- Que garantia real, apesar de ser o banco do estado, a CGD, recebeu da câmara em caso de incumprimento?
    3- Se a câmara não conseguiu negociar as dividas com os seus fornecedores, sobre os quais tem maior poder negocial e sobre verbas substancialmente inferiores, como é que vai suportar um serviço de divida desse brutal valor?
    4-Irão as receitas da cidade subir assim tanto?
    5-Em momento de crise global, que valor poderão encaixar na venda de patrimonio velho e degradado?

    6-Será que o facto de o Governador do BdeP ser do PS,facilitará a operação, com a CGD a facilitar as escorregadelas e deslizamentos tão caracteristicos das finanças do estado! E sendo emprestimo,não entra para divida publica!
    E aguenta o deficit!
    7-Terá este assunto a haver com o futuro aeroporto.
    8-O que o PSD ganhou ou evitou perder,no presente e no futuro?

    ResponderEliminar
  3. Tenho um projecto de obra metido na CML, para uma vivenda no Arco-do-Cego já com arquitectura aprovada e todas as especialidades entregues há mais de três anos. A CML só precisa de emitir a licença de construção para receber o dinheiro. Então não tem dinheiro e não cobra? Será que o dinheiro que a CML precisa é para pagar aos marajás que andam por lá a roçar o rabo pelas paredes e que fazem que o município de Lisboa tenha mais funcionários que todos os tribunais do país e mais do dobro que a camara de Madrid?

    ResponderEliminar