segunda-feira, novembro 19, 2007

Greve ao esterco o povo vencerá !

Chamar Valorsul a uma empresa que trata de lixo já não é por si uma grande ideia.
Os trabalhadores fazerem greve à recolha de merda já me parece uma coisa mais válida.
A polícia entrou a matar pelas instalações e mexeu ainda mais...na merda. O ministro veio logo falar, com aquele seu tom de falsete à Salazar, que a intervenção foi para garantir segurança e deixar circular quem o queria fazer. Se foi por isso tem razão, mas umas boas sovas de raspão num ou noutro grevista, por erro técnico claro, também está bem. Só se perderam as que caíram no chão e a polícia também tem de intimidar a malta.

Não tenho posição sobre esta greve à recolha de lixo. Nem na retrete. O que sei é que aquilo é uma profissão que a ASAE devia fiscalizar, nomeadamente para ver se as regras de higiene e saúde estão a ser cumpridas. Máscaras, luvas, roupa apropriada etc. Falo a sério.
Depois, verifico aqui no meu Concelho de Cascais, que o lixo passou a ser recolhido à hora em que vamos trabalhar e as crianças para a escola. As empresas de recolha agora são privadas e lá vem o critério do mais barato (que não quer dizer o mais eficiente e bem gerido!).

Com Lisboa e arredores afogada em esterco, a paisagem urbana começa a revelar a nossa verdadeira vocação: nem a merda já queremos recolher e o país que se afunde.

6 comentários:

  1. Este nosso ministro Rui Pereira , veio para fazer um trabalhinho que eu acho que o seu antecessor não teria coragem de o fazer.Dar porrada!
    Não vejo vir nada de bom com este ministro! Fala muito em democracia para justificar tudo!
    Acho que vem proteger o Socrates!
    Manifestaçõs,porrada na rua , descontentamento popular e outrss situações são para este ministro peanuts!

    ResponderEliminar
  2. um antigo ditado circulava ( não se ainda circula baixinho) pela Europa sobretudo no século XVII e XVIII

    Reza assim:
    " Os espanhóis parecem sábios e são loucos,os franceses parecem loucos mas são sábios, os italianos parecem e são sábios mas os portugueses nem parecem nem são sábios "

    ResponderEliminar
  3. «A polícia entrou a matar pelas instalações e mexeu ainda mais...na merda»

    Não sei quais as imagens onde o Luís foi retirar estas conclusões.
    Se foram as que eu vi, não posso estar de acordo, porque o que eu vi foi polícias a serem mandados ao chão e com o cacetete escondido entre... as pernas.

    Eu sugeria mesmo era que as polícias devam passar a "entrar" aos beijinhos...
    Mas, depois, lá estará aqui o Luís a chamar a bófia de panascas.

    Haja paciência...!

    ResponderEliminar
  4. Talvez não fosse má ideia o Luiz fazer uma reportagem sobre como se trabalha no meio da "cáca" produzida por todos nós.

    Eu conheço. Fiz um estágio de um Curso a propósito....

    E digo-vos, é de ficar com o cabelos em pé, de ver a falta de condições de segurança e higiene com que trabalham estes trabalhadores. Uma actividade tão pouco considerada e tão importante.

    Eu gostava de ver o que aconteceria se em todo o País, paralizasse a recolha de resíduos urbanos !!!! Só no caso da VALORSUL, dois ou três concelhos produzem 400 TONELADAS de cáca, diariamente.

    De facto, é uma das actividades profissionais, que agrega praticamente todo o tipo de riscos profissionais.
    É uma actividade em que se ganha miseravelmente, tendo em conta, o grau de riscos de saúde.

    Só nas autarquias, este assunto dá pano para mangas.

    enfim ...

    ResponderEliminar
  5. Eu acho "merda" uma palavra muito pouco apropriada.

    ResponderEliminar