segunda-feira, outubro 22, 2007

Jardim paga mas não se demite

Jorge Jardim Gonçalves pagou ao BCP a divida do filho, Filipe Gonçalves, no valor de 10 milhões de euros e irá manter-se à frente do Conselho Geral de Supervisão do maior banco privado português.
O PÚBLICO não confirmou o pedido de demissão do fundador do BCP, um rumor que correu ao longo da tarde. Jardim alega que desconhecia que o crédito do filho tinha sido declarado incobrável pela gestão do banco, tendo apenas tomado conhecimento desse facto recentemente. O ex-presidente do BCP defende ainda que não beneficiou directa ou indirectamente dos empréstimos concedidos a Filipe Gonçalves, razão pela qual considera o financiamento “regular”.

3 comentários:

  1. «Jardim alega que desconhecia que o crédito do filho tinha sido declarado incobrável pela gestão do banco, tendo apenas tomado conhecimento desse facto recentemente».

    E eu gasto uma fortuna no dentista e mesmo assim já não tenho a dentadura completa..., para bom entendedor, que eu não sou "mentiroso".

    ResponderEliminar
  2. Eu penso que ele não sabia é dos empréstimos, e isso, acredito.

    O desconhecimento dos incobráveis...
    10KK€ não são trocos, nem no BCP nem em lado algum! (talvez nos cortes do OE.)

    Grande tanga!

    O BCP tem que ser um ninho de víboras.

    A começar, os que emprestaram o carcanhol ao filho.
    Seguem-se os que não informaram o pai;
    os que acompanharam os investimentos ruinosos do petit, calados...
    os da amnistia;
    os conselheiros na condução deste caso(nem o veneno do MRS faria pior!)

    Eu se fosse o "velho" Jardim punha-me ao fresco. Definitivamente, esta foi de tirar o chapéu.

    Há que render à evidência!
    O homem já não tem rins para tal!

    ResponderEliminar
  3. Eu penso que ele não sabia é dos empréstimos, e isso, acredito.

    O desconhecimento dos incobráveis...
    10KK€ não são trocos, nem no BCP nem em lado algum! (talvez nos cortes do OE.)

    Grande tanga!

    O BCP tem que ser um ninho de víboras.

    A começar, os que emprestaram o carcanhol ao filho.
    Seguem-se os que não informaram o pai;
    os que acompanharam os investimentos ruinosos do petit, calados...
    os da amnistia;
    os conselheiros na condução deste caso(nem o veneno do MRS faria pior!)

    Eu se fosse o "velho" Jardim punha-me ao fresco. Definitivamente, esta foi de tirar o chapéu.

    Há que render à evidência!
    O homem já não tem rins para tal!

    ResponderEliminar