quarta-feira, outubro 17, 2007

Capitalismo selvagem

Uma colega minha recebeu um SMS dizendo-lhe que tinha dois mil euros disponíveis na sua conta, em crédito. Uma tentação da Cofidis, crédito por telefone. Eu estava a jantar, toca o telefone e do outro lado perguntam pelo meu nome e perguntam-me se quero aderir à net da ADSL. O telefonema é da PT e eu furibundo pergunto quem autorizou a usar o meu número pessoal para me venderem coisas, ainda por cima ao jantar.

Este terrorismo de marketing está a invadir a nossa vida e pelos vistos não há entidade reguladora que meta estas empresas na ordem. Viola-se a privacidade, usam-se dados que foram fornecidos para fins diferentes e ainda se tenta vincular as pessoas a compromissos comercias mais ou menos tentadores.
O capitalismo tornou-se selvagem e sem ética neste país baralhado entre um poder político cada vez mais absoluto onde o cidadão já não tem quem o defenda de nada. Estranha forma de democracia. É que temos.

Não sou propriamente um apreciador do estilo Paulo Portas. E é verdade que ele na oposição tem uma utilidade que no Poder é mais que indesejável. Mas o seu apontar à tirania do fisco é bom tiro. Ainda hoje uma amiga se queixava que tinha de pagar 16 mil euros às finanças porque vendera um prédio em ruínas, que tinha comprado para reconstruir para habitação própria, pediu o empréstimo,depois vendeu-o mas como tinha a morada fiscal na porta ao lado, que era uma casa alugada, agora vai ter de pagar a barbaridade em mais valia. Pode protestar mas paga já.
O que vale é que somos o país europeu com mais caixas multibanco.

13 comentários:

  1. Faça como eu...

    Como tenho um cão da minha altura, quando se estica e me põe as patas nos ombros, chega perto do meu metro e noventa, ponho o gajo a atender o telefone, que a PT assusta-se...

    Já quando me aparecem ao portão, ao verem o cão, que, além de ser uma besta, ainda por cima é preto, apesar de eu não ser racista, nem ande por lá perto, põem-se a milhas, porque lá diz o ditado que "cão que ladra não morde" e como o meu não ladra...

    Mal eles sabem é que aqui o meu amigo Black é um pasteleiro, que, se lhe abrem o portão, o tipo vai logo de enfiada para cobrir as vizinhas...
    Quer lá ele saber de guardar a casa.

    Por falar no cão, lá está o gajo aqui a ressonar.

    ResponderEliminar
  2. Tadinhas das suas amigas!
    Lembra-se do tempo em que se declarava uma escritura por um valor e o negocio era feito por outro? Todo o mundo sabia !
    Fizeram-se fortunas não declaradas.
    O estado não via passar o padeiro!
    Esse tempo era melhor?
    Casas com areas brutais e registadas como casebres!Quartos alugados a estudantes no negro!
    Enfim , a sua amiga fez mais valias , logo tem que pagar!
    O tempo de tudo para o bolso ja acabou , meu amigo!
    Temos que ser solidarios, pagando!
    Eu pago e não tenho medo do fisco!
    Nem todos podemos ser Rockfeller´s e a sua amiga só chora o dinheiro que tem que pagar ,mas se calhar calou-se sobre o valor que recebeu pela casinha!
    Esta forma de ser é muito atrasadinha para os dias de hoje! É muita vitimização.Há muito coitadinho!
    Sei é que temos uma media de 4 imoveis por cada familia e não há nenhum sem dono!

    ResponderEliminar
  3. Olá...!
    Afinal, o "psicólogo de taberna" também tem queda para a advocacia.
    Ou será o notário do "Todos os Nomes" do José Saramago...?

    ResponderEliminar
  4. Oiça sr Carlos vá dar tanga a outro
    "todos pagamos"? Quem? O filho do Jardim? E QUANTO PAGAM?Ai já acabou " tempo de tudo para o bolso", olhe ou é naife ou do PARTIDO? Talvez a segunda seja a mais certa ,não? Olhe continue que ainda arranja um cargo talvez na GALP,REN, sei lá...vá tentando ok?

    ResponderEliminar
  5. eu "inté" me dói a alma de ver o Carlos a levar de um lado e do outro.
    eu vou dar uma ajudinha ao carlos.
    porque eu, ... sim !!!
    Eu sou uma pessoa muito solidária com os mais fracos.

    ora bem:

    ó js ... segure lá o cão, não vá ele "saltar-me" pra cima (no bom sentido ....)
    É que eu tb mordo ...
    (tou já avisar)

    agora o carlos:

    ó amigo, em que mundo vive ? Eu compreendo as suas belíssimas e puras intenções, mas ... vá lá, deixe de acreditar no pai natal ...

    Acredita que o actual sistema fiscal não permite a fuga, à mais valia, nas transacções imobiliárias.
    Seria bom, se fosse verdade. É que o dinheiro não tem nome ... à cause de ..
    Percebeu santa inocência ?

    mais ! Ainda para o carlos !

    Tem a certeza que a massa que vai para o Erário Público, em resultado desses impostos cobrados, via Direcção Geral de Tesouro, é aplicado de forma séria e competente, na resolução dos reais problemas e necessidades dos portugueses ?
    Olhe que não, olhe que não ...

    pronto fico por aqui.
    por agora !

    ResponderEliminar
  6. Luiz, tenho dúvidas se estas invasões à propriedade privada, via télé, sejam apenas uma realidade portuguesa, e não o sejam também uma realidade, em vários países europeus...

    Esta forma de comunicação para fins comerciais, mais não é, que a antiga venda porta a porta, em versão moderna.
    Dadas as vantagens que alberga...

    E não se esqueça o Luiz que muitos jovens (grande parte licenciados) nada mais têm no horizonte do mercado de emprego, que um lugarzinho à sua espera, nesta nova função que dá pelo nome de:

    - Call Center

    a ganhar 500 euros, por mês.
    Obviamente. E sem qq garantia de estabilidade.
    E tb não se esqueça que a banca, os seguros, as operadoras de comunicações e de televisão e outros "grandes" tb estão neste jogo, de vendas, campanhas e promoções...

    A questão do acesso aos nossos dados é o que mais preocupa, mas creio que já é incontrolável.

    ResponderEliminar
  7. curioso o nosso amigo Carlos meteu a viola no saco !!!!!Será
    que já faz parte da GALP? OU DA REN?OS RANHOLHAS , como os PIDES
    SÃO SEMPRE OS MESMOS!!! SÃO COMO
    OS MORCEGOS " DE CABEÇA PARA BAIXO " MAS DE OLHO VIVO!

    ResponderEliminar
  8. Pela ordem dos disparos, vou-lhes responder:
    O JS já recebeu o meu e unico troco,num post´s atrás, e , vou repetir:

    "Este JS é um grande cromo!
    Parece que recebeu algum mimo e já recuperou psicologicamente !
    Meteu-se comigo para reclamar atenção , mas nem o levo a mal, por causa de ele ter-me mandado para o Ca...ho, pois percebe-se que lhe falta muita coisa!. Conheço o fenómeno e espero que ele fique onde está , nem é preciso mandá-lo para lado nenhum, dadas as suas carências.
    Deixe-se ficar! Os seus comentarios também fazem falta, nem sempre está em baixo!
    Bem vindo!"

    À Pézinhos que,segundo ela, por ser solidária com os mais fracos, veio em minha defesa, por causa do meu com... à tadinha da amiga do LC que não queria pagar imposto de mais valia, num negocio imobiliario:

    À Minha querida Pézinhos,

    Confirmo pelas raizes da sua solidariedade que o espirito do "espertalhaço" está metido no DNA lusitano.
    Então! em Portugal, pagar os impostos resultantes dos rendimentos e não ter medo do fisco, é ser fraco!
    Assim, apelando ao contrario, o individuo,que obtenha rendimento sem pagar imposto é um individuo forte.
    Fortes , são aqueles, como o coveiro da Camera de Lisboa!
    Forte,foi o Cadilhe que comprou o apartamento das amoreiras, à data , pelo preço do fiat 127.
    Forte , foi o Vitorino que comprou um terreno no alentejo por um preço e escriturou por outro e disse que não sabia.
    Forte, foi o Sousa Cintra que vendeu o mesmo terreno a muitos compradores, varias vezes.
    Forte é o genro do Cavaco, o tal Montez, que deve 2,5 milhões ao fisco, mas foi retirado da lista, e anda na maior, ao lado do seu sogro.
    Fraca foi a Manuela Ferreira Leite e o mano , que assim que saiu em publico que não tinham pago mais valias da venda de um imovel foram a correr pagar o imposto no ultimo dia do prazo!
    Fraco sou eu que reconheço que obtive educação formal e cuidados de saude à borla e tenho infraestruturas à minha disposição que as utilizo assim como os meus filhos e meus dependentes e eu por respeito à minha situação actual e ao futuro dos meus filhos , tenho que pagar impostos.Mesmo sabendo que no meu pais vivem muitos conterraneos que nunca pagaram um tostão,criticam tudo e todos e vivem `a mama do trabalho dos outros.Mesmo assim, Pago imposto.

    um beijinho para a minha amiga Pézinhos!

    ResponderEliminar
  9. Meninos: se continuam a insultar-se vão para o castigo! LC

    ResponderEliminar
  10. Enquanto escrevia para a Pézinhos, apareceu o LR a querer atenção!
    Por respeito à pezinhos, hoje , já chega e peço-lhe desculpa, ò lr , de não lhe dar troco, sem desconsidera-lo, mas estou cansado!

    ResponderEliminar
  11. mas eu não vejo aqui insultos, ó luiz. isto é ... só mimos.

    Respondendo ao carlos:

    repare, eu sei que pagar impostos é teoricamente uma atitude de solidariedade, requerida pelo estado a todos os cidadãos, e de acordo com regras previa e legalmente estabelecidas. OK ??

    o problema é que o sistema ainda não está suficientemente bem preparado, mas fazer cumprir esse dever a TODOS ! Eu disse: TODOS.

    Ainda há muitos buraquinhos na malha fiscal que permitem dar a volta para não pagar.

    Depois, e do outro lado da barricada, o "problem" é que não vemos uma aplicação idónea da massa dos impostos.
    Dou-lhe um exemplo: Na alemanha o cidadão qd preenche o IRS, inscreve logo no impresso, a distribuição do valor de imposto a liquidar. Ou seja, uma parte vai para segurança social, uma parte vai para obras públicas, uma parte vai para instituições religiosas, uam parte vai para inst. de apoio à 3ª idade.

    Cá, paga-se X"" euros, e vai para o "monte", na DGTesouro. Ou seja, o cidadão acaba por ter muito pouca percepção, do modo como o dinheiro que entrega, sob a forma de imposto, é aplicada pelo Estado.

    No exemplo em apreço, de que escreve o Caro Luiz, serve para retirar a seguinte lição:

    - Toda a informação fiscal é sempre pouca, para sabermos acautelar os nossos interesses.
    Em muitos casos, as pessoas só se preocupam com certos aspectos, ... depois.
    E depois ... às vezes, já é tarde.

    Somos cidadãos mal informados, em termos de direitos e deveres.
    Devia começar mais cedo, nos bancos da escola.

    Retribuo o beijinho, Amigo Carlos.

    ResponderEliminar
  12. Não pagar imposto sobre os rendimentos por se achar que o governo aplica mal o dinheiro,não é argumento, e sobretudo é revogar unilateralmente o contrato social entre o estado e o cidadão.
    Nesse caso, tinha que ir obter o seu rendimento num estado que não cobrasse imposto, por exemplo, o Niger, ou ir obter o rendimento num estado que aplique os impostos como a Pezinhos gosta!

    Na proxima segunda ,perto da sua escola numa zona segura, o meu filho vai jogar à bola num campo novo de relva sintética construido com dinheiros publicos .
    Se eu e os outros otários (fracos) deste pais não pagassemos impostos como é que o miudo tinha essas infraestruras para brincar? heimmm...?
    Ahh,já sei!
    Ia trabalhar para o Niger e ai todo o pais era um campo enorme onde se podia jogar à bola avontade! Não era ?


    Mais um beijinho para a Pézinhos

    ResponderEliminar
  13. Estes que arranjam desculpas de dinheiro mal aplicado para não pagarem. Que moralidade. São demasiados anos metidos na droga, não se sai dela de um dia para o outro.
    Um bem haja para todos, fico contente por ouvi-lo Sr. Carlos.
    Belga

    ResponderEliminar