segunda-feira, outubro 15, 2007

BCP: Meus Deus ao que eu cheguei!


Nos meus cheques do BCP está lá escrito: " cliente desde 1991". Com esta atenção acho que tenho alguns direitos ao ser cliente deste banco. Tenho lá a minha conta ordenado e uma outra com uns trocos. Por várias vezes pensei em tirar de lá o meu dinheiro mas depois recuo porque a facilidade em utilizar os serviços online do BCP está muito acima em facilidade dos outros bancos. Depois há cheques avulsos em qualquer multibanco BCP, o que me tem safo em situações mais imprevisíveis. Os empregados são muito simpáticos, pese embora que é o pior banco para pedir crédito à habitação, fazer seguros dos carros.
Enfim: funciona bem mas embirro com o banco. Porquê ? Nem eu sei. Embirro com a marca e com a cultura de empresa que sugere. Mau brandt.

Hoje apetece-me tirar de lá a massa.

A notícia que o Expresso deu em primeira mão sobre o empréstimo a um filho de Jardim Gonçalves de 12 milhões de euros e que foram pelo cano abaixo é muito, muito grave. A guerra vai voltar ao BCP, Berardo já clama por justiça e nos entretantos já apareceu mais um calote de 15 milhões relacionado com um administrador nos Açores.

Como chegou a este ponto o maior banco privado português, dirigido por um crente e praticante da Opus Dei, como este tipo de manobras que assistíamos na política começam agora a contaminar a economia, é preocupante.

O pior que a economia portuguesa podia agora padecer era de falta de confiança no sistema bancário.

Depois de irmos atestar a Espanha, estudar para Espanha, trabalhar em Espanha, parir em Espanha, só nos falta mesmo é pormos lá o nosso dinheiro a salvo. Pode ser exagero, mas acredito que já haja muita gente a fazê-lo. Por mim tanto me faz, desde que possa dormir descansado em cima do meu colchão.

6 comentários:

  1. Caro Luiz, agora parece-me que anda um bocado desfazado da nossa realidade.
    primeiro porque acho que está a ser um bocadinho ingénuo ao dizer que ainda vamos perder a confiança no nosso sistema bancário e segundo porque não nos falta pormos o nosso dinheiro lá, mesmo que seja num sistema "ponha fora, cá dentro", ou o Totta não é espanhol?

    ResponderEliminar
  2. a verdade vem sempre ao de cima...

    será esta a verdade da saída de Paulo Teixeira Pinto ?

    Que é feito desta figura do PSD?

    ResponderEliminar
  3. Vocês meus otários!Que peças de filme me sairam!
    Então facilitar o filho, primos e enteados e filhos bastardos por parte do Padrinho é alguma admiração em Portugal. O LC deve ter andado com os extraterrestes por outras galaxias e chegou agora a portugal !!!Meus Deus!
    O seu patrão nunca meteu ninguém dos seus lá dentro a tirar para fora?
    Então, onde estão os filhos dos nossos cromos governantes e politicos? Subiu tudo na vida a pulso!
    Eu ia dar uns exemplos, mas não vale a pena, porque são por demais evidentes e deixo isso para os outros comentadores mais fiéis ao LC!
    Ps: Se seguissem o rasto desses 12 milhões de euros, então é que ficariam pior que a tia Dolores que apanhou o Marido na cama com a sua comadre!

    ResponderEliminar
  4. tb concordo com o comentador anónimo.

    esta história do jardim gonçalves filho deve ser só a ponta do iceberg do mundo das irregularidades bancárias, à face da lei.

    Se há mundo onde circula carradas de documentação falsa, ele é concerteza o mundo da banca.

    hoje concordei com análise feita por M Sousa Tavares, de facto, vários clientes do BCP foram atraídos a contraírem empréstimos para adquirirem acções, e a muitos, a coisa não correu bem, hoje estão "pendurados" e perdões de juros ... népia.
    claro que não são filhos do dono-mor do banco ... senão seria diferente, "num" é ?

    a coisa é mais grave do que parece.
    mas não é de agora....
    em bom rigor este jogo interessa e serve muitos outros que não os da banca.

    não será por acaso que Paulo Macedo é tão bom na área fiscal, saidinho que foi do BCP.
    "sabe-a toda" ....

    Goodnight Luiz !
    (e mude de banco, pq anda metido com ladrões....)

    ResponderEliminar
  5. isso mesmo pezinhos n areia!
    oh LC vc é mesmo naif.então acha que a nossa banca privada apresenta os lucros que apresenta a bancar a serio? que até deixa espantados os restantantes compadres europeus! e qualquer padrinho siciliano ou calabrés é um anjinho ao pé deste beato que como já aqui disse é o unico conterraneo que me deixa com uma vontade de o mandar para o inferno com uma naifa naquele cerebro velhaco!
    sempre que recebi algum pagamento by BCP a 1ª coisa que fazia era de imediato levantar o dinheiro!desde o dia que aqueles estupores do bcp nova rede colocaram o nome da minha ex empregada domestica na lista negra do banco de portugal por causa de um cheque de 2000 escudos que a pobre tinha passado pre datado e alguem fez o favor de o levantar antes do prazo. esses caes andaram a arregimentar clientes para a nova rede nas classes mais pobres e depois queriam que os desgraçados tivessem um x de valor de saldo medio era mesmo a gozar com o pagode! a mim nunca me comeram nenhum!!! coisa de mulheres certamente que temos um instinto fatal para topar a leguas as caras dos patrões muito beatos e sempre a invocarem a santa familia...
    arreeeeeeeeeeee
    mas já agora saiba vxecelencia caro LC que o montepio me concede todos os serviços by internet dá cheques na maquina multibanco e me trata a mim uma pobre cliente igual que um sr ingineiro ou doutore o meu balcão resolve-me assuntos por telefone e ate como sabia do meu asco ao bcp descontava logo os cheques do mesmo para a minha conta sem eu ter de esperar os horriveis 5 dias ! e mais sabem o meu nome mesmo sem ser doutora! como vc mora no estoril tem um montepio no cascais villa ou bem perto do expresso tem no oeiras parque!
    só lhe digo foi o unico banco desde que fiquei pobre que me tratou como gente( pobre é ter cerca de 700 euros por mes) pk quando era "rica" e a minha empresa movimentava 100 mil contos mes o totta e os atlanticos tratavam-me muito bem quando fiquei pobre fecharam-me as portas! bem hajas montepio que tens nome de santo e para mim até hoje tens mesmo sido!!!!

    ResponderEliminar
  6. Jardim Gonçalves, patético e ameaçador!...
    Eis Jardim Gonçalves, patético e ameaçador
    Eis Jorge Jardim Gonçalves, o homem. A entrevista ao Público é patética mas pretende ser ameaçadora – o banqueiro deverá ser ouvido esta semana no âmbito do processo de investigação ao BCP conduzido pelo Banco de Portugal. O facto explica a disponibilidade do ex-líder do banco para dizer ao mundo que tem “praticamente 40 anos de relação subordinada, hierárquica, com várias autoridades, as mais das vezes em Portugal, ...
    O facto explica a disponibilidade do ex-líder do banco para dizer ao mundo que tem “praticamente 40 anos de relação subordinada, hierárquica, com várias autoridades, as mais das vezes em Portugal, mas muitas vezes, também, no estrangeiro” e que “a prática do banco, desde o início, foi sempre pautada pela seriedade na relação com os seus stakeholders, em especial com as autoridades de supervisão, a quem sempre conferi a máxima seriedade”. Quer dizer: as autoridades de supervisão, caso do Banco de Portugal, conhecem-no e estavam ao corrente da sua prática. Ou seja: se houver tempestade vai tudo ao fundo. No resto, Jardim Gonçalves mete dó. Não diz nada sobre factos relevantes que abalaram o banco e causaram estragos consideráveis a accionistas da instituição (caso das off-shores criadas para subscrever o aumento de capital do BCP), refugiando-se no valor do sigilo no universo financeiro. Jardim Gonçalves perdeu a noção do poder da frontalidade sobre os obstáculos que se opõem à verdade. Preso no seu quadrado e sem peito para o contraditório, responde por escrito e sem cortes, incapaz de perceber o ridículo de um diálogo com o boneco. No limite, não resistiu a cavalgar a ideia de que o caso BCP “foi objecto de óbvio aproveitamento político”, fantasia que o partido de Menezes abraçou com entusiasmo. Está be
    Raul Vaz
    Eis Jardim Gonçalves, patético e ameaçador
    Eis Jorge Jardim Gonçalves, o homem. A entrevista ao Público é patética mas pretende ser ameaçadora – o banqueiro deverá ser ouvido esta semana no âmbito do processo de investigação ao BCP conduzido pelo Banco de Portugal. O facto explica a disponibilidade do ex-líder do banco para dizer ao mundo que tem “praticamente 40 anos de relação subordinada, hierárquica, com várias autoridades, as mais das vezes em Portugal, ...
    O facto explica a disponibilidade do ex-líder do banco para dizer ao mundo que tem “praticamente 40 anos de relação subordinada, hierárquica, com várias autoridades, as mais das vezes em Portugal, mas muitas vezes, também, no estrangeiro” e que “a prática do banco, desde o início, foi sempre pautada pela seriedade na relação com os seus stakeholders, em especial com as autoridades de supervisão, a quem sempre conferi a máxima seriedade”. Quer dizer: as autoridades de supervisão, caso do Banco de Portugal, conhecem-no e estavam ao corrente da sua prática. Ou seja: se houver tempestade vai tudo ao fundo. No resto, Jardim Gonçalves mete dó. Não diz nada sobre factos relevantes que abalaram o banco e causaram estragos consideráveis a accionistas da instituição (caso das off-shores criadas para subscrever o aumento de capital do BCP), refugiando-se no valor do sigilo no universo financeiro. Jardim Gonçalves perdeu a noção do poder da frontalidade sobre os obstáculos que se opõem à verdade. Preso no seu quadrado e sem peito para o contraditório, responde por escrito e sem cortes, incapaz de perceber o ridículo de um diálogo com o boneco. No limite, não resistiu a cavalgar a ideia de que o caso BCP “foi objecto de óbvio aproveitamento político”, fantasia que o partido de Menezes abraçou com entusiasmo. Está bem...
    O CRIME NO MILLENNIUM BCP É HEDIONDO, TALVEZ MAIOR QUE O DO " ALVES DOS REIS "... Apenas com uma grande diferença; de extorquir milhões de euros e bens, a milhares de famílias,empresas e particulares, que agora estão carentes e não podem pedir socorro às nossas Instâncias, por motivo de não terem dinheiro para pagar aos advogados... Estãodestroçadas por via destes crimes. As grandes Instâncias portuguesas e até Estrangeiras, que investiguem quem adquiriu acções em 200072001 e aí chegarão à conclusão do grande crime que o BCP fez! Já há; quem afirme que Jardim Gonçalves é o maior RICO do Planeta, por motivos de arrecadação de capitais desde a fundação do BCP e ter esses próprios capitais, depois de rentabilizados em todas as partes do mundo, principalmente em "paraísos fiscais"... OBS: Quem tem sido o principal patrocinador das nossas últimas campanhas políticas? Investiguem e chegarão à verdade!...
    http://bcpcrime.blogspot.com/ http://bcpfraude.blogspot.com/
    Publicada por BCPCRIME em 6:25 0 comentários Hiperligações para esta mensagem
    Etiquetas: Jornal de Negócios ... Raul Vaz
    Terça-feira, 8 de Abril de 2008
    O sigilo de Jardim Gonçalves!!!

    Jardim Gonçalves deu uma entrevista estranha ao “Público”. Não por ter respondido às perguntas por escrito e sem edição do jornal (em casos excepcionais é admissível), mas porque a entrevista tem uma preocupação fundamental: defender o seu nome e o das pessoas que consigo trabalharam, que considera terem ficado chamuscados com a novela dos últimos meses.
    Até aqui nada de mal. Afinal, quem não se sente não é filho de boa gente. É verdade. Porém, o problema é que Jardim quer que acreditemos na sua defesa recorrendo à “fé”, porque quando os jornalistas tentam descer aos pormenores (por exemplo, “o BCP tinha a propriedade das sociedades ‘off-shore’?”) não responde, invocando o sigilo bancário.
    Ninguém pede a Jardim que viole a santidade da relação banco/cliente. Todavia, se o sigilo bancário o condiciona tanto, sabe que não pode apresentar (à opinião pública) provas factuais da sua inocência. Ainda que ela exista. Quando muito poderá “exibir”, um dia, a decisão final dos inquéritos da CMVM e Banco de Portugal?
    É por isso que Jardim não devia ter dado esta entrevista agora: o mercado julga factos, não actos de “fé” e enquanto Jardim não apresentar factos, corre o risco de ficar com a fama? sem ter o proveito. É pena, uma pessoa com o seu currículo e craveira intelectual merecia terminar melhor a carreira. Porque dinheiro não é tudo, como se percebe pela sua angústia...

    ResponderEliminar