quinta-feira, outubro 18, 2007

Afinal havia outro

Eu já tinha escrito aqui sobre a cena que levou à demissão do editor-chefe do Paris-match por este se ter "atrevido" a publicar uma foto na capa de Cecilia com um amiguinho em Nova York.
Sarkozy é amigo do patrão de Paris-Match e este não terá gostado mesmo nada.
Esta demissão deu que falar em França, país da liberdade, e provocou uma grande desilusão nos leitores do Paris-Match ( onde eu me incluo) por não fazer parte da tradição do magazine este tipo de censura.
Afinal, o demitido tinha razão antes de tempo e a desconfiança na imprensa quando vêm à baila estas notícias nem sempre é de aplicar.

Este divórcio vem mostrar como os homens políticos são iguais ao comum dos mortais e a forma discreta como o processo de divórcio foi feito demonstrou um grande nível.
Numa sociedade tradicional isto seria impensável há pouco tempo. Hoje os eleitores percebem que os seus dramas amorosos são aplicados aos líderes. Torna-os mais humanos e até poderão "facturar" votos.
A imagem de solitário de José Sócrates não o prejudicou até hoje e o que se tem escrito sobre o novo romance do novo líder eleito também não.
Sá Carneiro ( e aqui olho para o céu como Santana) até nisto foi pioneiro.

2 comentários:

  1. Àh! havia outro ... hummm!
    Agora vão "venir" as historias dela ! que era isto e aquilo! Se calhar aparecem videos para levantar o Sarko!
    vive la France

    ResponderEliminar
  2. Desculpem lá mas ninguém tem nada a vêr com isso. Este é tipo de notícia só interessa ao próprio e é evidente que não a precisa de ler no Paris Match.

    Alexandre Rainha

    ResponderEliminar