sábado, setembro 22, 2007

Os Jornais e o falhanço António Costa

Terreiro do Paço, foto Luiz Carvalho.
Lisboa no tempo dos carros, fotógrafos e muita vida.

Já percebi: António Costa está protegido por S. Francisco de Sales, o santo padroeiro dos jornalistas. Já previa e confirmo. Não se escreve nos jornais uma linha que denuncie a incompetência das primeiras semanas da nova Câmara de Lisboa. Nem se vai escrever.

Sejamos honestos: as primeiras semanas de Costa em Lisboa são para esquecer: fechou o Terreiro do Paço aos carros aos domingos e Lisboa entupiu; a Salazarista Zézinha, recuperada por si para anzol da direita bafienta, foi um fracasso com aquela ideia xenófoba de pôr o comércio chinês da baixa num ghetto. O ter vindo dizer que o projecto de Gehry para o Parque Mayer estava ultrapassado enquanto Manuel Salgado dizia que vai voltar a ideia do teatro revisteiro, depois de ter dito há 4 anos ao Expresso que revista nunca mais, é uma patacoada total.

O espírito pobrezinho e socialista de que o Parque Mayer tem de ressuscitar com teatros é de uma banalidade intelectual óbvia. O teatro de revista felizmente morreu, mesmo que isso custe ao meu querido amigo Raúl Solnado que admiro, prezo e estimo e que foi mandatário do candidato socialista. o Parque Mayer foi já tempo que deu risos; aqueles actores estão moribundos e o país não precisa mais daquilo. Para nos rirmos basta ouvirmos o governo.
Querer fazer do Parque Mayer um espaço revivalista revisteiro é pura perda de tempo e pior: perda do nosso dinheirinho.

O projecto do Frank Gehry era ousado, projectava para a frente, punha Lisboa no mapa da cultura e do turismo internacional, chamava gente, dava dinheiro, pagava-se a si próprio. Mas o lobby do amiguismo em volta de Costa, aquela matilha de tipos vestidos de preto com gel no cabelo que circulam como hienas em volta dos candidatos ( já o tinham feito com Carrilho, Lopes e Carmona) não perdoariam a chance de poderem projectar o Parque. Já estou a imaginar uns edifícios de cubos sem janelas, umas arestas redondas, uns tijolos de vidro, uns gradeamentos em ferro pintado com espaços para as crianças se escaparem. Já imagino o jardim Botânico ligado ao parque por uma ponte de vidro e ferro, sempre fechada ou de um elevador transparente pintado a cinzento.

Os nossos arquitectos são chatos, não têm sentido do espectáculo e transformaram a arquitectura portuguesa num somatório de caixotes tristes, pouco funcionais e caros de construir e manter como o caraças ! Claro há sempre as excepções.
Vejam as caixas do Miguel Carrilho da Graça, pagas na proporção da sua arrogância, fujam do Siza e do seu Bonjour tristesse.

Costa nem as passadeiras para peões pintou e, pelo que vi esta semana numa ida a Lisboa matinal, o trânsito continua caótico e as cargas e descargas uma total anarquia.
Só não mudou a ganância do bloqueamento das rodas dos carros.
Mas os lisboetas têm o que merecem. Felizmente deixei de viver lá.

12 comentários:

  1. Eu sei que o Luiz (de onde virá o z, será do reflexo narcisista?) quer conversa com estes últimos posts... Vamos lá! É verdade, Felizmente para nós Lisboetas foste morar para longe, nota-se que nunca foste ao Chiado mas isso perdoa-se, é preciso é que te mantenhas longe com o teu potente e espectacular bmw. hehe, desculpa esta forma de falar mas estavas a pedir, eu sei!
    Concordo com as farpas à zezinha e as tuas fotos estão cada vez mais maduras. abraço.

    ResponderEliminar
  2. i- Não tenho BMW e quando era meu não era espectacular.

    2 - Aidna esta semana almoçei no Chiado, fumei um partagas e fotografei a rua Garrett.

    3- Amo Lisboa mas tem sido destruída pela cambada política

    ResponderEliminar
  3. Bela foto....não estou a ver nenhum amador da Amadora a fazer isto...parabens!

    ResponderEliminar
  4. a foto é banalíssima: parece de um amador...

    ResponderEliminar
  5. Até que enfim parece que já começam a desmascarar o Costa.

    No blogue O Carmo e Trindade vi a primeira denúncia. Pena que foi um ex-vereador que a fez. Não que não tenha razão, mas soa sempre a vingança. Aqui reforça essa posição.

    ResponderEliminar
  6. Se Luiz é com z, Gehry é com y

    http://www.pritzkerprize.com/gehry.htm

    ResponderEliminar
  7. Por coincidencia, ontem vim de Lisboa e já estava com saudades do Fatal e logo encaro estes ultimos posts para arrasar.
    O LC foi fatal. Lisboa não precisa de nenhum 9/11 para ficar arrasada. Basta-lhe uns autarcas incompetentes e permissivos aos " favores" de determinadas facções que se traficam entre os interesses económicos,politico e futebolistico para arrumar Lisboa!
    E o resultado da destruição é superior às bombas da Al-qaeda.
    Lisboa é uma cidade para gerir interesses , não é para trabalhar .Sempre foi ! Cai ali o dinheirinho das repartições de finanças de todas as terrinhas portuguesas; Cai ali o dinheirinho de Bruxelas! Do FMI; Antes do 25 de abril , também caia ali o dinheiro que vinha das colonias!
    Este é o verdadeiro motor da cidade : O ARAME de todos os tugas!
    Agora o LC vêm falar de Arquitecturas, interfaces de transportes, funcionalidades dos edificios, zonas comerciais integradas no tecido urbano etc.
    Eles tão-se c.... para isso !
    Já que o LC é arquitecto e sabe da póda, porquê que ainda vigora a lei de 75, em que qualquer badameco que saiba fazer 2 riscos assina um projecto na Câmara???Sabe dizer-me?

    Sobre o Costa:
    Tá a ser trabalhado para 1º ministro em 2009! Os directores dos jornais já têm a missa rezada, nada de manchar o homem! Vamos ter um 1º ministro Goense !
    Viva Portugal!

    ResponderEliminar
  8. as fotos estão tão maduras e velhas que caem de podres como o velho Terreiro de Paço quando era um parque de estacionamento em vez de ser o que são todas as praças maiores em países onde não existem Luizes Carvalhos ou se existem estão açaimados

    ResponderEliminar
  9. Estou a comentar este post sem saber se fui censurado num comentário muito "merdoso" que fiz a propósito do dia das "mulas".
    E quer o tenha censurado ou não, tenho que lhe dizer que este seu post é do melhor que já escreveu.
    E o que diz aplica-se a Lisboa e a muitas cidades que conheço, e conheço bastantes, do nosso país.
    Graças aos "merdosos" dos políticos que (se) governam numa democracia em que acreditei e que todos os dias me desilude mais.
    ...
    Agora, está em marcha, por parte do outro Costa, o da Justiça, acabar com a independência das magistraturas e das polícias, com um secretário geral dum órgão coordenador na dependência directa do primeiro-ministro e a redução dos poderes do Procurador Geral.
    É o golpe final para a instrumentalização política da justiça.
    Com os procuradores que temos tido, incluindo o actual, vamos ter o que merecemos.

    ResponderEliminar
  10. Parabéns pela foto, está torta, muito escura, com pés cortados, etc, etc e ainda assim é uma foto belissima, cheia de pormenores que contam estórias a quem quer ver.

    ResponderEliminar
  11. Falar assim dos nossos arquitectos é muito injusto... Se não gosta de Siza, problema seu! Agora, não sera por acaso que Siza é reconhecido mundialmente! Um dos projectos na Holanda: http://blog.wilson.com.pt/2007/07/26/alvaro-siza-vieiraprojectonaholandaaltura/

    "Os nossos arquitectos são chatos, não têm sentido do espectáculo e transformaram a arquitectura portuguesa num somatório de caixotes tristes, pouco funcionais e caros de construir e manter como o caraças ! Claro há sempre as excepções.
    Vejam as caixas do Miguel Carrilho da Graça, pagas na proporção da sua arrogância, fujam do Siza e do seu Bonjour tristesse."

    ResponderEliminar
  12. O manuel de Oliveira tb é reconhecido. E gosto dele. A minha opinião é isso: opinião. Reconheco-lhe subjectividade e muita irritação. É o que sinto, Mas gosto nuito de Alcino Soutinho

    ResponderEliminar