sábado, julho 28, 2007

Monica Vitti


Cresci intelectualmente a ver os filmes da Monica Vitti. O primeiro foi "O Eclipse" com ela e o Alain Delon, dirigido por Antonioni. Depois o incontornável " Deserto Vermelho", um filme estranho, difícil, incompreensível para mim na altura ( tinha 16 anos) mas que me despertou um fascínio enorme. Andava atrás da fotografia e este filme tinha tudo a ver com esse universo visual e sentimental que então ensaiava.

Hoje a RTP2 numa atitude de bom serviço público passou um documentário sobre a actriz, já desaparecida. Um filme com os tiques formais dos anos 70, logo: na moda. Nunca a tinha visto fora das personagens hoje fiquei ainda a admirá-la mais.

Também queria acrescentar que algum alarido criado pelos retratos que fiz a semana passada da Soraia Chaves pouco ou nada têm a ver com a cultura de uma actriz como a Mónica Vitti. Ela nunca se despiu para representar, resistiu ao gratuito, pese embora os tempos diferentes, e afirmou-se no entanto como uma das actrizes mais sensuais durante 25 anos.

Não queria ser hipócrita, nem cínico mas, meus caros amigos, a beleza vem de dentro e quando se junta por fora é sublime.

A AVENTURA:

2 comentários:

  1. obrigado Luis de Carvalho por este post de bom senso e bom gosto. Também e desde os filmes do Antonioni, fiquei fã da Mónica Vitti.

    ResponderEliminar
  2. Molti anni fa que non vedeva à Monica Vitti , Michelangelo e´ morto, il tempo va presto via

    ResponderEliminar