segunda-feira, outubro 16, 2006

Sócrates, a namorada e outras divagações.

Sócrates volta a pedir sacrifícios aos portugueses.
Está na hora de apresentar o novo orçamento, chegou a ladaínha anual.
Sinceramente não percebo como os portugueses continuam a aguentar estas políticas. Desde que me conheço que ando a ouvir falar em crise, por uma razão ou outra.

A verdade é esta: não há economia que resista a um Estado gastador como o nosso.
Não pode haver crescimento se o Estado gastar o que o país produz.
Fomos o país da Europa onde os impostos mais cresceram, apesar de não estarmos ainda na média europeia de cobrança, mas também não estamos com o rendimento médio da mesma Europa.
Logo: somos dos que mais pagamos. Para quê ? Para os funcionários públicos, para as obras de fachada, para os investimentos a fundo perdido sem futuro á vista. Para os autarcas gastadores.

É uma viagem sem retorno: enquanto não houver a coragem para cortar na despesa pública serão os pagantes de impostos que vão aguentar. Só que... começa a secar a teta: a classe média sucumbe a tanto imposto directo e indirecto.- Ao iva, ao imi, ao irs, ao ia, ao isc etc.

O ministro da saúde que tutela um dos ministérios mais gastadores corta nas urgências. muito bem. Concordo. E quantos funcionários dispensou ? Não tem um para exemplo ? Um só?

A educação é das mais caras da Europa. Vão fechar escolas e cursos. Óptimo viva a racionalização. E quantos professores e afins meteram na rua ? Nem um para amostra ? São todos indispensáveis, competentes e úteis ?
Podia-me estender mas um blogue tem de ser sucinto.

Sócrates que anda preocupado mais a namorada Câncio com a questão do aborto, trazendo atrás uma matilha de sanguinários àvidos por desmancharem vidas, não deveria antes preocupar-se com as questões "caras" aos portugueses? Será que o engenheiro ainda não percebeu que a lei que temos já é mais que avançada, ao nível da espanhola, mas o que temos por resolver é a aplicação prática da lei ?

Quando se deixam estes socratistas de tretas e começam a governar com seriedade? E já agora podiam-nos custar um pouco menos de dinheiro.

3 comentários:

  1. Ó, homem, qual namorada Câncio... :-|
    Vê lá se nos arranjas é a fotografia da Maria Elisa com o Jaka Jamba :-)

    ResponderEliminar
  2. calma, isso já foi !!!

    ResponderEliminar
  3. Em relação a escolas e cursos dou-lhe como amostra a Escola Superior de Educação da Universidade do Algarve. Os cursos sem alunos acabam, e os professores desses departamentos ou ficam sem emprego ou tentam arranjar disciplinas de outras áreas, para evitarem o desemprego sem direito a subsídio.
    Afinal há quem seja dispensável, mas que noutro contexto poderia ser útil e competente.

    ResponderEliminar