segunda-feira, maio 17, 2010

Cavaco não veta mas ganha voto


Cavaco veio hoje dizer que a aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo promovia a desunião entre os portugueses. Bom, se o casamento promove a desunião e não a união...mal vai a instituição!

Mas o que me faz espécie é o seguinte: se um Presidente aprova contra a sua consciência um diploma que considera pôr em causa grandes alicerces da sociedade, o que está lá a fazer? Assim sendo, para que serve a Constituição quando prevê que um diploma chumbado pelo PR possa voltar à Assembleia para ser de novo discutido?

E se fazia tanta confusão ao PR os articulados aprovados, porque não pediu ao TC para verificar também a inconstitucionalidade de parte do diploma que põe de parte a adopção por homossexuais? Este sim, verdadeiramente inconstitucional?

É que se esta parte do diploma tivesse sido declarada inconstitucional, como devia, toda a lei iria pelo cano abaixo, o que traria muito prejuízo eleitoral da parte de um certo eleitorado do centro que vota Cavaco e que está de acordo com o casamento gay.

Portanto: foi uma manobra esperta de Cavaco: aprova a lei não chateando parte do seu eleitorado do centro (uns milhares de votos que lhe podem dar a vitória à tangente) e contenta os conservadores que verão sempre na declaração de hoje ao país um acto de coragem e patriotismo. E eu é que sou burro?

Sem comentários:

Enviar um comentário