sábado, dezembro 22, 2007

Doentes felizes no Curry Cabral



Gostava que Correia de Campos tivesse estado hoje numa singela festa que foi organizada numa sala à parte do serviço de cuidados intensivos do Hospital Curry Cabral, em Lisboa. Teria sido a melhor lição que o ministro dos cortes na saúde podia ter tirado ao longo deste seu longo e cruel mandato.
Para quem a eficiência da saúde se mede em números de produtividade dos médicos ( mais uns priviligiados a abater da classe média), em custos de funcionamento, em permanente campanha de descrédito dos profissionais da saúde, se ali tivesse estado o senhor ministro veria como há serviços em Portugal que afinal são exemplares, e que um serviço público a sério só pode funcionar com empenho, alguns meios e muita dedicação.
A política de terra queimada do ministro contra médicos, enfermeiros e doentes, não promove nada o desenvolvimento. Mas há quem saiba dar o exemplo, sem se pôr em bicos de pés, sem publicidade. Há quem seja herói no anonimato. São os melhores de todos nós.

A sala especial dos cuidados intensivos, paga com sponsers, permite a vida digna a dois doentes muito especiais. Um que vive há 32 anos entravado numa cama, e uma outra doente que resiste há 15 a uma total paralisia.
Hoje houve felicidade num quarto de hospital.
Só por isto, eu que detesto o Natal, fiquei rendido.
Feliz Natal, Mr. Campos.

1 comentário:

  1. Não use esses dois doentes para atacar o ministro por favor!

    ResponderEliminar