quarta-feira, outubro 31, 2007

O filme do casamento de Pinto da Costa

6 comentários:

  1. Gaspar de Jesus12:58 da manhã

    Ok Luíz, nem sempre se pode falar de coisas importantes, gostei de ver o tal reencontro do Pinto da Costa com a sua ex-mulher, parece-me impossivel que um homem tão arguto tenha andado a estragar-se durante tanto tempo com alternadeiras quando afinal... já dizia a minha avózinha que "muitos homens gostam de desperdiçar a farinha para aproveitar o farelo..." mas ò Luíz o homem está a perder qualidades! então o beijinho da praxe foi na bechechinha... ??? e olha que a noiva estava cá um "apetite"...!!!
    Vamos lá a ver se as coisas desta vez correm melhor, é que sabendo-se da aptência que o homem tem para "petiscar" por fora, e continuando o Reinaldo a "reinar" na noite portuênse... não sei não...!!!
    Só mais um reparo, aqueles estampidos iniciais seriam mesmo do fogo de artificio ???
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Tão maravilhoso e encantador.
    Que estou quase a chorar.

    E sei lá que mais...?
    Talvez que se fod** todos.
    Incluindo o emplastro do PSL.

    ResponderEliminar
  3. ahahahahahahah .... adorei JS !!!!!

    não posso rir mais, do que escreveu.

    juro !!!

    deus queira que sim.
    que se lixem todos com um P de Philips ....:-))))



    e eu que estava à espera assim de um video mais caliente....no calor da noite ....

    ui .....



    este video não sabe a nada.

    O Pinto da Costa tem cá uma "latósa".
    E a legítima (agora em versão II) ..... também lhe ofereceu um par de pitons com o João Malheiro ... dizem ...

    Portanto .... está tudo a condizer.

    :-))))))

    e não há amor como o .... segundo !

    ResponderEliminar
  4. Vê-se logo que o PC não é Judeu!
    Acho que não há Judeu algum que cometesse esta proeza de, com a mesma mulher, gastar dinheiro 2 vezes, para além do resto!

    ResponderEliminar
  5. Com que voz chorarei meu triste fado,
    que em tão dura paixão me sepultou.
    Que mor não seja a dor que me deixou
    o tempo, de meu bem desenganado.

    Mas chorar não estima neste estado
    aonde suspirar nunca aproveitou.
    Triste quero viver, poi se mudou
    em tisteza a alegria do passado.

    Assim a vida passo descontente,
    ao som nesta prisão do grilhão duro
    que lastima ao pé que a sofre e sente.

    De tanto mal, a causa é amor puro,
    devido a quem de mim tenho ausente,
    por quem a vida e bens dele aventuro.

    Luiz Vaz de Camões cantado por Amália

    ResponderEliminar
  6. É só um momento ennquanto eu vou ali à cozinha buscar uma faca para cortar os pulsos.
    O casamento está bom? Recomenda-se? Hehe, por favor... Enquanto houver €€€€€€€ e o pintinho não esteja enfiado numa gaiola é tudo uma maravilha! Se de um lado se procura €€€€ do outro procura-se uma lavagem da imagem perante a opinião pública. Afinal, nada melhor do que um 2º casamento para provar a todos que foi um erro envolver-se com uma alternadeira, principalmente quando ela se transforma numa hemorróida que teima em não desparecer. Este casamento faz-me lembrar aquele anúncio de pomada para as hemorroidas em que o tipo andava de pé no autocarro por causa das dores, mas que depois de meter a pomada já se podia sentar. O pintinho já se pode sentar...

    ResponderEliminar