sexta-feira, setembro 28, 2007

Santana voltou, está perdoado.


Até ele está admirado: mesmo quando foi nomeado primeiro-ministro não teve tantos parabéns e apoio como ontem. Pedro Santana Lopes ( a quem o Rádio Marginal citou como ex-presidente da Câmara de Lisboa) voltou à berlinda depois de ter tido a coragem ( e lata, e o talento artístico) de abandonar o estúdio da SIC Notícias por ter sido interrompido em directo pela chegada do Mourinho.

Santana veio dizer o que toda a gente sente e não pode dizer. As televisões acham-se no direito de enxovalharem entrevistados, público e até quem lá trabalha em nome das famigeradas audiências.
E não estou a falar da SIC Noticias talvez a única onde há rigor e seriedade.
Estão a matar a televisão, depois de terem começado a matar os jornais. O público não é estúpido e sabe distinguir o lixo do que é sério. As pessoas estão fartas de ser enganadas e de terem de comer todo o tipo de alarvidades intelectuais em nome dos rankings das audiências. Claro que as audiências são importantes, indispensáveis para a sobrevivência das empresas, mas devem ser sustentadas pelo lado da qualidade e não pelo lado da mediocridade, so apelo fácil e demagógico ao gosto mais elementar e pobre.

O público também se educa, pese embora que não é essa a primeira função da televisão nem dos jornais. Mas as grandes marcas nunca o seriam se tivessem optado pelo populismo como público alvo. Não haveria Rolls, Rolex, Leica....o exemplo até pode ser mau, mas a verdade é que sem uma cultura de exigência não chegamos a nenhum lado.
O jornalismo tablóide ( como se tem visto até à exaustão) no Caso Maddie e se vê todos os dias em atropelos, mentiras, sensacionalismo só leva à morte do jornalismo.
As televisões na sua histeria de noticiários de hora e meia, enchendo chouriços, esticando a corda, mostrando banalidades está a fazer com que qualquer dia ninguém tenha pachorra para ver televisão.
Para quê aturar aqueles cromos se na net tenho o essencial da informação, escolhida pelo meu critério, sem ter de suportar manhosos?

Santana abriu a discussão. Não vale tudo no jornalismo. Basta.

13 comentários:

  1. Que alarvidades intelectuais? alarvidades concordo, mas intelectuais?? BB's, flores, morangos, chiqui-não-sei-o-quê.
    Alguns (poucos) programas vísiveis só depois da 1 da manhã, é essa a parte intelectual? Quer dizer que quem tem 2 dedos de testa também tem insónias?

    ResponderEliminar
  2. Podia-se usar muito do que aqui escreveu para criticar o seu "post" recente sobre o Rugby, por exemplo...mas os outros e que sao sempre maus, nos nao, Deus nos livre....

    ResponderEliminar
  3. alhos...e bogalhos... amdores, Amadora, Rolex...

    Luiz, você anda em baixo, homem... ou adjudicou a gestão do site?

    PSL... lá fez uma com jeito... depois de tantas e tão mázinhas... Era bom que se aproveitasse para discutir algum deste pseudo jornalismo... que nem de pacotilha é...

    Mas Luiz, não misture as marcas nisto...

    Grande panca tem você com as marcas... até parece que nunca teve um Rolex no pulso e que nunca fotografou com uma Leica...

    ResponderEliminar
  4. quem está do lado do Santanão?
    o putedo que mama nos jornais e televisão e quer ser à viva força opinion maker sério etc. caso de santana, pacheco,seabras etc.
    Não sei que raio de jornalista és tu LC que não vês que o que a SIC fez foi jornalismo normalíssimo, interromper para um directo é jornalismo televisivo, e que o Santana é useiro e vezeiro em vitimizar-se sem razão ele que tem sido o político que mais dormiu com o futebol a troco de dinheiro.E mais uma vez é preciso sublinhar neste momento MOURINHO é o PORTUGUÊS MAIS IMPORTANTE em todo o mundo QUER QUEIRAM os vesgos e ceguetas quer não ok?

    ResponderEliminar
  5. 100% de acordo.
    Gosto dos "60min" e pouco mais.
    Como diz o LC "na net tenho o essencial da informação, escolhida pelo meu critério"

    ResponderEliminar
  6. Vou-me citar a mim próprio e transcrever o que já tinha escrito noutro fórum:
    Para mim políticos são igual a escumalha, pensam primeiro no bem deles e só depois é que pensam se hão-de pensar em alguma coisa que tenha a ver com o país, e quando o fazem geralmente é para piorar esse mesmo país do que para melhorar.
    O Santana foi um péssimo PM, consegiu ser pior que o Guterres e teve a saída merecida. Juntando a isto, acho que o homem tem algumas perturbações a nível psiquico e mental. No entanto, acho que o tipo teve uma atitude exemplar, porque, se os políticos são escumalha, muito jornalismo também é lixo (olhemos para a TVI), e é esse esmo tipo de jornalismo que alimenta e incita a um zé povinho analfabeto, camponês, ignorante e preocupado apenas com a bola ou com as histórias da desgraça alheia.
    O Santana pela atitude que teve conseguiu fazer mais pelo país do que fez enquanto PM, deu uma lição ao jornalismo selvagem e oco que é prática comum na comunicação social e fê-lo perante o país que ao menos assim sempre tem alguma coisa que discutir com um pouco mais de conteúdo do que a chegada do mourinho a casa.

    ResponderEliminar
  7. «O jornalismo tablóide (como se tem visto até à exaustão) no Caso Maddie e se vê todos os dias em atropelos, mentiras, sensacionalismo só leva à morte do jornalismo.»
    e
    «Vivemos numa sociedade democrática onde há liberdade de imprensa. O caso Maddie é um bom exemplo. Sem uma imprensa livre nada saberíamos e estávamos condenados a ouvir relambórios da Judiciária, comunicados do governo e mentiras dos protagonistas.
    A imprensa portuguesa e a inglesa não mais têm feito que o seu papel: informar, investigar, arriscar, relacionar, quando mais nada têm a saber da polícia».

    Isto foi escrito pela mesma pessoa: Luís de Carvalho.

    O Luís não me leve a mal, mas tire de novo férias e vá passear...

    ResponderEliminar
  8. Mas é que não tenha a menor dúvida, Luiz, as pessoas, pelo menos, as que têm uma cultura de exigência, tendem a subsituir o meio audio visual que é a TV, pela Internet, até porque a Internet dispôe das mesmas funções da TV, e ainda outras.

    O murro na mesa de PSL foi bem dado. Não parti a mão, não senhor.

    Até porque haveria solução técnica, que permitiria ao telespectador acompanhar os dois acontecimentos, sem interrupção da entrevista.
    Foi um erro da SIC, na minha opinião. Mas também não é grave.
    Não creio que a excelente qualidade do trabalho da SIC, em especial da SIC Notícias, o meu canal preferido, seja penalizado por esta falha.

    Quanto a esta sua afirmação:

    "O público também se educa, pese embora que não é essa a primeira função da televisão nem dos jornais. "

    Tenho algumas dúvidas, sabe Luiz?

    Na trilogia clássica das funções dos media:
    Formar - Informar - Divertir, que sinceramente, não sei como hierarquizá-las, penso que qualquer das funções mencionadas é igualmente importante.

    Sendo certo que o lugar da educação começa por ser o espaço da família e a seguir o da Escola, também os media, têm um peso enorme na formação dos indivíduos, em sociedade.

    Dou dois exemplos (mas há mais):

    - os cidadãos com necessidades especiais;
    - os cidadãos residentes no Portugal Profundo.

    E o E-Learning (formação online)também já "ganha terreno", neste contexto.

    enfim, um debate em aberto ...

    ResponderEliminar
  9. Ora aqui está um comentário com uma qualidade muito, mas muito superior ao próprio post, o qual, como procuro evidenciar, é contraditório entre aquilo que o Luís escreveu agora e o que escreveu há uns tempos.
    É a prova de que há quem tenha os "pézinhos..." na cabeça e outros que os têm na "... areia".
    Agora, é só escolher quem tem os "pézinhos..." onde.

    E, também para mim, me parece óbvio que os media também têm o "dever" de educar.

    Espero bem que o Luís não fique lixado comigo, porque nunca tenho a intenção de o ofender, mas arreio forte e feio quando acho que o devo fazer.
    Porque, repito, Luís tire de novo férias e vá passear.
    Aproveite e faça uma revisão no lancha-chama, até sugeria que o substitua, pois me parece que o aparelho já lá não vai com um simples upgrade.
    E, ás vezes, mais vale comprar novo do que fazer reparações.

    ResponderEliminar
  10. eu n estou lá muito de acordo com tanta lamecha afinal ainda sonham com o cristo nosso senhor levo na direita dou a esquerda.

    E não sabia que havia um Portugal profundo ? é a quantos metros de profundidade ? Há lá petróleo e falta de parabólicas é?
    ou há mais leicas que sonnys mais swatches do que rolexes ?????

    Vão mas é ao louvre e vejam bem o quadro do Courbet " A origem do Mundo " e pensem como têm andado enganados estes anos todos !
    Viva a Mona Lisa e o Marx tendência Groucho

    ResponderEliminar
  11. ah não sabia que havia portugal profundo ??

    Onde é que tem andado meu caro amigo ?

    Provavelmente no Louvre a ver o quadro de Courbet .... não ?

    O amigo anónimo sabe muito bem que me refiro às populações que se encontram distantes das grandes urbes e também do litoral do país.

    Boa Noite !

    ResponderEliminar
  12. Ena pá...!
    Então não estão para aí a dizer que lá na terra onde onde o PSL saiu do desemprego para presidente da câmara que estão a votar com dois cadernos eleitorais.
    Não me digam que lá na terra os tipos vêm ao quadrado.

    Estou a ouvir o Miguel Beleza...
    E está a explicar tudo tão bem explicadinho.
    Imperdível.

    Ó Ana Lourenço, não deixes os gajos entrarem outra vez o Mourinho, que eu perco a linha do raciocínio.
    E estou aqui a ouvir "com esforço pessoal".
    Vá vá, acabou agora mesmo, sem interrupções...!

    ResponderEliminar
  13. E eu também "dobrei" o "onde".
    É pá um gajo até fica a suar com tanto "esforço".
    Estou exausto, p***a.

    ResponderEliminar