quarta-feira, setembro 12, 2007

O trabalho notável da imprensa no caso Maddie


Vivemos numa sociedade democrática onde há liberdade de imprensa. O caso Maddie é um bom exemplo. Sem uma imprensa livre nada saberíamos e estávamos condenados a ouvir relambórios da Judiciária, comunicados do governo e mentiras dos protagonistas.

A imprensa portuguesa e a inglesa não mais têm feito que o seu papel: informar, investigar, arriscar, relacionar, quando mais nada têm a saber da polícia.

O caso Maddie tornou-se famoso mundialmente porque os arguidos chamaram primeiro a SKY News do que a Judiciária ou mesmo que a ordem se altere o tempo que mediou entre uma chamada e outra foi mínimo. Agora portam-se como os vips: a imprensa é rosa quando convém , é negra quando incomoda.

Há uma verdade nisto: o público quer saber tudo sobre o caso, a imprensa só tem que servir esses interesses. E tem-o feito muito bem. Com erros, espectáculo exagerado, tudo o que queiram, mas tem feito o seu trabalho: dizer o que sabe e por vezes juntar dois mais dois para tentar perceber o que duvida saber.

Quem vem armado em moralista e criticar os jornalistas deve ter saudades da censura, gostar de comunicados oficiais e ser embalado pelas versões que o Poder e a polícia querem mostrar oficialmente.

Querem o lápis azul ? Ou nem sequer querem saber a verdade ?

15 comentários:

  1. João Rocha12:47 da manhã

    Deixe.me discordar do seu ponto de vista de jornalista.
    Mas sinceramente tudo o que se têm feito em volta deste caso é um pouco vergonhoso, parece que derrepente não existem mais noticias quer no panorama nacional ou internacional, e os meios de comunicação social mastigam as notícias que não têm, repetindo uma e outra vez a mesma coisa, convidando supostos "especialistas" para durante mais de dez minutos nada dizerem. E adiantando notícias, que não são notícias, mas sim especulações. Peço desculpa mas o que se tÊm feito em torno deste caso não é um jornalismo sério, e de factos, mas apenas um chorrilho de mentiras sensacionalistas, isto para não falar na suposta "guerra" entre os Media Portugueses e Ingleses. Já chega

    ResponderEliminar
  2. O seu papel ?
    Pensei que os jornalistas além de relatarem factos, tinham algum recuo para saberem o que é essêncial e o que é puro "show-off".
    Para que é que eu quero saber todas as movimentações dos pais ou da polícia ? É verdadeiramente importante ? Realmente os investigadores devem adorar ter de fazer o seu trabalho sempre com uma camera em cima!
    Relatar factos irrelevantes e suposições avulsas não é própriamente bom jornalismo pois não ?
    E lá porque há cadeias noticiosas que podem colocar jornalistas cheios de material altamente tecnológico dias a fio num local, não quer dizer que todo esse esforço produza algo verdadeiramente memorável.

    Fica também provado que as motícias podem ser um reality show de média duração, pago pela publicidade.

    Só faltou fazerem um contrato com os pais para fazerem um Big Brother .

    ResponderEliminar
  3. Alguns Jornalistas têm um papel demasiado incendiário nos factos relatados!
    Por exemplo ontem ao escutar a Rádio após o jogo da selecção ouvi vezes sem conta o jornalista afirmar que Scolari tinha agredido um jogador!
    Se agrediu ou não, não sei... Mas um pouco mais de contenção na divulgação de incertezas não ficava nada mal.

    ResponderEliminar
  4. Nem mais nem menos!
    Chama-se a isso interesseirismo e pretensiosismo em função do andamento do caso!
    Esta é a educação moderna, apela-se a Deus ou ao Diabo em função da posição do sujeito! Interessa é safar a coisa do ponto de vista do sujeito, os outros que se f....am!

    ResponderEliminar
  5. Nem mais nem menos!
    Chama-se a isso interesseirismo e pretensiosismo em função do andamento do caso!
    Esta é a educação moderna, apela-se a Deus ou ao Diabo em função da posição do sujeito! Interessa é safar a coisa do ponto de vista do sujeito, os outros que se f....am!

    ResponderEliminar
  6. Se nao manipulassem tudo isso seria verdade.

    Por exemplo andam por aí a repetir constantemente que a senhora é fria, que nao chora, passam imagens e imagens. Eu vi a senhora a chorar várias vezes, vi desespero nos olhos, vi uma altura em que pensei que ia cair para o lado tal era o grau de hiperventilaçao.

    Mas passam o tempo a dizer que a senhora nao tem expressao, é fria, está sempre na mesma. Que arranja o cabelo e usa brincos e tem cara de má.

    É fantástico

    ResponderEliminar
  7. Depois aparece alguém a dizer que a expressao facial é tal e que o marido fecha os olhos. Pois fechou os olhos quando estava a ler um papel. Era noite e estava cheio de flashes a disparar, mas o senhor fechou os olhos. É suspeito.

    Depois tem:
    dizer que eles sao ricos , se fossem pobres

    dizer que tem amigos influentes

    dizer que possuem dinheiro

    dizer que tem acessores ( foi sugestao do consulado britanico e escolhidos por eles, mas nao interessa)

    dizer que sao ingleses

    inflamar que os tabloides britancios dizem mal da melhor policia do mundo, coitadinha

    Sim senhor, grande papel da comunicaçao social em estimular o apedrejamento publico


    Ana Maria

    ResponderEliminar
  8. O que mais gostava de ver, mas infelizmente a probabilidade é muito pouca, era a garota aparecer vivinha da silva. Ia adorar ver a cara da manada

    ResponderEliminar
  9. subscrevo o que o joão rocha
    disse. o mario
    o anonimo das1:04 PM
    da ana maria
    do anonimo da 1.12pm

    está a vista de todos que os media os comentadores a policia neste caso não foi nem profissional nem honesta cada um destes 3 apenas se aproveitaram do caso para uns venderem muito. outros para que se lhes veja como olham para o seu douto o umbigoe pelos 5 minutos de fama. os outros para terem sempre a desculpa de que se se enganaram foi por não terem meios para trabalhar!
    e não me venham que os pais montaram o circo? se tal era um facto para os profissionais! pq não o foram e o permitiram?
    é que a se-lo teriam de imediato selado a tenda e as roulottes passando pela bilheteira até ao carrinho das pipocas.mas não! deixaram o publico entrar cobraram bilhetes, fizeram o nº dos ginastas depois dos cãezinhos amestrados depois foi o intervalo e retomam com os leãos e acabam com os palhaços.
    é que quando não se quer um circo numa localidade não se lhe dá alvará e os artistas vão para outra aldeia!
    mami

    ResponderEliminar
  10. luiz eu quero liberdade de imprensa. mas não quero que a imprensa me tire a liberdade!!!
    mami

    ResponderEliminar
  11. luiz vc diz assim: "há uma verdade nisto: o publico quer saber tudo sobre o caso ,a imprensa só tem que servir esses interesses. "

    vc devia escrever antes (sem lhe retirar a sua liberdade é obvio)

    o publico quer saber toda a verdade sobre o caso! a imprensa só deve dar a verdade

    e ainda diz :
    ora se isso tem sido feito Com erros, espectáculo exagerado, tudo o que queiram, mas tem feito o seu trabalho:

    luiz tudo o que vc disse pode ser tudo menos trabalho!
    pelo menos de jornalismo naquilo que é a essencia do jornalismo!

    e diz ainda:
    "dizer o que sabe e por vezes juntar dois mais dois para tentar perceber o que duvida saber."

    luiz o jornalista 1º deve juntar 2 mais 2 .deve tentar perceber o que duvida mas e só depois de a duvida passar a certeza é que deve DIZER O QUE SABE!
    só assim se publicam as VERDADES que o publico quer saber!

    NESSES ENTRETANTOS DE DUVIDAS E INCERTEZAS HÁ UM PAÍS E UM MUNDO CHEIO DE NOTICIAS PARA DAR.

    MAMI

    ResponderEliminar
  12. "o publico quer saber tudo sobre o caso ,a imprensa só tem que servir esses interesses. " disse o Luiz.

    Hoje, está na ordem do dia, o Diário de Kate.

    E eu pergunto ao Luiz:

    Considera que o público tem o direito de saber o que Kate McCann escrevia no seu diário, sobre a vida em família ?

    Que o marido não a ajudava ..
    Que os filhos às vezes eram uns histéricos ...

    Factos por sinal, que se verificam em qualquer família, maridos a baldarem-se às obrigações domésticas e criançinhas aos berros em casa ...


    Só espero que não venham a falar das posições. Se fazem na horizontal ou de pé ....
    :-))))

    ResponderEliminar
  13. Oh Luiz então os jornalistas não têm pecados?.... Grande trabalho têm feito... então as televisões com os seus 'experts' em coisa nenhuma...

    deixe-me rir...!

    E não, não tenho saudades do lápis azul!!!
    Mas não gosto deste vale tudo...

    ResponderEliminar
  14. nunoamaro9:30 da tarde

    Também não acho que a imprensa tenha dado uma boa imagem de si própria neste caso. Acho que o papel dos jornalistas é informar e neste caso, a informação é pouca. Mas isso não impediu que dezenas de telejornais abrissem com este assunto, quando nada de novo havia para dizer. Mesmo sem verdadeiras notícias, o assunto foi motivo de capa de vários jornais.

    Ora, estes folhetins cansam. E no caso da televisão, já cansei de vez. Era pedir muito que um jornalista que faz um directo falasse de forma calma, pausada e objectiva? É coisa que simplesmente não se vê. Deixei de ver telejornais, é uma perda de tempo. Informo-me exclusivamente pelos jornais, mas talvez não seja por muito tempo. São tantas e tão frequentes as referências à internet, que me pergunto: o que faço com um jornal na mão, quando afinal tudo o que interessa está na web?

    Talvez seja tempo das pessoas ligadas à imprensa pensarem um pouco no jornalismo que este país precisa. É do interesse de todos. "Espremer" os assuntos desta maneira, não é do interesse de ninguém.

    Cumps.

    ResponderEliminar
  15. «O trabalho notável da imprensa no caso Maddie»
    Devo estar a ler mal ou é do sono que me está dar.

    ResponderEliminar