quarta-feira, agosto 29, 2007

Clique na imagem para ler a crónica de Alberto João Jardim e comente

7 comentários:

  1. João Jardim não é o tipo de político que agrade à maioria bem pensante da sua classe,bruxelizada. A mim já me insultou quando me chamou "cubano" no sentido de ser fidelista ou castrista e nessa medida se se cruzar comigo na rua só pode é levar uma bolachada. Mas só por isso, porque de resto reconheço que é um dirigente político-partidário que tem servido razoávelmente o seu povo. Sei que não trta bem os adversários políticos e sempre os tratou mal especialmente os marxistas porque como se sabe ele é um "fidelisssimo" mas da Igrega Católica. Quanto aos privilégios que Lisboa recebe em prejuízo de outras regiões, engana-se, isso já não acontece há muitos anos. Obras como a do Metro do Cais Sodré e outras parvoíces caríssimas é que t~em sugado milhões a Lisboa. Noutras regiões os autarcas têm sido mais eficazes.Apenas uma mancha do interior e de Trás-os-Montes se pode dizer mais afastada do suposto "eldourado" alfacinha. Quanto a bater Sócrates, não é tarefa fácil, para já, por várias razões, mas aprecia-se o optimismo do Dr. Jardim.Mas por outro lado ele não mostra coragem suficiente para se vir candidatar a pôr as coisas na ordem cá no "ContnenTe" porque sabe sabe bem como isto é um saco de lacraus e ele tb tem cu e quem tem cu tem medo. Valentão só o Major e mesmo assim anda com o rabo entre as pernas. E lá do meio do Atlântico pode-se ser valentaço, mas não é só com blá blá avulso que se combate a socrática "muralha de aço".

    ResponderEliminar
  2. emendo se se cruzar para : ao cruzar-se comigo na rua

    ResponderEliminar
  3. O grande AJ está em forma.De facto é um prazer apreciar a coragem e o afrontamento, deste homem que num país de cobardes, se destaca, misturando verdades com basófias e marca Portugal durante 20 anos.
    A gente sabe que na madeira os interesses vão dar todos ao AJ, à sua familia e amigos, desde o turismo à zona franca comercial e financeira,etc. A gente sabe disso ! Mas o que era a Madeira quando o Ronaldo nasceu? Perguntem ao Joe Berardo , como era a tamanha fominha que ele e os demais jovens,passavam antes de partirem para a Africa do Sul.
    Perguntem ao Horacio Roque como era a Madeira antes de emigrar
    A Madeira hoje é uma das zonas mais ricas de Portugal. Os madeirenses já não precisam emigrar. Antes são os continentais que querem arranjar um lugarinho no Funchal.
    Os Madeirenses são portugueses ,mas amam a sua terra e tem orgulho nela e não se vendem por 3€/hora a apanhar fruta em espanha com os marroquinos nem vão trabalhar para a construção na islandia a trabalhar a -20º ã ganhar 5€/h e muitos deles não trazem dinheiro suficiente para a viagem de regresso.
    É por isso que o AJ não perde eleições, e ganha às cabazadas!
    Como líder politico o AJ é um craque.Ele soube não só melhorar as condições de vida em termos materiais mas sobretudo reforçar o espirito, encorajar e valorizar a condição de ser Madeirense em Portugal e nas comunidades de emigrantes.
    Pelo resultado do seu trabalho ele tem muito credito e se analisarmos o que escreve, concluimos que está cheio de razão!
    Os portugueses no continente são "chupados" pela maquina administrativa instalada em Lisboa e nas capitais de distrito, onde estão as delegações distritais.
    Até o Porto,antes 2ª Cidade do País foi esvaziada. O norte do país é das zonas mais pobres da europa.
    Quando num país as autarquias são os principais empregadores, está tudo dito!A Camara de Lisboa emprega 14 000 trabalhadores directos + os contractados a recibo verde + os avençados (a preço do ouro).
    Com tanto trabalhador, lembro-me logo daquelas maquinas administrativas Sovieticas onde tudo era traficado até implodir por si.
    Pelo nº de candidatos nas ultimas eleições ,dá para entender que Lisbos tem mel !
    Viva Lisboa!

    ResponderEliminar
  4. Jardim é grande e fez da Madeira um paraiso. Deus é grande e Jardim não é eterno...Muitos anos ao Tio!!!

    ResponderEliminar
  5. Os comentadores anteriores já disseram quase tudo.
    O pior de Jardim é o seu populismo, a roçar os “Socretinos”. O melhor, é a obra que deixa, que fala por ele. O PIB da Madeira só é batido pelo de Lisboa e o povo vive bem melhor que há 20 anos. Além disso, tem tomates, algo que vai faltando aos lambe-botas aqui do continente.

    ResponderEliminar
  6. ... é fácil fazer muita obra... com tostões a caírem de Cuba... desculpem... do Continente...

    na Madeira não se respira, sorve-se o ar em pequenas golfadas só o necessário para nos manter-mos vivos...

    Já experimentaram a abrir um jornal madeirense? Leiam-no todo e vejam quantas vezes se menciona o dr AJJ e em que termos...

    Se tiverem uma boa memória vão que a prosa até apresenta um ligeiro odor a... 'outra senhora'

    ResponderEliminar
  7. Se fosse escolher entre o parvo do AJ e as sanguessugas que têm passado no governos sucessivos PS e PSD do continente, eu escolheria o AJ.

    Quem deixou este país no estado que está, não foi um governo... foram vários.
    Temos o que temos e a culpa é o PS e do PSD, na mesma proporcão!
    O engenhocas não é pior que qualquer dos outros. É mais do mesmo.

    Falamos, falamos mas não fazemos nada.

    Manifestamos o descontentamento com abstenção. xii que parvos!

    Num programa, a votação do descontentamento elege o Dr.António. É este o critério eleitoral dos Portugas?
    Vota-se no contra?

    O Dr. AJ está do mais legitimado.

    Os franceses julgam-nos mais parecidos com os do norte de África que europeus. Os ingleses têm dificuldades em encontrar adjectivos para nos qualificar.

    Eu tenho 35 anos.
    O meu pai emigrou com esta idade.

    Para mim talvez ainda haja esperança!

    ResponderEliminar