segunda-feira, julho 09, 2007

Radares de Carmona ressuscitam e disparam

Costa aumenta tempo dos semáforos para peões, Carmona tira fotos a aceleras

Para quem achava Carmona incompetente e os radares de Lisboa inúteis, desengane-se. A partir do dia 17, depois das eleições atenção, as máquinas fotográficas de Carmona vão disparar para os que ultrapassarem os 50 ou 70 limitados.
Com o Costa a pôr os semáforos mais lentos para os peões e o Carmona a mandar tirar o pé do acelerador, Lisboa vai ficar mais lenta. Será a tal capital lenta, rural, a aldeola capital com que Salazar sonhou e Duarte Pacheco quis mudar. Volta Pacheco, ao menos tu davas bem no Dodge!

2 comentários:

  1. Fixe...
    Agora é que o Luíz vai ficar bonito nas fotografias das "Leicas" do Carmona.
    Eheheh...

    ResponderEliminar
  2. Opinião Velocidade Permitida

    Reparo com agrado que a velocidade prevista de 50 km por hora para a Radial da Buraca é afinal de 80 Km por hora. A velocidade de 50 era realmente muito ridícula e era inferior à de 70, permitida sobre o tabuleiro da Ponte 25 de Abril, ou à imediatamente a seguir, antes do Aqueduto das Água Livres, onde o limite é de 80, numa curva e contra curva. A velocidade aqui é exagerada e está bem provado pelos embates visíveis no separador central e nos protectores laterais. Apesar de tudo, julgo ainda que a Radial da Buraca não me parece mais perigosa que o IC19, pelo que não creio que fosse demais aceitar o limite de 100 km nesse local. O limite teria que ser e é reduzido para 50 no entroncamento com a 2.ª. circular.

    Mas infelizmente as outras vias onde foram colocados os controlos de velocidade são também vias especiais, onde deveria ser permitida uma velocidade superior aos 50 km por hora, porque são autênticas vias rápidas urbanas, pois têm vias separadas e cruzamentos desnivelados. Uma coisa é circular-se na Av. Marechal Gomes da Costa, na extensão da Avenida EUA em Chelas ou na Avenida Infante Dom Henrique; outra é circular-se na Avenida Almirante Reis, na Rua da Escola Politécnica, na Travessa das Flores ou na Rua do Alecrim, por exemplo.... É claro que nas outras vias que indiquei e muitas mais poderia referir não seriam detectados tantos infractores, mas uma coisa garanto eu: os que fossem “apanhados” mereciam bem mais o castigo da multa!

    Além disso, os limites poderiam ser variáveis (à semelhança do que acontece na Ponte Vasco da Gama): Já imaginaram o que é ter que circular a 50 Km por hora, de madrugada, num túnel com 1, 5Km? Qual foi o critério para a escolha das velocidades e dos locais a controlar?

    Zé da Burra O Alentejano

    ResponderEliminar