segunda-feira, julho 09, 2007

LISBOA E LISBOETAS DE LUIZ CARVALHO

Elevadores da Glória parados de madrugada em 1982. Foto com Leica M3, 5omm.

7 comentários:

  1. O preto e branco é sempre magnífico. Tem cor e tem vida. Apesar dos eléctricos estarem parados e ser à noite. Ou, se calhar, por isso mesmo.

    E tem a melancolia que tantas vezes nos faz falta para nos fazer companhia, onde nos evadimos a pensar sobre tanta coisa que, afinal, não estão esquecidas.

    Por onde tanto anos vagueei de eléctrico. À noite, quando Lisboa era linda e tinha muita luz. Hoje é triste e escura, com centros comerciais absurdos. Onde as pessoas se escondem na multidão. Procurando uma meia sopa por um euro e uns cêntimos.

    Sinto a nostalgia da Graça, do Bairro Alto, da Calçada de São Vicente, do Sodré, do cheiro africano da Praça da Figueira e do Rossio.

    E do Metro onde tantas vezes me perdia. Me deixava perder. Sem saber que rumo levar, enchendo o tempo que demorava a chegar. Com a ânsia de, contraditoriamente, querer voltar para o meu “Alentejo” onde agora escrevo.

    E sinto a tristeza dos que acordam nas camas de papelão, que se sentam nas traseiras dos restaurantes e das tascas, na espera das suas refeições servidas nos contentores do lixo.

    Sinto Lisboa...
    E sinto uma azia enorme por estes políticos que nos governam.

    ResponderEliminar
  2. JS: voçê tem alma e faz falta aqui no Fatal. Obrigado

    LC

    ResponderEliminar
  3. Sabe, Luíz... Também existem "bófias" com "alma".
    E não se esqueça que continuo à espera do boné que lhe pedi.

    ResponderEliminar
  4. deixem-se lá de lamechiches queremos o ´fotógrafo a mostrar fotos ...é para isso que tem as máquinas os cartões os filmes o talento etc.

    ResponderEliminar
  5. esta foto era quando ele andava a pé...de trotinete enfim tinmha tempo para olhar...agora a 150 km/h
    de range BMW Ferrari Harley Ricoh Digital são fotos apressadas de estúdio ou posadas algumas desfocadas..........

    ResponderEliminar
  6. O Luiz Carvalho (ou Luís Carvalho, vendo melhor...) que eu aprecio.

    pf

    ResponderEliminar
  7. Não tenho Ferrari, nem Harley e o Range não é um V8 é uma daquelas camionetas com carroçaria de jeep de rico mas alma de trator. Um motor diesel naquilo é um atentado à tradição inglesa. Ainda por cima gripam, não andam puto e tenho sempre que andar a ver o óleo e a água, sendo o motor novo.

    Na altura endava de mota BMW e o meu carro do dia a dia era um MGB-GT lindo ! Portanto não sejam preconceituosos: o Rosselini andava de Ferrari e o grande fotógrafo David Douglas Duncan ia visitar o Picasso no Sul de França num Mercedes 300 SEL, aqueles que abrem as portas como asas e custavam uma verdaeira fortuna na época.
    Não sejamos miserabilistas

    ResponderEliminar