domingo, julho 22, 2007

CARRO DE SÓCRATES PASSA DUPLO CONTÍNUO EM INVERSÃO DE MARCHA

Foi no local assinalado na seta que o carro de Sócrates fez inversão de marcha e passou um traço contínuo
O nosso primeiro-ministro fala muito de rigor e de cumprimento de regras e do código da estrada, mas é para os outros.

Esta manhã, depois de ter tomado o seu café na Pastelaria Vontadinhas, na Rua Castilho em Lisboa, onde mora, entrou no seu Volkswagen Phantom com o habitual Vectra da segurança atrás.
Começou a descer a rua quando junto à
Hertz ... não esteve pelos ajustes e fez uma brusca inversão de marcha ultrapassando os dois traços contínuos ali existentes. É de homem ! Sobretudo um grande gesto de um grande líder político.

Sócrates já tinha dado o exemplo aos portugueses de como se deve estudar e tirar licenciaturas. Chegou a vez de ensinar os portugueses a conduzir. Conduza pelo método Sócrates.



Não há nenhuma alínea no código da estrada que permita a carros oficiais não cumprirem as regras de trânsito. Mesmo as ambulâncias devem cumprir a lei. Depois os dois veículos não assinalavam nenhuma marcha de urgência, nem especial, como é feito quando há batedores.

Esta atitude de arrogância diz muito do primeiro-ministro: faz o que eu digo, não faças o que eu faço.


PS: poderá haver outra explicação: a carta de condução de Sócrates ter sido tirada a um sábado e o exame ter sido feito num simulador no Fun Park do Colombo. Apesar de não ir a conduzir permitiu esta bárbara manobra.

19 comentários:

  1. Começo a perceber por que não me oferece o boné a que já por várias vezes me fiz de oferecido.
    É que, afinal, o Luíz parece precisar dele para si.
    Cá para mim, você dava um bom polícia. A sério.

    ResponderEliminar
  2. Saíu na farinha amparo, como a licenciatura.

    ResponderEliminar
  3. Apesar de achar que “estamos entregues à bicharada”, fazendo alusão a uma expressão usada no meu blog, sobre os políticos que nos governam, ou que nos querem governar, acho que este seu post revela alguma falta de imparcialidade, da mesma forma como atacou o “sonso” do Carmona e depois veio defender que nele se votasse, isto apesar de também ter defendido que o povo destroçasse para o “Alentejo” e não fosse a votos.

    Não defendo de forma alguma que “carros oficiais não cumpram as regras de trânsito”, embora o possam fazer em circunstâncias que estão salvaguardadas na lei, dando de barato, no caso concreto, que se esteja perante um mau exemplo, porventura não justificado. Ou, se justificado, “não assinalado”, o que continua a ser um mau exemplo.

    Mas lembro aqui as suas palavras sobre o político “212àhora”, o qual esteve na origem de eu apanhar o vício dos blogs, quando o Luíz de Carvalho disse que “Esta história de andarem a crucificar o ministro por ter sido apanhado a 210 quilómetros por hora parece-me ridícula” e que ” O que é grave que esse ministro só acelera na auto-estrada mas não carrega no pedal da economia”... Podendo ler o resto do texto no seu post de 14 de Setembro de 2006 sobre “Em defesa do ministro acelera”.

    Não sei, de facto, o que é mais censurável se esta atitude de Sócrates com a manobra que aqui hoje você critica ou a do ministro que ia na bisga há quase um ano atrás.

    Por mim, acho que são ambas censuráveis.
    Mas, vá lá, eu até o compreendo, pelo que conheço daquilo que escreve.
    E, afinal, todos nós, e eu também, precisamos de estar contra alguma coisa, nem que seja disto... e do seu contrário.

    ResponderEliminar
  4. Los españoles conducen de puta madre

    ResponderEliminar
  5. Portugal até é um país porreiro.
    Está é no sitio errado. A localização perfeita era em África, talvez ao lado do Burundi.

    ResponderEliminar
  6. Talvez, em África, sim, onde há sida, fome e corrupção em barda.
    Muito mais do que por aqui, apesar dos Sócrates e companhia.
    E onde não existem estradas com traços contínuos para quem não tem mais que dizer, e escrever,... que não sejam disparates.
    Boa viagem, caro anónimo.
    E fique por lá, que mentalidades destas não fazem cá falta nenhuma.

    ResponderEliminar
  7. Parabéns ilustre cidadão js.
    Um comentário ao nível dos nossos governantes.
    Realmente já ando com muitas saudades de África.
    Ao menos lá os cidadãos estão muito acima dos governantes.

    ResponderEliminar
  8. Meu "ilustre cidadão" anónimo:
    Não perco tempo com "etíopes" como há dias me brindaram, achando que se enganaram, pois tal lhe fica bem a si.
    Boa viagem para o Burundi e que seja feliz por lá, bem longe.
    Porque, para palhaçadas, vou antes ao circo.

    ResponderEliminar
  9. JS?? José Socrates??
    foste apanhado;)

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. É assim mesmo Luís de Carvalho.
    C********* não vale.
    Só palhaços educados, "ilustres" cidadãos e bloggers com falta de coerência.

    ResponderEliminar
  12. cuidado as referências... atenção ao que sucedeu a António Balbino Caldeira do blog "Do Portugal Profundo"...

    ResponderEliminar
  13. Caro js,
    É de lamentar um país onde os governantes se julgam acima dos cidadãos ou acima da lei.
    Esquecem-se que somos nós, cidadãos comuns, que lhes pagamos o ordenado.
    E fazêmo-lo para que governem o país e não para se governarem a eles.
    Nós, cidadãos comuns (repito mais uma vez), somos os patrões dessa gente.
    Não lhes damos o direito (eu pelo menos não dou) de se colocarem acima de da lei, nem qualquer outro cidadão.
    Se acordam tarde, isso não lhes dá o direito de atropelar o código da estrada que tanto querem que todos cumpram.
    Em África é que os governantes se julgam acima de tudo e de todos. Na Europa isso não se passa. Nós estamos na Europa por um mero acaso geográfico. Não somos europeus em nada.
    Quando digo que deviamos estar ao lado do Burundi não é por desprimor algum em relação aos africanos, que muito estimo.
    Se ficou arreliado com o meu comentário, peço desculpa, pois não era essa a minha intenção. Era sim um desabafo em relação à classe política em geral que julga que este país é uma coutada privada onde podem fazer tudo o que lhes apetece.
    Se quiser arranjar problemas vai ter que bater a outra porta pois comigo não se vai safar. Também tenho mau feitio, não tenho é paciência para conversas de chacha na internet.
    E pode ficar descansado, assim que puder vou a África e fico lá o mais tempo que conseguir.
    Depois envio-lhe as fotos. Pode ser que que o convença a ir também, vai ver que não se arrepende.

    ResponderEliminar
  14. oube lá ó js és "etíope" és, num me infanei nada ora pergunta lá ao Tabares Telles do Jogo se ele num falou com o Pintinho e ouviu ele tb chamar-te "etíope" ? Tá tudo grabado pela Leonor Pinocas no chato do Bieira "Esse etíope já mandou o carcanholi pró meu marido fazer o filme ? "´E que os Ratos Pardacentos querem mais para incluirem lá as declarações da Ana Insonsa e do "etiope" (????) "
    Bocê sabem quem foi o Absurdo ? Foi esse mesmo o " etíope " hehehehehe !!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  15. Isto parece uma conversa de surdos.
    Não leiem os comentários todos e depois vêm uns "ilustres" anónimos com uma conversa que não dá para entender.
    Se alguém tinha que estar chateado aqui comigo era o Luis de Carvalho, tendo em conta os meus dois primeiros comentários.
    Mas, enfim, acho que estou a levar isto demasiado a sério.

    ResponderEliminar
  16. Luiz, fico à espera que coloque uma "posta" dedicada a esta notícia. Aparentemente foi levantado o fino e quase transparente véu de vergonha que a classe política ainda tinha no que toca a chupar o dinheiro do povo para o seu próprio proveito ou dos seus boys (isso ficou claro quando aquele tipo adjunto do socas, com cara de mongo, pediu um aumento de 100% ao seu salário). Agora esse manto já não existe, portanto está tudo a saque e quem pode (ou seja, filhos, amigos e familiares dos políticos ou filhos dos amigos dos políticos) só tem que tirar uma senha e esperar a sua vez de ser chamado para receber a distinção de boy (leia-se boi).
    Enjoy:
    "Os deputados à Assembleia da República vão passar a ter um assistente individual. A medida ficou ontem consagrada num projecto de alteração ao Estatuto dos Deputados, que subirá hoje a votação. Sem data para ser aplicada, a norma deverá ser "concretizada gradualmente", com o apoio dos assessores dividido "numa primeira fase" por vários deputados. Actualmente, a AR deixa aos partidos o critério sobre o número de pessoas que contratam para apoio técnico. O que está pré-definido é o montante financeiro que cada um tem para esta área, calculado em função do número de votos nas eleições - com esse montante, cabe então aos partidos decidir quantos funcionários contratam. Actualmente, o conjunto de todos os grupos parlamentares contará bem menos de 100 assessores - um número que, com o novo estatuto, passará para os 230.
    IN DIÁRIO DE NOTÍCIAS |19.07.2007"

    ResponderEliminar
  17. Parece-me que há aqui uns 3 anónimos...
    Eu costumo assinar fb, por lapso não o fiz no primeiro comentário.
    Vou num instante almoçar a Tumbuktu e volto já ;-)
    fb

    ResponderEliminar
  18. Quanto às aventuras automobilísticas do engenhocas socas, muita sorte tivemos nós de ele não atropelar uma dúzia de velhinhas e crianças que passavam na passadeira matando-os todos. Se tal acontecesse, mal alguém reclamasse o sucedido, certamente o socas e a sua corja de bandidos sairiam logo para a praça a berrar que isto era tudo obra da imaginação mesquinha da oposição que gosta de criar casos onde eles não existem e que só quer tentar impedir o governo de fazer do país uma grande nação. Ah ganda Hugo Cháv..., perdão Ah ganda engenhocas!

    ResponderEliminar
  19. Amigos não querendo fazer publicidade mas sim dar e pedir que se juntem tambem a nos:

    www.politicamenteincorrecto.com.pt

    Voces deste espaço e nos seremos ainda mais fortes

    ResponderEliminar