quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Valha-nos São Valentim !


Os centros comerciais voltaram a encher. Hoje à noite em Oeiras havia bichas de carros e de gente para comprarem a prenda do dia dos namorados. Só se viam pessoas com prendas na mão, à pressa, para surpreenderem o ou a namorada.
Eu que sou contra esta encenação dos dias de por tudo e por nada acabei por aderir ao espírito do dia. Acabo sempre por ceder a estas normas, principalmente com a avançar da idade, que apesar de não ser muita já começa a ser mais comprometida do que há anos.
Por muito que amemos os nossos, e isso é à prova de bala para mim, não me convenço destas modas, sendo eu um consumista controlado.

Mas se fizermos contas às prendas obrigatórias pelo Natal, multiplicadas pelos aniversários, páscoas, carnavais, dias da criança, da mãe, do pai,aniversários dos colegas da escola do petiz e outras efemérides de prenda obrigatória, tudo somado no final do ano dá para uma pequena-grande viagem.

Este tipo de vida que se institucionalizou há muito pouco tempo é de uma estupidez total e de um cinismo sem fim. Por outro lado parece que cada vez nos surpreendemos menos uns aos outros com gestos e atitudes de amizade.

Tudo se compra para bem do consumo e do lucro e para reconfortar as nossas consciências pesadas de tanto esquecimento.

Mas tudo isto não deve passar de um ataque meu de feitio duvidoso.

2 comentários:

  1. Paulo Sousa11:54 da tarde

    Cá para mim é mesmo um ataque de mau feitio :-)))

    ResponderEliminar
  2. 100% de acordo. Mas lá comprei umas flores.

    ResponderEliminar