segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Cidadãos-repórteres editam com software livre

Milhões de consumidores compram celulares com câmeras de vídeo a cada semana e diversos sites existem agora com ferramentas gratuitas de edição online, o que está estimulando o desenvolvimento de uma nova geração de criadores de conteúdo.

Os celulares com câmeras estão superando as vendas de câmeras de vídeo tradicionais. Mais de 348 milhões de celulares vendidos em 2006 estavam equipados com uma câmera capaz de registrar e armazenar vídeo, e a estimativa para 2007 é de que o número suba a 490 milhões, de acordo com o grupo de pesquisa de mercado Strategy Analytics.

Além disso, os fabricantes de celulares colocaram câmaras de vídeo nas mãos de uma faixa etária que anteriormente não comprava esse tipo de aparelho: os jovens e as pessoas sem filhos.

O efeito pode ser visto no YouTube, onde mais de 65 mil vídeos novos chegam ao site a cada dia, a maior parte dos quais estrelados por pessoas na faixa dos 20 anos e não por crianças.

A maior parte dos vídeos são amadores, mal iluminados, sem grandes cuidados. Se considerarmos que o site recebe mais de 100 milhões de visitas por dia, aparentemente é isso que os usuários desejam.

"Os vídeos vão direto ao ponto, contam sua história. E de maneira mais cômica do que dramática", disse Nicolas Charbonnier, 24, um dinamarquês que mantém um videoblog.

Muitos dos novos criadores de vídeo chegam ao mundo dos blogs de vídeo com investimento zero, já que seus celulares têm câmeras e as ferramentas básicas de edição podem ser encontradas gratuitamente em sites como o Jumpcut.com e Eyespot.com.

O software gratuito de edição online nasceu devido à frustração dos usuários com relação ao alto preço dos pacotes de programas de edição.

"O motivo para começarmos foi o fato de que tínhamos celulares e câmeras com recursos de vídeo digital (DV), estávamos tentando editar vídeos, mas era difícil. Os pacotes de software são complicados como um ônibus espacial, muito difíceis de usar", disse David Dudas, co-fundador da Eyespot.

A qualidade do vídeo gravado em celulares ainda é baixa, e os recursos de edição disponíveis online são por enquanto básicos, mas esses fatores devem melhorar dramaticamente nos próximos anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário