quinta-feira, junho 22, 2006

LIBÉRIA - Mamba Point Hotel


A vista do meu quarto 47 do Mamba Point Hotel em Monrovia

Da janela do meu quarto no Mamba Point Hotel vejo entre grades o mar. A paisagem é de ferrugem, a côr da agua de chumbo em ondas grossas. As praias da Libéria engolem o mais experiente banhista. Mar traiçoeiro como muita da gente que o circunda.
No país das catanas e das mortes a sangue frio que durante 15 anos fizeram destas paragens um reduto de morte selvagem é este quarto com vista sob o horizonte negro que me coube em sorte.

Na Samsung do quarto 47 vejo o Portugal – México e subitamente sinto-me português. Aqueles rapazes jogam bem à bola. Alguma coisa devíamos ter de bom. A CNN faz-me companhia e reparo que a cadeia americana está mais fresca, com zonas novas de edição. Uma é Highlight, outra Fun Zone: onde os espectadores aparecem com fotos suas em poses alegres durante o Mundial. Muito bom. É já a televisão a aprender com o melhor que se faz hoje em jornalismo online: interacção permanente com o receptor.

Um jantar de barracuda, um Romeu e Julieta para acalentar, Mozart no IPOD, mil e tal fotos de Guterres a descarregarem que me agradam, o meu filho David, 4 anos, a perguntar se , “ o pai vem jantar ?” e a última notícia de que o ditador Charles Taylor que dominou 15 anos este país chegou hoje à Holanda para ser julgado por crimes contra a humanidade no Tribunal de Haia.

Coisas diferentes e tão próximas. A vida compõe-se deste caos e, como na fotografia, cabe ao artista organizá-lo, dar-lhe um sentido. E depois dormir, malgrado o maldito gerador não parar de roncar toda a negra noite.

4 comentários:

  1. que vida gira que tu tens
    abraço

    ResponderEliminar
  2. bela vista!!
    até parece que estão a dar umas ondas;)

    ResponderEliminar
  3. Beijinhos. Está-se bem e o trabalho chegou bem ao jornal.

    ResponderEliminar
  4. Beijinhos. Está-se bem e o trabalho chegou bem ao jornal.

    ResponderEliminar