domingo, junho 11, 2006

90 minutos de paz social

Às 21 horas de hoje, o Bairro de Alvalade em Lisboa, estava completamente silencioso. Nas ruas não se via ninguém a não ser umas velhotas perdidas nas paragens do autocarro. Podia ser uma cidade fantasma. Depois a caminho do Estoril, segunda circular, A5, passavam uns carros de quando em vez, com os faróis a anunciarem o início da noite.

A Rádio Marginal, na sua programação marginal, deu-se ao luxo de nem sequer ter referido no noticiário das 21 que havia jogo de Portugal, muito menos que ganhávamos 1-0 devido a uma bela passagem de Figo para Pauleta que deu golo em grande.
É por estas e outras pérolas sonoras que só ouço Rádio Marginal.

Os portugas enfiaram-se em casa e estiveram entretidos sem chatearem ninguém durante hora e meia.Um pouco como os pais que respiram fundo quando os traquinas dos filhos se alienam com morangos selvagens.

O engenheiro Sócrates, que anda mortinho por tirar trânsito nas cidades numa daquelas suas patetíces politicamente correctas, podia dar futebol ao povo todos os dias e assim resolvia um problema ecológico e, já agora, social:poupar-nos à fúria incontida de milhares de energúmenos que fazem do futebol uma praga, apesar do desporto em si não ter culpa e até chegar a ser estimulante.
Principalmente quando há tremoços por perto !...

Sem comentários:

Enviar um comentário