segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Procuradoras super-stars

Não tive pachorra para ver a integral da entrevista de Maria José Morgado a Crespo. Fiquei admirado quando ao jantar num salto entre o Panda e a SIC N dei de caras com mais uma procuradora a ser a estrela da noite. A semana passada tinha lá estado Cândida de Almeida, esta foi a vez de Morgado, para a semana talvez Van Dunen.
Têm todo o direito de vir à tv falar de justiça, embora o Senhor Procurador-Geral já se tenha mexido incomodado pelo protagonismo de Cândida Almeida na rádio católica...

Há profissões que exigem recato, trabalho de bastidores. Pouca conversa e muita acção. As palavras e a exposição permanente ao público desgastam e, mesmo que nunca seja ultrapassado o sentido da ética e da lei, fica sempre a ideia de que certas figuras que deviam trabalhar na sombra, são afinal estrelas da televisão, das revistas, dos jornais.

Sendo a justiça portuguesa o que é, esperando os portugueses da justiça mais eficácia, rapidez e acção, o que pensará de procuradores que passam a vida a dar entrevistas, a exporem-se ? Não bastava já os juízes e seus sindicatos ?

A tentação pela notoriedade é grande.
O ex-Procurador-Geral Souto Moura cometeu erros fatais, ao falar a sair do carro, ainda dobrado, ou a largar soundbites enquanto as camaras o seguiam.
Se trabalhassem mais e falassem menos todos ganhávamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário